Equipes de busca enfrentam mau tempo e terrenos alagados para achar jovens desaparecidos em Calçoene

 

O mau tempo desta época do ano tem sido um dos inúmeros desafios enfrentados pelas equipes de buscas aos adolescentes de 13 e 14 anos que estão desaparecidos há 15 dias no município de Calçoene, depois de terem saído para tirar açaí. As buscas pelos garotos envolvem mais de 50 pessoas entre órgãos de segurança e voluntários.

Segundo o major José Marcelo Guedes, que comanda as equipes de busca, a chuva acaba dificultando o trabalho porque elimina rastros ou sinais que poderiam ter sido deixados pelos desaparecidos. O mau tempo também impossibilita o sobrevoo da aeronave do GTA que auxilia no transporte e deslocamento de equipes, como também nas buscas.

Além dos fatores climáticos, algumas características do terreno onde vêm sendo realizadas as buscas também tem sido desafiador. A mata fechada aliada ao solo inundado – devido ao transbordamento de igarapés e córregos – são obstáculos superados a todo custo por quem tem como grande missão localizar os adolescentes e trazê-los de volta ao convivio familiar.

“Para qualquer operação de busca trata-se de fatores que afetam na velocidade de progressão das equipes que precisam contornar esses obstáculos”, explica o oficial.
Outro problema é o acesso. Como não há estrada que leve da base ao local onde se concentram as buscas, a solução encontrada foi usar como ponto de apoio uma fazenda localizada na região. As equipes se dirigem de carro até a fazenda e de lá partem na aeronave (GTA) até a região de mata onde estão concentradas as buscas.

“A gente chegou a pensar em utilizar o rio Trapiche que fica na região, mas devido as dificuldades de navegação nesta época, optamos em não utilizar esta via para deslocamento”, acrescentou.

“Mesmo diante de todos esses obstáculos, estamos decididos a concluir nosso objetivo que é localizar e resgatar os dois adolescentes e trazê-los de volta ao convívio familiar”, concluiu.

Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Polícia Civil, Polícia Militar, Comando de Operações Especiais, Grupo Tático Aéreo (GTA), Guarda Florestal e Exército Brasileiro compõem as equipes que atuam na área à procura dos garotos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *