Força-tarefa fecha 29 estabelecimentos comerciais por descumprimento da Lei Seca

 

No primeiro dia da Operação Impacto Covid-19 a força-tarefa, formada por órgãos de segurança pública e saúde, fechou e multou 29 estabelecimentos comerciais em Macapá por não estarem cumprindo as determinações do decreto estadual, que proíbe o consumo de bebida alcoólica em qualquer estabelecimento durante os dias 5, 6 e 7 de março. A fiscalização continua neste sábado, 6.

Conforme dados preliminares da coordenação da operação, não houve a necessidade de prisões, todas as pessoas abordadas acataram os procedimentos. A operação ocorreu em Macapá e Santana com mais de 100 agentes atuando. De acordo com o decreto estadual, a lei seca vigora até domingo, 7, que é também quando a operação será encerrada.

Os agentes fecharam 12 estabelecimentos na Zona Sul e 17 na Zona Norte de Macapá. A força-tarefa também verificou locais de possíveis festas clandestinas, que não ocorreram. Para dar apoio a operação, dois ônibus estão à disposição caso seja necessário efetuar a prisão de pessoas que estiverem causando aglomerações.

 

“Não houve prisão no primeiro dia da operação, mas se caso haja persistência ou qualquer ação que vá de encontro às determinações preconizadas no decreto estadual, o infrator será conduzido à delegacia e responderá legalmente”, enfatizou o comandante da Polícia Militar, Coronel Paulo Matias.

A força-tarefa foi organizada pelo Governo do Amapá com o objetivo de fiscalizar neste fim de semana o cumprimento da Lei Seca nas ruas e espaços públicos de Macapá e Santana. O decreto estadual com essas determinações tem o objetivo principal de conter o avanço da covid-19 na região metropolitana.

 

O decreto estabelece o limite máximo de 22h para o funcionamento e/ou realização de atividades presenciais nos estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços. Está proibido o consumo de bebida alcoólica em qualquer estabelecimento.

A Lei Seca é uma das medidas de proteção à vida adotadas pelo Governo do Estado desde 1º de março, quando o Amapá entrou na fase vermelha para os riscos da covid-19.

Estão envolvidos na ação Polícia Militar, Polícia Civil, Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS), Corpo de Bombeiros e Companhia de Transportes e Trânsito de Macapá (CTMac).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *