I Feira de Livros do Amapá

Poetas, escritores, adultos, jovens e crianças participam desde sábado, 3, da I Feira de Livros do Amapá (Flap), considerada pelo governador Camilo Capiberibe como um momento histórico para a literatura amapaense.

Durante o lançamento da Flap, Camilo Capiberibe falou do Vale Livro, que permitirá que professores e estudantes possam ter acesso a livros de forma gratuita. Serão distribuídos R$ 100 mil da seguinte forma: R$ 100 para professores, R$ 60 para estudantes universitários e R$ 40 para estudantes secundaristas.

Em seu discurso, Camilo ponderou a importância da leitura para o desenvolvimento intelectual, comentou sobre a necessidade de valorizar a produção literária amapaense e disse que o governo vai publicar um Edital que permitirá apoio para que escritores e poetas publiquem seus livros.

A primeira-dama do Estado, Cláudia Capiberibe, uma das grandes incentivadoras da Flap, relatou que este evento é também um reconhecimento da luta travada por Isnard Lima, Alcy Araújo, Arthur Nery Marinho e tantos outros poetas que com sua arte ajudaram a escrever a história do Amapá.

“A Feira do Livro inaugura um novo tempo. As novas gerações de poetas e escritores têm agora a missão de dar continuidade ao que foi construído e ao mesmo tempo construir sua própria história, e ao Governo do Amapá cabe a tarefa de colaborar para que eventos como este se fortaleçam a cada ano”, ressaltou Cláudia Capiberibe.

 

Ignácio de Loyola Brandão na Flap
Ignácio de Loyola Brandão é, sem dúvida, o principal nome entre os participantes da 1ª Feira de Livros do Amapá (Flap). Com uma trajetória de encher de orgulho qualquer brasileiro e de servir de referência a todo escritor, este entusiasta da cultura brasileira, nascido em Araquara (SP), participará de três momentos na Feira amapaense, lançando, em dois dias, seu livro “A morena da estação” e ministrando palestra. Venha você também participar desses encontros.

Ignácio de Loyola tem publicados contos, romances, literatura infanto-juvenil, relatos de viagens, relatos autobiográficos, cartilhas, crônicas, biografias, antologias. Algumas de suas principais obras, foram traduzidas para o alemão, coreano, espanhol, húngaro, francês, inglês, italiano. Além disso, escreveu e escreve para jornais e revistas do Brasil e de outros países e também tem adaptações para o teatro e o cinema.

Nesta segunda-feira, 5, das 10h às 12h, o autor ministra palestra, no Teatro das Bacabeiras, com o tema “O processo da criação: inspiração, imaginação e a influência de professores em minha vida e em minha literatura”.

No mesmo dia, das 16h às 18h, e no dia seguinte, terça-feira, 6, no mesmo horário, na Casa do Artesão, na Tapaina da Palavra no estande da Acadêmica, ele fará lançamento e sessão de autógrafos de seu mais recente conto “A morena da estação”.

Núcleo de Jornalismo/Secom

  • Vou levar meu exemplar de “Não verás país nenhum” para que o autor autografe. Mesmo velhinho, da época do Círculo do Livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *