MP-AP e Governo do Estado firmam termo de cooperação técnica para fortalecer repressão às organizações criminosas no Amapá

 

Na última segunda-feira (5), a procuradora-geral de Justiça, Ivana Cei, e o governador do Estado, Waldez Góes, assinaram Termo de Cooperação Técnica entre o Ministério Público do Amapá (MP-AP) e o Executivo, por meio da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), com objetivo de fortalecer a prevenção e repressão às organizações criminosas que atuam no Amapá.

A cooperação vai reforçar áreas estratégicas do MP-AP, como o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado, o GAECO, e o Núcleo de Investigação (NIMP), ampliando o apoio de órgãos de segurança pública, como as polícias Civil ( PC/AP ) e Militar do Estado ( PM ), em ações, investigações, operações conjuntas e formação de força tarefa, quando necessário, em busca de mais eficácia no enfrentamento à criminalidade.

Em sua manifestação, o governador Waldez Góes, disse que Estado vem atuando em diversas frentes para reforçar o combate ao crime.“ Estamos buscando fortalecer todo o nosso sistema de defesa civil e segurança pública, com investimentos em pessoal, tecnologia e infraestrutura. Nesse sentido, também ampliamos nossas parcerias com outras instituições e agradecemos a oportunidade de firmar mais um termo de cooperação, dessa vez como MP-AP”.

A procuradora-geral de Justiça do MP-AP, Ivana Cei, enfatizou o desafio de enfrentar o crime organizado em todo o país, ressaltando o quanto o trabalho integrado é fundamental para o êxito dessa missão. “Essas parcerias fazem toda a diferença na rapidez e eficiência das nossas ações em defesa da sociedade. Combater essas organizações exige muita capacidade de articulação institucional, cooperação técnica e fortalecimento mútuo, sobretudo, das nossas ferramentas de inteligência e investigação. Por isso, também manifestamos nosso agradecimento ao Estado pelo apoio que recebemos”.

O titular da Sejusp, coronel Carlos Souza, relembrou o esforço do MP-AP, em buscar cotidianamente essa integração. “O que estamos fazendo em certa medida na prática, agora ganha ainda mais força com essa cooperação técnica”.

“As organizações criminosas precisam ser combatidas com estratégia e inteligência, respeitando – naturalmente – as prerrogativas de cada instituição”, acrescentou o delegado-geral da Polícia Civil do Amapá, Antônio Uberlândio. “Os criminosos estão se unindo e nós precisamos atuar cada vez mais unidos também”, reforçou procurador-geral do Estado, Narson Galeno

Ao final, a coordenadora do GAECO, promotora Andrea Guedes, reconheceu o esforço da gestão do MP-AP, em buscar fortalecer todas as áreas, e o apoio irrestrito que tem recebido dos órgãos de segurança pública. “Nossa luta é árdua e graças a essa integração estaremos ainda mais fortes para enfrentarmos o poder dessas facções”.

Estavam presentes, ainda, os promotores de Justiça João Furlan, chefe de gabinete da PGJ; Alexandre Monteiro, secretário-geral do MP-AP, Socorro Pelaes, da Promotoria de Execuções Penais e atuação no GAECO e Rodrigo Assis, também com atuação no GAECO.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *