Joca Monteiro e o “Amapá que Empreende”: Na Baixada Pará, escritor amapaense cria editora artesanal para lançar os próprios livros

 

Usando o bordão já conhecido “Vai passando o homem do livro”, o contador de histórias Joca Monteiro, morador da Baixada Pará, usou um dos cômodos de sua casa para planejar a pequena editora que conta com estrutura de impressora, computador, prensas e outras ferramentas. Os livros que ele vende vem numa embalagem charmosa e colorida, ideal para os apaixonados por leitura, e são vendidos pelos preços de  R$20 a R$ 50.

Com um olhar poético, Joca Monteiro, procurou escrever buscando suas raízes baseados na força da sua ancestralidade inspiradas nas avós, tataravós, bisavós, mãe.

A iniciativa, além de fomentar a arte do escritor, também gera oportunidades para outras pessoas, como a escritora e poetisa Patrícia Andrade, que compõe a equipe, cuidando da revisão dos livros produzidos na editora. Além de Patrícia, o projeto conta com seus dois irmãos, cunhada e sobrinha, todos envolvidos no projeto na produção dos livros artesanais.

O contador de histórias Joca Monteiro, morador da Baixada Pará, usou um dos cômodos de sua casa para planejar a pequena editora

“Depois que coletei as histórias, eu saí pelo Brasil em busca de uma editora, mas todas as propostas que recebi eram muito aquém do que eu imaginava, pois ganharia uma porcentagem tão pequena dos lucros que achei impossível alimentar o sonho de viver dessa arte, então decidi estudar um formato de livro artesanal e cheguei no livro de vinil. Com a criação da editora em casa e o sucesso que o livro está fazendo, já posso dizer que o sonho virou realidade”, comenta com orgulho o artista, Joca Monteiro.

Em 2019, ele saiu da Baixada Pará e cruzou a BR- 156, atravessou o rio Oiapoque de catraia e foi contar suas estórias as crianças da Escola, Henry Sulny, em São Jorge que é uma comunidade na Guiana Francesa.

 

Entre livros do autor da iniciativa e livros de outros escritores, a Editora na Baixada já produziu 21 títulos em mais de 500 exemplares e pretende aumentar a produção utilizando a mão de obra da própria comunidade. “Minha arte sempre está voltada em benefício do outro, há tempos que eu desenvolvo ações sociais com as crianças daqui, hoje muitas crianças atendidas pelos meus projetos já cresceram, são jovens em busca de uma oportunidade. Comecei a treinar alguns desses jovens, mas ainda estou em busca de parcerias para realizar esse outro sonho”, contou o artista.

O Palhaço Boboca Nariz de Pipoca Perna Torta Não toma Coca Dorme na Maloca Na canela Muriçoca, desenvolve metodologias lúdicas para conduzir a criança no universo mágico da leitura.

Joca percorreu todo o território amapaense em busca de conhecer os 16 municípios e coletar as narrativas da cultura popular amazônica, histórias contadas pelos antigos e quase esquecidas na memória do amapaense. Situada no bairro Cidade Nova I, a Baixada Pará é uma comunidade sob área de ressaca, conhecida por um grande índice de violência e criminalidade. Mesmo em meio a todas as mazelas encontradas no local, o trabalho do jovem escritor e contador de histórias, Joca Monteiro que é militante da cultura no estado, está mudando o cenário e realidade do lugar que está respirando arte.

Nas escolas ele faz a alegria da garotada. Mas agora as contações de histórias são por meio de lives, por conta da pandemia.

”Minha intenção é registrar as histórias coletadas, então escolhi o lugar em que moro desde a infância para criar um Editora Artesanal, onde confecciono os livros com ajuda de familiares e outros moradores do lugar”, contou o escritor.

Palhaço, ator, multifacetado, contador de histórias, Josias Monteiro, conhecido como Joca, de 39 anos, produz livros artesanalmente fabricados com material de alta qualidade.

Das 16 histórias da pesquisa do escritor, 8 delas já viraram livros e estão sendo distribuídas não só no Amapá como para vários lugares do Brasil e até para o exterior. O último livro lançado  por Joca, foi “As filhas da Matinta”. Sendo uma história coletada no município de Oiapoque, o livro fez sucesso nas escolas locais e também na Guiana Francesa, país que faz fronteira com município, por onde Joca passou com seus livros, visitando as escolas e participando de eventos locais.

 Perfil de Joca Monteiro

Palhaço, ator, multifacetado, contador de histórias, Josias Monteiro, conhecido como Joca, de 39 anos, produz livros artesanalmente fabricados com material de alta qualidade. Os livros são de grande durabilidade e resistentes a água, uma forma também de se lidar com clima quente e úmido amazônico.

Novo Livro

Joca Monteiro está com o novo livro, o Pintinho Piu. Mas também voltou a contar as histórias na escola, no entanto, através de live, por conta da pandemia. Ele também montou uma biblioteca comunitária no interior de Breves. Além disso, ministra aulas pelo Google Meets sobre contação de histórias.

 

Livro de outros autores

Recentemente a editora na Baixada passou também a produzir livros para outros autores como o Poeta Jiddu Saldanha, um curitibano que atualmente reside em Cabo Frio/RJ. Jiddu assistiu a um vídeo nas redes sociais onde Joca apresenta seu livro e imediatamente entrou em contato, solicitando os serviços da editora. Intitulado “Paisagem da Alma – Tankas e Haicais de Jidduks” o livro já foi lançado.

 

Onde encontrar o homem do livro

Para saber mais sobre as obras do artista você pode procurar nas redes sociais a hashtag #olivrodojoca ou buscar por @jocamonteiro que você será direcionado à sua fanpage. Contato ainda pelo whatsapp (96) 99131-7042.

 

  • Massa Alcione.
    Sempre bom incentivar protagonismo do nosso povo, de nossas raízes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *