• Estarei lá com toda certeza. O Renivaldo é uma grande figura. Li no blog da Luciana Capiberibe um artigo do Ademir Pedrosa (vulgo “Carne de Porco” – só inflama) onde destila seu veneno contra esse grande escritor. Deve ser inveja porque o lampião transformou-se numa pessoa frustrada, caloteira, amarga e sem credibilidade nenhuma.

    • Como vai a Ingrid Silva? Grande cantora. Gosto de ouvi-la quando canta “A gata e o violino”, respira cada sílaba do verso. Ingrid seria grande artista se não fosse más companhias. Fiz um anagrama pra ela: Ingrid Silva=Divinal Gris. Divinal são seus cabelos encaracolados de anjo; e Gris é a sinestesia da voz híbrida entre a cor cinza e o azul, tom do papel da maçã. Ingrid já merecia um CD. Tem voz, técnica e postura… falta-lhe quase nada. Enquanto forjar-lhe ensinamentos, menos ela canta. E assim vai se desmilingüindo em canjas por aí. Dilean, não atrapalha; deixa a Ingrid cantar…

      • Enquanto o Dilean Monper (o nome do infeliz é com “n” antes de “p”) vai ao Bar do Abreu prestigiar o Nelson Rodrigues tucuju, eu sou prestigiado pela belíssima voz da Divinal Gris (Ingrid Silva), com “Chuva dos deuses da chuva”. Ingrid é sobrinha da Lia Sofia. A tiazinha canta à beça, mas eu sou mais a sobrinha. A sonoridade da voz da Lia se inclina mais ao bolero e ao brega (sem o preconceito imbecil dos patrulheiros); enquanto da Ingrid é mais aveludado, se aproxima mais do jazz e do samba. Embora ambas as duas sejam amapaenses, Lia é mais cara-pálida, tem a pele mais clara; enquanto a Ingrid é mais cabocla, tem a pele mais aboriginemente acobreada. Agora, diga-me. Eu sou algum pateta? Diante do que a Ingrid oferece, eu que não vou me preocupar com um livro de chanchada, cujo autor ridiculariza a mulher indicando-lhe uma pia de louça e um tanque de roupa suja como tarefa ideal ao sexo feminino. Eu, heim, rosa!…

        • Lampião, vc não vale o que o gato enterra. Pague ao menos o que deve e pare de dar calote nos outros. Pq vc acha que o Ronaldo Teixeira, o Carlos Lobato e o Jorge Alfeu não atendem mais ao seu telefonema: estão cansados de levar “facadas”. Vc se julga grande literato, mas não passa de um caloteiro frustrado. A Ingrid tem talento sim, assim como a Julie, mas nenhuma é pro seu bico. Vc é patético. O Renivaldo, que já foi seu pupilo, superou o mestre.

          • Renivaldo está em estádio terminal de misoginia (aversão mórbida às mulheres). Quando era pupilo, pediu que eu fizesse revisão de seu livro de 46 páginas – segundo a Unesco, livro “é uma publicação impressa não periódica com um mínimo de 49 páginas”. Do ponto de vista material já não atendia ao conceito de livro; quanto ao conteúdo, precisaria de bastante enxerto pra encher a lingüiça até o topo. Se o livro que Renivaldo pretende lançar deriva dos originais que tenho em mãos – Santo Deus! –, é o samba do crioulo doido, como diria Stanislaw. Olha, eu não costumo chutar macumba nem cachorro morto, mas aquilo é uma oferenda das brabas pra uma sexta-feira 13. Chega!, gastar mais vela com esse defunto é desperdício…

            PS – Lobato, Soho, Feu e Dilean que a sorte do autor do livro possa cingir de galhos de arruda suas cabeças. Vão precisar pra essa noite encomiástica e aziaga…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *