Fórum discutirá pesquisa e pós-graduação na Amazônia

Por Aline Guedes

 

Estratégias para o desenvolvimento da pesquisa e da pós-graduação na Amazônia serão amplamente discutidas na próxima terça-feira, 28, no auditório do Interlegis, no Senado Federal, em Brasília. Trata-se do Fórum de Reitores das Universidades da Amazônia, que será presidido pelo senador João Capiberibe (PSB/AP), e terá a participação do coordenador da Regional Norte do Fórum Nacional de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação das Instituições de Ensino Superior (Forprop), Emmanuel Zagury Tourinho, que solicitou o evento.

 

Participam os ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, e o da Educação, Aloizio Mercadante, o vice-presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Dr. Ennio Candotti, o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, a coordenadora de Capacitação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), Beatriz Ronchi, o coordenador geral de Programas Estratégicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Manoel Santana Cardoso, e o superintendente da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), Djalma Bezerra Mello.

 

O objetivo do encontro é buscar meios para o desenvolvimento cientifico na Região. “Vamos ouvir pró-reitores e reitores, sobre as dificuldades enfrentadas pelas Universidades da Amazônia e definir estratégias de ação para supri-las” – destacou o senador Capiberibe.

 

Uma das ações propostas pelo Fórum é buscar meios de atrair e fixar mestres e doutores na Região. Atualmente, são menos de quatro mil atuando na Amazônia, de um total de mais de setenta mil no País. Outra sugestão a ser discutida é a instituição de uma Bolsa de Pesquisa (a exemplo das bolsas de produtividade em pesquisa no CNPq), no valor de R$3.000,00 (três mil reais), a ser paga mensalmente durante os cinco primeiros anos de contrato com uma instituição acadêmica ou de pesquisa.

 

A iniciativa, segundo João Capiberibe, é uma “retomada do trabalho em defesa das Universidades da Amazônia, interrompido pela injusta cassação do meu primeiro mandato”.

 

O evento será transmitido por meio de videoconferência para as Assembleias Legislativas dos Estados participantes e transmitido em tempo real pela Rádio e TV Senado.

    • O pior é que é verdade! Vc tem razão… Tem varios Mestres e Doutores sem oportunidades e o governo cheio de parasitas incompetentes. Inclusive no primeiro escalão!

  • É ISSO AI. A QUESTÃO É QUE ELE QUER APARECER COMO O SENADOR RANDOLFE E NÃO CONSEGUE. OLHE OS DOUTORES E MESTRES DESTE ESTADO QUE ESTÃO SENDO DESVALORIZADOS POR ESTE GOVERNO DO FILHO DELE QUE DESVALORIZA MÃO DE OBRA ESPECIALIZADA EM DETRIMENTO DE APADRINHADOS POLÍTICOS.

  • A convite do senador João Capiberibe (PSB-AP), os ministros Marco Antonio Raupp (Ciência e Tecnologia) e Aloizio Mercadante (Educação) estarão presentes no Fórum de Reitores das Universidades do Norte, que acontece no dia 28 de agosto, no auditório do Interlegis, no Senado, em Brasília. O senador atende a uma solicitação do Fórum Nacional de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação das Instituições de Ensino Superior – Coordenação da Região Norte (Forprop), cujo objetivo é o incentivo e o aceleramento da pesquisa e da pós-graduação na Região Norte. “Vamos ouvir pró-reitores e reitores, sobre as dificuldades enfrentadas pelas pequenas Universidades da Amazônia e definir estratégias de ação para suprir as necessidades” – destacou Capiberibe. Participarão também do evento Emmanuel Zagury Tourinho, coordenador da Regional Norte do Forprop, Beatriz Ronchi, coordenadora de Capacitação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), e Manoel Santana Cardoso, coordenador geral de Programas Estratégicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Uma das ações propostas pelo Fórum é buscar meios de atrair e formar mestres e doutores na Amazônia. Atualmente, são menos de quatro mil atuando ali, de um total de mais de setenta mil no país.

  • Quer cargo tem que se filiar ao PSB e respeitar a doutrina dos capiberibes, em outra palavra a sua cartilha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *