Estudo mostra que o Amapá tem o menor preço para a oferta de energia ao setor industrial. O que fazer com esse diferencial pela economia do estado?

Enfim, uma boa informação para a economia amapaense.

Recente estudo mostra que o Amapá tem o menor preço para a oferta de energia ao setor industrial.

O custo de energia costuma ser um dos ítens mais relevantes para a competitividade das empresas industriais, especialmente para aquelas que são intensivas no consumo desse insumo, a exemplo dos setores que usam refrigeração e calor tais como alimentos frios e congelados, parte da construção civil, metalúrgicos, siderúrgicos, plásticos etc.

O custo da energia também é igualmente relevante para setores do comércio, serviços e agricultura: shopping centers, hotéis, hospitais, e agricultura irrigada são alguns exemplos.

Hora de o Amapá iniciar uma “campanha” de incentivo a instalação de indústrias eletrointensivas junto aos empreendedores amapaenses e de atração de investimentos no Brasil e no exterior baseados na oferta da energia para a industria, mais barata do país.

Como 2022 é ano de eleição, essas propostas tem que estar muito bem colocadas, de maneira clara, nos programas de governo dos candidatos. E com informações que possam subsidiar a atração de novos investidores, bem como, novos investimentos por parte do amapaense.
A notícia é positiva, mas com ponderações necessárias: o quão duradouro e sustentável são fatores que influenciam no preço final da energia elétrica? E qual a qualidade e a confiabilidade do fornecimento desse insumo no estado?

Ao que sabemos, os subsídios federais e a menor alíquota de ICMS dentre os estados brasileiros são os determinantes principais para o preço final.

Mas para usar o usar o preço da energia elétrica como um fator de incentivo e atratividade de empresas é preciso responder ao menos três  perguntas básicas:

Até quando o Amapá consegue “conforto” fiscal para cobrar a menor alíquota de ICMS do Brasil?

Até quando serão mantidos os subsídios aos custos de geração e transmissão de energia elétrica?

Quando serão equacionados os graves problemas que afetam a qualidade e confiabilidade da transmissão e distribuição de energia?

Debate bom para lideranças políticas e setor produtivo travarem.

Link do quadro

https://www.poder360.com.br/energia/rio-de-janeiro-lidera-ranking-de-custo-de-energia-a-industria/

Com informações da Firjan

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.