Faleceu o geólogo Marcos Palheta

Uma homenagem de seu amigo Marcos Chagas

Marco Antonio Palha Palheta
“Se tivesse que falar sobre o que mais me afeta com o tempo cronológico da vida, diria que é a perda de amigos”.
Conheci aquele menino de pernas torta desde que nasceu. Recebi o seu nome, pois Dona Morenita havia emprestado de minha mãe o nome “Marco Antonio”, um ano antes. Ele de 63 e eu do ano seguinte.
Ele na Mendonça Furtado e eu no Bairro Alto. Havia conexões entre nossos quintais, o que facilitava nossos encontros, coisa comum na Macapá antiga.
Ele, assim como eu, e boa parte dos “menudos de Macapá”, também fomos apaixonados pelas filhas do Seu Abiguá. Mas, isso é segredo!
Roubamos a bike do Chico Bessa. A gente só queria chegar “bacana” no Circulo Militar e se exibir para as gatas… como fazia o Badu Picanço.
Jogamos basquete juntos no Guarani. Ouvimos as mesmas broncas do Seu Milton. Os portugueses Américo e Chico Diniz ganharam muitos campeonatos de basquete a nossas custas.
Ele virou geólogo e eu também. Parecia que não queria o deixar sumir de minha vista.
Desde 2002, nos encontrávamos todas as terças e sábados para um basquete entre amigos.
Saudades eternas meu amigo e irmão Marco Antonio Palha Palheta.
Ah! Segura a camisa 4 aí por cima.

 

Marquinho, como eu o chamava, foi meu colega de classe em todo o ensino fundamental. Estudioso, tornou-se um grande prossiinal, dos quadros do DNPM.

Ele faleceu na tarde desta sexta-feira, 15 de setembro, depois de um rápido câncer no estômago. Seu velório acontece na capela Santa Rita.

Que o Senhor o receba em sua Glória.

  • Recebi a notícia do falecimento do Marco Palheta com pesar.
    A vida é assim de repente nos apronta supresas.
    Fico com as boas lembranças deste Amapaense querido. Um técnico que contribuiu com sua formação para o Amapá. Cidadão de uma família pioneira do estado que aqui fincou raízes.
    Deixa os amigos aqui com saudades com eu.
    Aos familiares meus sentimentos pela passagem do estimado Março Palheta.

  • Tive o prazer de jogar e compartilha da amizade do Palheta por 4 anos, período que morei em Macapá. Na quadra, cirúrgico enquanto armador, á bolinha dele sempre caia. Na vida, principalmente depois do rachão de sábado no São José, era o ilario é sobretudo amigo. A gente se esbarra por aí amigo!

  • Trabalhei com ele por mais de 6 anos no DNPM, uma grande perda, sr Marco Palheta era uma pessoa super do bem, gente Boa, integro e correto.

  • Marquinhos vc fez parte da minha juventude, gente boa e sempre com um sorriso no rosto, gentil, educado. Essa foi uma triste surpresa, mas que você descanse em paz e que por onde vc estiver continue distribuindo gentileza com esse seu alegre e feliz sorriso.⚘‍♀️

  • Palhetinha era como eu o chamava, colega de trabalho do DNPM, profissional competente, adorava sua profissão, era perfeccionista em tudo que fazia, a família DNPM lamenta profundamente o seu falecimento, particularmente vou sentir sua falta, amigo descanse em paz!!!

  • Descanse em Paz vizinho e amigo querido ! À sua mãe, esposa e demais familiares minhas condecondolências.

  • Conhecir o Marcos na juventude no Colégio Amapaense, amigo de tertulha, grande pessoa, bom papo!! Saudades

  • Comandante Palheta a fiscalização ficou desfalcada de seu Mestre maior. Deus o tenha e conforte seu família. O Grupo de Ações Táticas e Ostensivas -GATOS…fundado por vc está profundamente triste e abalado. Descanse em paz. S E L V A….

  • Considero que a recém criada ANM, extinto DNPM, também perdeu um grande Geólogo – Dr. Palheta, pois, tive a oportunidade de acompanhar a trajetória profissional do mesmo. Meus sinceros sentimentos a sua Família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *