Lamentável o não debate na Unifap

Militantes do Movimento Anarquista foram fazer manifestação contra o voto obrigatório. Assessores de uma das candidatas bateram boca e tentaram tirar as faixas dos manifestantes. Virou tumulto.

Estavam presentes todos os candidatos a prefeito de Macapá, com exceção de Gilvan Borges, que não compareceu.

É de lamentar. Em uma capital que já realiza tão poucos debates, os candidatos a governar a cidade não poderem debater dentro da universidade pública.

A reitora disse que vai abrir processo de expulsão contra os alunos que se envolveram no tumulto.

Leia e veja o vídeo no site  SelesNafes.com 

  • A UNIFAP, me perdoem a expressão está se tornando uma merda, como o resto do ensino público brasileiro. Confundem falta de educação com luta política. Falta de formação cívica. Uma bosta.
    Fiz o ENEM e resolvi me matricular em Geografia. Fiz a matricula mas fui logo advertido que não teria aula aquele semestre pois não tinha professores. Só no semestre seguinte.
    No segundo semestre não teve aula porque estavam em greve. Lá se foi um ano de minha vida jogado fora. Meso assim encarei o inicio já no terceiro semestre. Mas foi em vão.
    Cheguei cheio de entusiasmo, mochila na costa, cheia de cadernos e outros acessórios, para a primeira aula.
    Foi uma novela para achar o bloco. Ai não tinha sala para os alunos. Fui à coordenação que tinha apenas dois estagiários que nada sabiam,mas disseram que iam resolver. Cada um pegou uma vassoura e um balde e partiram para achar uma sala e fazer a limpeza, com certeza.
    Fiquei olhando aquela marmota e pensei com meus botões: isto aqui não é para aluno sério.
    Quando voltaram pedi um requerimento, preenchi e pedi meu desligamento da universidade. Adeus sonho de Geografia. Talvez numa universidade seria, mas particular, claro. Numa outra oportunidade, quem sabe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *