Então tá

Os deputados estaduais aprovaram requerimento da deputada Marília Góes para realização de audiência pública que vai discutir o bolo orçamentário do estado.

Realmente uma ótima iniciativa. Já quero agendar a data pra participar.

Vai ser bom a sociedade comparar os orçamentos e tarefas dos poderes. Saber por que a Assembleia Legislativa é a instituição que tem o maior gasto em diárias no estado, apesar de ser bem menor que o Tribunal de Justiça e o Ministério Público. E saber como eles conseguem a façanha de gastar mais em diárias que o poder executivo inteiro, com sua enorme quantidade de obrigações e ações, e milhares de servidores. E ainda, saber como são usadas as verbas indenizatórias, aquelas que apareceram em recente matéria no programa Fantástico.

É um debate importante. A sociedade saber quanto custa cada poder, cada instituição, para realizar seus trabalhos e obrigações.

Olha.Tão de parabéns.

  • Minha contribuição para a audiência pública:
    Valor da diária para deputados: R$ 150,00;
    Valor da verba indenizátória: R$ 5.000,00.
    A documentação ref. a verba indenizatória, deverá ser auditada por uma controladoria dentro da ALAP,constituída por funcionários de carreira.

  • Essa senhora deve tá querendo aparecer, todos sabem que no desgoverno da família Góes é que foi instalado, sem exceção de nenhum poder, a farra com os recursos públicos estaduais!!!!

  • Faça-se a vontade da deputada, mas mostre bem aberto o que ela e seus pares fazem com todo esse dinheiro. Mas, em que pé está mesmo a Operação mãos Limpas?

  • Pelo que vi a Deputada é a que apresenta o menor gasto com as verbas indenizatórias. Ou tô errado?

  • Pois é, dois anos se passaram e não foi preso nenhum picareta, e eles continuam com os seus esquemas engendrados para drenarem os milhões de reais que são destinados a esta decadente instituição, vale ressaltar que tanto os salários, como as diárias que esses canalhas recebem pelos seus desserviços prestados ao Amapá, é vergonhoso, indecente, imoral, escandaloso e tudo mais que agride o bom senso e a moral da sociedade amapaense. Não há descontos quando os mesmos faltam às sessões, vivem escondidos em suas covas só tramando e arquitetando como fazerem para desviarem esses milhões de reais que são repassados pelo governo mensalmente. Isso sempre existiu na ALAP, todos que por lá passaram se beneficiaram e fizeram fortunas com o nosso dinheiro, por isso as estatísticas mostram que no Amapá existem muitos milionários, mas também desse jeito é fácil. Esses picaretas deveriam ganhar o que ganha um professor, ou outro servidor do Estado, essas verbas de gabinete, superdiárias e outras regalias deveriam acabar, aí eu queria ver se estes cargos eletivos seriam tão cobiçados por esses parasitas, que tal como um câncer estão destruindo o Estado do Amapá. É preciso reduzir imediatamente esse duodécimo, para pelo menos a metade do atual valor, como eu já falei em outra ocasião, o Amapá é um Estado pobre, precisa resolver problemas na saúde, na educação, na segurança etc. Esses sanguessugas deveriam ter vergonha na cara e discutirem esta redução, trabalharem em projetos que realmente desenvolvam o Estado, e por último fiscalizarem a correta aplicação do dinheiro público pelo governo, pois é isso que a população espera de um político comprometido com os anseios da população.

  • José Pereira, reduzindo pela metade ainda estará muito acima do necessário esse orçamento da Assembléia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *