Governo abre 20 leitos na UPA Zona Sul e unidade passa a ser exclusiva para atendimentos de covid-19

 

Em meio ao crescimento acelerado da taxa de contaminação e agravamento veloz de pacientes infectados, o Governo do Amapá iniciou a abertura de 60 novos leitos exclusivos para tratamento da covid-19 para reforçar a retaguarda de internação hospitalar no Estado.

Desses 60 novos leitos, 20 começaram a ser instalados nesta sexta-feira (19) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Sul de Macapá. Com a abertura deles, a unidade passará a atender, já a partir deste sábado (20), exclusivamente a pacientes regulados pelo sistema – ou seja, encaminhados por outras unidades de saúde da Atenção Básica, como UBSs e Unidades Mistas, por exemplo.

Pela manhã, o governador Waldez Góes e o secretário estadual de saúde, Juan Mendes, foram até o local acompanhar a instalação dos 20 novos leitos, que serão divididos em 10 clínicos e 10 de UTI, que estarão ativos a partir de domingo (21), segundo a Secretaria de Estado da Saúde.

“Vamos ampliar a rede de assistência hospitalar em média e alta complexidade em mais 60 leitos. Esta semana já implantamos 10 leitos clínicos e vamos implantar agora mais 20 leitos na Upa da Zona Sul de Macapá. Nossa meta para a próxima semana é de instalar mais 30 leitos de UTI na Maternidade da Zona Norte de Macapá”, assegurou o governador.

O secretário de saúde explicou que, até a noite desta sexta-feira, a demanda espontânea de urgência e emergência ainda será atendida na UPA da Zona Sul. Mas, a partir da manhã de sábado, os pacientes, incluindo os sintomáticos respiratórios, deverão procurar as UBSs Lélio Silva, Marcelo Cândia ou Covid Santa Inês.

Segundo ele, a medida foi comunicada ao Ministério Público Estadual, para que fosse garantido pela prefeitura o reforço às unidades de Atenção Básica mais próximas da UPA.

 

 

“A população deve procurar as Unidade Básicas de Saúde do Rubin Aronovitch e a UBS do Congós para atender essas demandas. Isso já está alinhado com a prefeitura e Ministério Público. Em relação aos casos mais graves, a referência continua sendo o Hospital de Emergência. De lá dessas unidades, se o caso for de internação, é que a regulação do sistema encaminha para uma das unidades de internação que temos em Macapá, o HU e agora a UPA, se for no caso”, explicou Juan Mendes.

Ele também garantiu que até o domingo (29) mais 10 novos leitos exclusivos para covid-19 estarão ativos, alcançando, assim, 50% dos leitos anunciados na quarta-feira pelo governador Waldez em live. A previsão é que os outros 30 novos leitos – completando o total de 60 – deverão ser ativados na Maternidade da Zona Norte.

 

Momento crítico

Mendes reforçou à imprensa que o sistema de saúde do estado, incluindo a rede privada, está pressionado. Ele destacou que, apesar do aumento de 61 leitos, 28 clínicos e 33 de UTI, entre 25 de fevereiro e esta sexta-feira, a taxa de ocupação continua subindo.

No dia 25 de fevereiro, o sistema de saúde tinha 122 leitos clínicos adultos, com taxa de ocupação de 48,3% (59 leitos), e 72 leitos de UTI adultos, com ocupação de 63,8%. Nesta sexta-feira, esses números saltaram para 150 leitos clínicos adultos à taxa de 88,67% (132), e 105 de UTI adulto, com ocupação de 94,29% (99 ocupados).

Ele analisa que os índices chegaram ao limite devido ao baixo índice de isolamento social, que mesmo no lockdown está em apenas 42% – só 7% a mais que antes do fechamento – e à velocidade de contaminação da nova cepa, com 5 casos confirmados no Amapá pelo Instituto Evandro Chagas.

“Ocorre que a velocidade com que ela se espalha e faz o paciente agravar é muito veloz. Nós estamos abrindo mais leitos, mas isso não vai adiantar nada se o isolamento social não aumentar, se as pessoas não pararem de circular, não respeitarem o lockdown”, resumiu Mendes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *