História dos games parte IV. A guerra de consoles  

*Gabriel Cavalcante Leão Dias – Design de Games

A partir de 1983 começou a terceira geração de consoles. Foi a época da Sega e da Nintendo, Mario e Sonic, NES (nintendinho pros íntimos) contra Master System. As discussões sobre qual console era melhor começaram a ter mais fervor e em alguns comerciais as empresas até mesmo usavam a “publicidade de alfinetadas” uma na outra(pelo menos nos comerciais americanos), e o Japão começou a ter um quase um monopólio sobre o mercado dos consoles no mundo inteiro, já que Sega e Nintendo são japonesas. Apesar da Atari ainda ter lançado o Atari 7800 os produtos japoneses demonstraram conceitos novos e os jogos tinham uma qualidade consistente, que na época, os produtos americanos não tinham. Essa foi a geração de consoles que começou a popularizar nas casas. Quase todo mundo tinha, ou queria ter, pelo menos um conhecido com videogame, pra se juntarem para jogar. A cultura dos games começou a ficar forte.

 

Em 1987 a quarta geração de consoles chegou e também foi a última onde todos os consoles usavam cartuchos e o poder de processamento  começou a chegar perto dos arcades. Muitos jogos que foram adaptados para consoles, antes eram considerados uma cópia muito inferior ao do arcade. Mas com o avanço da tecnologia as peças mais potentes foram ficando menores e menores, o suficiente para caber num console e replicar bem o suficiente o jogo. Depois dessa geração, os arcade definitivamente se tornaram uma relíquia.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *