Fuá na Orla

Todo mundo concorda que nossa orla amazônica é de uma beleza estonteante, né? Acho que é a mais linda da região.

Foto: Fabiano Menezes

Mas tem gente no Amapá com expertise em tornar feio, aquilo que é bonito, de um mau gosto irritante, misturada a falta de zelo do poder público e população.

Se não bastasse aquele  barracão que chamam de Complexo Beira-rio, que nos tira o que temos de melhor: a vista do rio. Que tem placas feias e cadeiras de plásticos amarelas também feias, é ir adiante e encontrar mais baguaça.

Plantado no gramado, à beira do belo rio Amazonas, um parque caquético, caindo aos pedaços, está instalado.

Ao lado da nova e bonita Praça do Côco, na calçada lateral do Macapá hotel, uns trailers (de quinta) de venda de sanduiches, forçando a paisagem a parecer currutela.

Jesus, toma conta!

Praça Barão

Tradicionalmente usada livremente para a prática de esportes, o campo de futebol de areia da Praça Barão foi inviabilizado para a instalação de um parque.

Nada que encante nossas crianças. Parque velho, enferrujado e feio.

Cala a Boca já Morreu

Coloque aí na caixinha de comentários suas observações sobre os espaços públicos.

Vamos publicar os comentários, para que gestores saibam o que a população pensa.

  • VocÊ tem toda razão.
    Já vi o sol se por, já vi o sol nascer e adorava tomar banho na beirada quando as ondas quebravam na calçada.
    Mas isso foi há muitos anos…
    Que coisa triste ver isso…
    Jesus me abana, que eu tô chegando na terrinha em agosto e nem vou poder matar as saudades e fazer um “vale a pena ver de novo”

    Bjks

  • Não vamos desistir de Macapá. Penso que um bom projeto integrado de urbanização da Orla (Trecho Araxá-Perpetuo Socorro) poderá humanizar esse espaço e resgatar a história do rio com a cidade. O que não pode é pontuar intervenções com obras desarmonicas e egoístas. Devolvam minha cidade!!!

    • Olha que tô a ponto de desistir…não sei onde estão nesta cidade as pessoas de bem, de bom gosto, de bons hábitos, de boa educação. Parece que todas são reféns em suas casas, sem poder sair e se deparar com tanta sujeira nas ruas, nas poucas calçadas, nos bares (só bregão e bebedeira)…agora, até as praças foram tomadas. A Beira-Rio (Zagury) já foi faz tempo. Agora a tradiconal e esportiva Praça do Barão foi “tomada” pelo asqueroso parquinho. Mas, o poder público neste Estado, e especialmente nesta cidade, é tão fraco, condescendente…ainda vai aparecer um autoridade (vereador, promotor ou juiz) defendendo o trabalho dos batateiros, dos donos dos traillers nojentos e dos parquinhos, tal como fizeram com os ambulantes da Cândido Mendes e da Mendonça Junior. Aí é fazer o quê? Desistir, acho.

  • Amiga! sem contar que os banheiros destes bares são uma grande porcaria, e ainda temos que disputar com os moradores da praça, que não são poucos.E onde anda o conhelho tutelar que os menores vendedores até altas horas não deixam as pessoas beberem em paz, oferecendo seus produtos?????byby

  • Concordo com tudo, menos com os barracões da beira rio. Aqueles quiosques são uma beleza pra sentar e pegar aquele vento, é verdade que poderiam ter mesas e cadeiras melhroes.

    • Seria muito bonito se fosse um espaço aberto para o rio, com praças, quiosques menores. Mas bares? Que familia que vai sentar lá nos quiosques para pegar ventinho com um bando de homem bebendo, falando palavrão, meninas novas “fazendo ponto”.
      É incrivel como quem viaja e conhece as orlas que estão sendo feitas em cidades com quase o mesmo numero de habitantes como Macapá, a exemplo de Aracajú. Sabe o que se sente? Um pesar enorme por saber que Macapá poderia ser muito melhor do que é o por falta de candidatos honestos e que realmente amem a cidade, ver a cidade cada dia pior e cheia de mazelas de cidades maiores que aqui.
      Nossa Orla deveria ser aberta, para que todos pudessem desfrutar, não só quem está sentado nos bares. E o mais incrivel é que tem 16 anos que moro em Macapá e depois que a Orla foi aberta pelo Capi, todos que entraram fecharam e colocaram ela em obras, e no final de tudo quando foi a inauguração, entregaram “aquilo” que chamaram de quiosques. Nossa! Sinto muito que o povo não reclame mais. Em todos lugares que se anda no Brasil, tem guardas municipais tomando conta do patrimonio publico, onde estão os de Macapá? Esses guardas recebem cursos para fazerem o bom atendimento ao publico, são preparados para a função. Macapá tem guardas municipais? Acredito que nunca tenha visto um. Nossos gestores precisam aprender muito ainda para poder falar em turismo.

  • Todos os espaços públicos nesta cidade são encantadores mas mal cuidados,a manutenção dos mesmos é o grande problema,o poder público deve ter mais atenção p/manter estes espaços bem cuidado.Os grandes,médios e pequenos empresários devem tb tomar este cuidado e ajudar o governo a manter os espaços limpos e bem cuidados.AlÔ! PMM,vamos zelar por esta cidade amazônica,esquecer as “picuinhas” e trabalhar.Penso que o setor turístico aqui é muito precário,deveriam investir pesado e aproveitar que a beleza natural é de graça.

  • Macapá precisa urgente de um plano estratégico para tornar a orla um local bem mais agradável e aconchegante. Não só o poder público como o principal agente, mais a população de um modo em geral, principalmente os filhos desta terra, precisam se unir e, que cada um faça a sua parte para darmos início a essa transformação. As futuras gerações se sentirão honradas e maravilhadas com o patrimônio deixado à elas, a beleza do majestoso rio, contrastando com uma cidade estruturada, limpa, orgnizada e muito bem cuidada.

    • Vc ficaria tristemente surpresa em saber que muitos desses projetos feios e sem graça são de filhos da terra.
      O calçadão da orla, onde a maioria faz caminhada eh um cimentão puro! E o telhadão enfrente ao trapiche? e a Mendonça Junior?
      Projeto urbanístico mesmo não tem nenhum! Td feio e mal acabado…muito triste. Só a do Parque do Forte! E mesmo assim agora tá sendo depredado e sofrendo a falta de manutenção de parte do poder público.

  • A falta de zelo por parte do poder público e da populaçào deve ser combatido sempre. Agora dizer que o complexo beira-rio tira a vista do rio é um comentário infeliz.
    Imagina um projeto ambicioso de expansão da avenida beira-rio, passando por Fazendinha e chegando até o Porto de Santana. A sociedade amapaense deveria se manifestar. Que tal darmos início a uma campanha nesse sentido?

      • Concordo com a Alcilene. Negócio de mau gosto. Um telhadão que barra a vista principal da cidade. E o telhadão da praça de alimentação ao lado da Casa do Artesão tb. Eu hein!

        • Um bom exemplo e o quiosque na direção da Av. Padre Júlio, se não existisse com certeza a brisa que vem do rio chegaria mais facilmente até o bairro Santa Rita. É o que no Estado do Pará ele chamam Janelas para o rio.

  • pena que você não mostrou a parte da Fortaleza de São José que está abandonada pelo GEA. tudo bem…a gente entende o seu posicionamento político.

  • Assalta a casa paroquial tendo o Bispo como refém. Eita “mudança” boa. Era disso que a gente precisava…

    • “É! Deve ter sido o Camilo que mandou os meliantes entrarem na casa do bispo!” Pelo que sei a polícia logrou o assalto que eles tinham feito na loja de celular. Infelizmente entraram na casa do bispo com medo da polícia. Tudo acabou bem, foi só um susto para os reféns. Me parece claro que tudo que acontece na cidade tentam politizar…Os governos atuais tem tanta culpa quanto os anteriores pelo aumento da violência, com a ressalva que os governos atuais (governo e prefeitura) lógicamente tiveram menos tempo pra tentar resolver os problemas.

    • Ê ignorância! Mudança mesmo que a gente vai ver é findar esse governo, sem que nenhum membro tenha feito por merecer ir para o cadeião da Papuda!

  • eu moro na orla, de frente para o amazonas vendo o sol nascer todos os dias da minha varanda e de lavejo os alcolatras, os drogados os moradores de rua tomarem conta de tudo que foi construido, depedram, fazem sexo, assam comida, fazem xixi, coco, tudo uma nojeira indescente e as autoridades, essas viram de costas ou fecham os vidros dos carros com peliculas tão escuras que não enchergam ou fazem de conta que não viram um dias desses quase lincham uma pessoa que foi reclamar porque os porres e drogados faziam sexo durante o dia naquelas casinhas construidas na orla do perpetuo socorro.
    SO – COOOOOOOOORRRRRRRRO. POLICIA…….ajudem……desse jeito ficamos sempre refens de nossas sacadas sem poder descer e caminhar nas calçadas.

    • Um nojo mesmo,mas quem já foi ou morou no Rio de Janeiro,isto é visto até com uma certa naturalidade.Lá presenciei muitas dessas cenas,mendingos fazendo necessidades fisiológicas nas praças,calçadas e vias públicas,casais e até crianças transando nas areias da praia de copacabana(em plena luz do dia),aterro do flamengo e outros logradouros públicos.As autoridades até tentam coibir tais atos,mas é uma missão quase impossível.

  • E o que dizer então da área de entorno do Mercado Central? E da Escola Cândido Portinari? Do Poço do Mato, da Chico Noé e aquela enooooorme área verde entre o Rio Amazonas e a Residência do Governador? Puxa! É lugar bonito que não acaba mais e anda tudo tão feio…

    • As acácias rosas estão caindo de podre bem na frente da Caso do Governador e ninguém faz nada. Melhor, fazem sim: cortaram, deixaram os troncos e não fizeram a reposição. Quer dizer, era um corredor florido lindo, todo rosa…agora, mais um “lugar feio”

  • Tem tanta coisa pra apontar… E o que dizer das urnas eletrônicas quando apuradas? Sai cada um… Vontade de desistir é tremenda.

  • Alcilene, além da orla ter poluição visual tem a do rio. Temos um belo rio cortando a capital, mas nele é despejado esgoto e lixo. Não vejo muita reclamação sobre isso… Vc conhece algum projeto para limpeza e conservação do rio? quando o esgoto será tratado em vez de jogado no rio?

    • É verdade… Domingo passado fui até o LB fazer um piquenique… Mato alto, plantas sem cuidado… Mas o que chamou a atenção foi o rio… Quanta sujeira!!! O mais interessante foi a fala da minha sobrinha ao ver tanta sujeira:”Ei, mas tá muito sujo o rio.” E gritou: “Ei, pessoal (tinha um grupo, acho que escoteiros)não pode sujar o rio não. Os peixinhos vão morrer.” Ficamos olhando e achando graça daquela cena. Ela só tem três anos.

  • A situação geográfica de Macapá lhe garante uma beleza impar, um rio tão belo e magestoso que não permite que o oceano nos venha tocar, precisamos acordar para nossas belezas, resgatar nossos espaços, cuidar mais da nossa cidade. Outro lugar que me deixa extasiado é o Curiaú, que lugar encantador!

  • E cadê a zeladoria do Rouberto? E os 100 Kms de alfalto por ano, prometido na campanha. A buraqueira tá aí.

  • Nem me fale neste assunto. Ha duas semanas levei meu filho para brincar no que era um gramado ao lado da imponente fortaleza. Resultado = havia um reino de formiga, camuflado no que resta da grama, onde o menino colocou os pezinhos! Foi horrivel a cena.Nao temos opçoes para onde levar nossos filhos. Ja imaginaram as familias que nao têm oportunidade de sair daqui nem que seja por uns dias em férias com os filhos? Precisamos urgente de politicas publicas de lazer e cultura. Nossas crianças e nossos idosos sao os mais prejudicados. Refletindo…o nosso estado é o primeiro em indice de suicidios do Brasil, maioria jovens! Lamentavel!

  • Por ser patrimonio histório quem tem que cuidar da Fortaleza que eu saiba é o GEA. Nunca o Forte ficou tão abandonado.

  • POis é, e alem de tudo isto ainda tem estes feirões de venda de carros em praças públicas pra enfeiar mais ainda e atrapalhar o tráfego de veículos no entorno do Teatro das Bacabeiras. Como siz Boris Casoy… ISTO É UMA VERGONHA.

  • Ja cansei de ver carrões baixarem suas janelas e “cuspirem” latas de cerveja, papeis e, pasmem, até cocos. Numa dessas vinhetas da Assembléia Legislativa no rádio, uma deputada fala sobre o cuidado que a população deve ter com o lixo…Aí entendi o porquê da nossa realidade…

  • Um dos melhores assuntos que já vi em seu blog, que sempre tem coisa boa. Parabéns!
    E a discussão tá tão boa, tanta opinião consistente.
    Mande inteirinho para nossas autoridades constituídas: Governador, Prefeito, Vereadores,…para as faculdades de Arquitetura, p o CREA, p OAB (que pode manejar ACP e nunca faz nada), p o MP/AP, enfim, pra quem pode e deve fazer alguma coisa e nunca faz.
    Não é possível que conta opinião assim eles não pensem em fazer algo de bom na nossa orla.
    E no caso do Governador, na frente da casa dele (ou ele sai todo dia de cabeça baixa? Olhando o dedão do pé?)

  • Nunca vi coisa tão horrosa e deprimente que aquelas barracas com cobertura de plástico amarelo e vermelho que vendem aquelas terriveis batatas fritas. O mais repugnante é que o povo come aquela nojeira.

  • Como as autoridades daí não valorizam essa maravilha, gostaria de prôpor uma troca…Vem para São Paulo e fiquem vendo o Rio Tietê, de quebra dou mais uma ponte estaiada, inaqugurada hoje, em frente ao Anhembi…O coisa linda !!!!!

  • Penso que é preciso tomar consciência de que enquanto não houver ações com planejamento e habilidade neste Estado e em especial em sua capital Macapá, não teremos o que comemorar em todos os campos. Precisamos de ações com competência, responsabilidade, comprometimento e honestidade, pois só assim muita coisa pode mudar.
    No Brasil a coisa pública é tratada como “privada” e literalmente, aqui no Amapá, tudo parece que termina mesmo na “privada”. Precisamos não apenas criticar ou aplaudir as ações políticas precisamos estar mais presentes acompanhando de perto o trabalho de quem recebeu nosso voto.Fazem o que bem entendem, conforme a conveniência de cada um, e fica por isso mesmo, reclamamos nos grupos de amigos, em algumas redes sociais, mas também é só.
    A orla de Macapá apresenta a mesma falta de cuidado e descaso que se encontra por toda a cidade, desde os bairros mais humildes até os bairros supostamente da elite. Lixo, mato, buracos, etc…
    Já ouvimos o despertar das discussões do próximo pleito eleitoral, mas nada muda para melhor. Como cidadã, nascida e criada em Macapá, hoje tenho minha autoestima completamente em baixa quando tenho que defender ou dissertar sobre a cidade. O que falar? As paisagens por todos os lados da cidade dizem por mim.

  • o poder público(prefeitura e governo) precisa tratar da manutenção e segurança dos locais turísticos. Construir, reformar, apenas é uma passo…entendo que a população deve também colaborar..o vandalismo e a pouca educação impera…

  • E o canal da Mendonça Junior???? coisa feia…detalhe, o grande responsável se chama João Henrique…pois isso ocorreu durante sua gestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *