Do Secretário de Segurança, Marcos Roberto, na caixinha de comentários do blog

Realmente os números de roubos aumentaram, e estamos trabalhando para combatê-los. Entretanto, vários deles estão sendo desvendados com a prisão dos infratores. Foram os casos de roubos com reféns e muitos outros. Diversas quadrilhas estão sendo presas, temos mais policiais nas ruas, as bases das Polícias Comunitárias serão construídas, foi reativada a do Araxa/Aturiá, só não podemos construir de uma hora pra outra, assim como as viaturas não são compradas no estalar dos dedos. Temos certeza que apesar de tudo, estamos avançando. A população realmente precisa cobrar.  Infelizmente, passou oito anos sem fazer isso. Mas fique na certeza que vamos avançar muito mais e, sobretudo, aplicando bem o recurso público.

Professor Marcos

  • Uma comunicação direta com justificativa, gostei quando reconheceu que o DEVER do cidadão é cobrar. Fico imensamente feliz com a promessa das polícias comunitárias, o cidadão tem de acreditar no Estado. A presença cotidiana é o que fortalece a humanização entre polícia e comunidade.

  • gostaria que aqui no aturia os policias militares entracem nas pontes, quando eles de viatura os malacos correm.

  • Interessante Secretário como o Senhor tem habilidade pra justificar esse aumento da criminalidade no Amapá, será possível que Vossa Excelência não compreende que a vida e o que temos de mais valor nesse mundo, então cuide de se apropriar de todas as possibilidades pra mudar esse quadro ou peça pra ser exonerado. Mesmo a categoria dos taxistas sendo vítimas dessa onda crescente de violência Vossa Excelência ignorou a classe quando deixou de receber a categoria sem ter pelo menos o respeito conosco de remarcar a audiência. Queria saber o que você dirá pra confortar aos filhos e esposas dos taxistas vitimas da violência no Amapá?

    Twitter.com/rizonilson_AP

    • Rizonilson, em relação aos números você precisa se atualizar, pois o bem mais precioso, concordo com você é a vida, e diminuimos o número de homicídios em 11,3%. Já em relação a possível reunião, isso não é verdadeiro, sempre atendo a todos, e essa reunião nunca foi marcada. Mas estou aberto a sentar e reunir com os senhores.

  • ate tu marcos com discurso que 8 anos não fizerão nada e so isso que vcs sabe falar ta na hora de mostra trabalho que o povo ja esta vacinado contra isso vai passar 4 anos so falando isso depois vai pedir mais 4 ai não da né.

  • O caso da violência não aumenta só no Amapá, não. É muito fácil, criticar e pedir medidas urgentes. O difícil é aceitar que nós temos obrigação tb de colaborar com os órgão de segurança, fazendo nossa parte enquanto cidadãos.

    • Em São Paulo, a maior cidade do Brasil, todos os in´dices de violência diminuiram..Ler matéria em Revista Veja da semana passada…

      • Que bom pra eles, que não tiveram como Governo anterior conhecido como “HARMONIA”. Queria ver o “MILAGRE” que qualquer um que fosse eleito para o Governo do Amapá, de “tirar leite de pedra” em 100 dias.Tá faltando paciência e coerência meus amigos.

      • Creio que haja um erro insistente em se adotar SP como parâmetro. Lá já são, no mínimo, 16 anos de PSDB (Covas desde 1995 até 2001 e Alckmin, desde então). Cabe mencionar que antes do PSDB, fora Fleury, um ex-secretário de Segurança Pública, o governador, destacando a importância que a SP teve à epoca. Tais dados, portanto, não podem ser desconsiderados, sob pena de distorção da crítica. Vale a intenção, mas não cabe a comparação.

      • Alcilene, concordo com você, no entanto em São Paulo existe a continuidade de um governo, sendo esse o terceiro mandato. Vamos chegar lá

  • E DEVER DO CIDADAO COBRAR SIM DE NOSSAS AUTORIDADES COMPETENTES TRABALHO PORQUE SAO PESSOAS QUE SAO PAGAS COM DINHEIRO PUBLICO POR EXEMPLO A POLICIA MILITAR E UMA POR ENQUANTO RELEVO COM O SECRETARIO MARCOS SOBRE SUA ATUAÇAO.

  • Senhor secretário, é notório que a criminalidade na capital subiu a indices alarmante e que muita coisa mudou em relação a gestão na segurança pública. O que o povo quer ver é a resposta real, nas ruas, de explicações que não convencem o Amapá ja esteve bastante saturado. É hora de agir, e para agir não precisa de um grande milagre orçamentário intergalático super sensacional… Basta força de vontade, voz ativa e usar de sabedoria para viabilizar ações com que sem tem em mão. Confesso que gostei bastante de sua postura enquanto candidato ao Senado, só não votei no senhor porque meus canditados sempre foram Capi e Randolfe. Não me decepcione… Ainda há tempo pra mudar essa realidade, e uma atitude que o senhor poderia tomar para mostrar que a segurança pública está no caminho certo, seria diminuir seu (forte) aparato de segurança pessoal, como fez o governador Camilo e outros que abriram mão de um numero de policiais para que a população pudesse contar com um efetivo ainda maior nas ruas.

    • Procure se informar melhor. Quero lhe dizer que diariamente andam comigo somente duas pessoas, incluindo o motorista, apesar da necessidade, pois onde estou, trabalho incomodando muita gente, inclusive pessoas de grande periculosidade.

  • Ao contrário de que pensam alguns, principalmente os agentes políticos, a segurança pública é DEVER do Estado (art. 144 CF). Os gestores públicos devem honrar a condição de seus encargos e garantir o direito de todos à segurança pública. A responsabilidade dos cidadãos não pode, e jamais deve, se transmudar em DEVER, pois este é EXCLUSIVAMENTE DO ESTADO, o qual não deve se eximir dessa obrigação. É uma covardia odiosa e nojenta tentar repassar essa obrigação para a sociedade, que é a maior vítima da inércia política. É preciso ação efetiva, pois em 100 dias já houve muitas mortes.

    • É papel também da sociedade, oferecer gestores minimamente decentes ao ente (que não é abstrato, como transparece nas suas afrmações) chamado Estado. Se ele for composto democraticamente (via eleições) por cleptocratas, não vai adiantar ficar citando a Constituição, tampouco exercitando positivismo “demodé”.

  • Secretário, gostaria q falasse efetivamente sobre o planejamento para combater os roubos para isso é necessário investimento nos serviços de inteligência das polícias e na capacitação de pessoal.

  • Até quando nos ‘sociedade” vamos ser obrigados a ter que ouvir/ler essa frase : ..porque em 8 anos nada foi feito e bla bla , já está virando lema do governo … em qualquer comentario/entrevista seja governador/secretario/militante ..parece lavagem cerebral..ja to ficando paranoica com essa frase.

  • Só sei de uma coisa com crise ou sem crise, Macapá se tornou violenta demais, e nada tem sido feito para modificar isso. Blitz? É até para rir, os bandidos apesar de carro e moto, estão em varios lugares e uma blitz ñ impete deles atuarem. Isso ñ é segurança pública, é obrigação apenas por fiscalizar alguns inrresponsaveis, + bandido msm me diga um que tenha sido preso em blitz?agora IPVA isso sim, com blitz esta tá entrando nos cofres públicos muito… + me diga uma coisa secretario? O senhor tem ou não tem competencia para fazer algo para mudar este quadro? E não venha falar da gestão anterior, ninguém + consegue ouvir isso. ´´Dinheiro tem, o q falta é gestão´´ esta é a frase do Gov. na campanha. E sinceramente vejo gestão em algumas secretarias do Governo q foram atingidas diretamente pela má administração passada, por ex. a do Sec. Juliano que apesar de nunca conseguir falar com ele, e estar um pouco frustada tenho q admitir q demonstra uma capacidade de gestão bem maior que a sua.

  • È sério a situação de Ferreira Gomes. O Governo Virtual esta escondendo a verdade, ex: uma garrafa de 20 LTS de Àgua Mineral esta custando R$ 30,00 (trinta reais), e o povo tá sendo tratado com quentinhas frias e de péssima qualidade, a água potavel é suja e escassa. DENUNCIE. Este blog é a expressão da verdade e democracia.

  • Ilustríssimo Fernando Bernardo, em minhas singelas palavras nunca afirmei que o Estado, em qualquer forma de acepção, é abstrato, inclusive porque qualquer cidadão de discernimento razoável, que leu minhas singelas palavras, sabe que ele é bem concreto. Talvez você esteja confundido conceitos diferentes. Além disso, não citei, em meu comentário, a Constituição, apenas fiz referência a um artigo do texto constitucional. Novamente, caro Fernando, você confunde conceitos distintos. Por fim, registro que também não exercitei o seu “positivismo”.

  • A violência abrange todos os bairros de Macapá. So colocando policia nas ruas, não resoilve esse grave problema. A situação exige um pulso forte no comando da segurança. Político que so pensa em eleição, não dá!… porque bandido tambem vota. Para bandido, é preciso colocar em prática o trinômio: Se entregar, fugir ou morrer!…

  • É dificil querer que um Novo Governo, independente de que partido seja, conserte em 100 dias o abandono que sofremos durante muito tempo (não digo 8 anos).
    O Estado enfrenta problemas até então desconhecidos a nós, como roubo com reféns, e outros conhecidos, como problemas na saúde pública (e particular!!).
    O que temos que fazer é continuar fiscalizando e cobrando atitudes responsáveis de nossos representantes, mas de maneira ética, não se utilizando de meiso de comunicação (blogs, tv e rádio) para tirar proveito próprio e conseguir agrados, cargos públicos, e outras ajudinhas que se tornaram corriqueiras.

  • Quarta-feira dia 13, aqui no Perpetuo socorro,(a 20m do 6°Batalhão) a policia perseguiu e alcançou dois assaltantes em uma moto, que largaram a moto e entraram em um quintal.Ninguem foi atrás dos bandidos.Mais ficaram TRÊS viaturas olhando em cima da moto caida por quase 3 horas de tempo.Desse jeito não!!!! A o BOPE nessa hora.

  • No poeirão estão ocorrendo brigas com apostas de até R$ 1.000,00 quase todo dia a partir de 1 hora da madrugada, e a polícia não faz nada , ignora como se fosse normal jovens se degladiarem quase até a morte por dinheiro.

  • Alcilene, é a Janaina do twitter e do facebook.
    Então, saiu uma decisão no STF julgando inconstitucional a lei e as prorrogações que instituem os contratos administrativos no Estado de Goiás e do Amapá, inclusive falando em responsabilização dos gestores. A decisão fala em diversas irregularidades em várias áreas: saúde, educação e jurídica por exemplo. Acho que muitos concursos público enfim irão acontecer. Caso seja do seu interesse divulgar –

    Quinta-feira, 14 de abril de 2011
    Plenário: Leis de GO e AP violam obrigatoriedade de concurso público

    Por unanimidade, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) declarou, nesta quinta-feira (14), a inconstitucionalidade de leis do Amapá e de Goiás que permitiram o preenchimento de vagas em atividades típicas de Estado por servidores comissionados temporários, em ofensa ao artigo 37, inciso II, da Constituição Federal (CF), que só admite seu provimento mediante prévia aprovação em concurso público.

    A decisão foi tomada no julgamento das Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs) 3116 e 3602, ambas propostas pelo procurador-geral da República contra os governadores e Assembleias Legislativas estaduais e relatadas, respectivamente, pela ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha e pelo ministro Joaquim Barbosa.

    Os casos

    Ajuizada em janeiro de 2004, a ADI 3116 impugnou a Lei amapaense nº 765/2003, sob o argumento não só de ofensa ao inciso II do artigo 37 da CF, mas também inciso IX do mesmo artigo, ao permitir a contratação temporária de pessoal para execução de serviços tidos por “imprescindíveis ao funcionamento e progresso do Estado”.

    O inciso IX admite a contratação de funcionários por tempo determinado para atender necessidade temporária de excepcional interesse público. No caso do Amapá, entretanto, tais contratações se foram perenizando ao longo dos anos e abrangeram funções que só pode ser exercidas por servidores concursados.

    A ministra relatora Cármen Lúcia lembrou que o ex-território federal do Amapá transformou-se em estado em 1990 e, portanto, pode ter havido, no início do funcionamento de sua estrutura, realmente a necessidade de contratação emergencial de pessoal de saúde, educação, assistência jurídica, servidores técnicos para autarquias e fundações e outros, que ainda não dispunham de quadros técnicos.

    O ministro Luiz Fux observou que, dos autos consta que, logo que a ação foi proposta, o Estado do Amapá prometeu realizar concurso público para preenchimento dos cargos no prazo de um ano, mas disse que até hoje não o fez plenamente. A ministra Cármen Lúcia, corroborando esse argumento, disse que, a cada ano, o governo do Amapá vinha reeditando, com nova numeração, a primeira lei que abriu tais vagas, de nº 192/1994.

    Diante da perpetuação dessa ilegalidade, em muitos casos mesmo depois de decisões da Suprema Corte e, portanto, em afronta a suas decisões, a ministra disse que deveria ser aberto espaço para responsabilização pessoal dos respectivos agentes públicos.

    O ministro Luiz Fux chegou a qualificar esta atitude de “exemplo vivo de desfaçatez inconstitucional”, observando que ela ainda coloca o Judiciário na condição de validar as leis até então editadas, pela impossibilidade de retroagir no tempo.

    Goiás

    Na ADI 3602, o procurador-geral da República impugnou, com argumentos semelhantes, o artigo 16 a da Lei estadual 15.224/05 e do Anexo I da mesma lei, na parte em que criou os cargos de provimento, em comissão, de cinco peritos médicos psiquiatras, um de perito médico clínico, cinco auditores de controle interno, dois produtores de jornalismo, um repórter fotográfico, um perito psicólogo, dois enfermeiros e quatro motoristas de representação.

    O procurador-geral argumentou que “as atividades a serem desempenhadas pelos profissionais descritos na lei não se enquadram nas ressalvas constitucionais (necessidade temporária de excepcional interesse público, artigo 37, inciso IX, da), caracterizando-se como funções meramente técnicas”. Ademais, segundo ele, a lei impugnada “pretendeu atribuir a natureza de cargo em comissão a serviços que não demandam a necessária relação de confiança do nomeante”, contrariando o inciso V do artigo 37 da CF.

    Ao acompanhar o voto do relator desta ADI, ministro Joaquim Barbosa, o ministro Celso de Mello lembrou que o STF tomou decisão semelhante em relação ao Estado do Tocantins, que chegou a nomear 32 mil servidores sem concurso público. “Aqui, o Estado de Goiás foi mais modesto”, observou.

    FK/AD

    Processos relacionados
    ADI 3116
    ADI 3602

  • Todo mundo só está olhando a o ” pico” do problema, a violência urbana: assaltos com reféns, assassinatos, roubos, furtos, aumento do consumo de droga, trânsito louco com várias mortes, por que não tentar resolver o problema na base: Educação, Oportunidades de emprego, inserção social, saúde, ações realmente eficazes nessas áreas vão gerar bons frutos. É só olhar em cidades onde o sistema social funciona e comparar os resultados.
    Um abraço.

  • É Clara! Precisa sim! Repetir a exaustão que este estado foi saqueado, que não existe o hoje sem o ontem, que não haverá futuro deletando as coisas ruins do passado, lembre-se, uma das figuras mis cultuada da re[ública, Rui Barbosa, mandou queimar os arquivos da escravidão no Brasil, permitindo que a discriminação e o preconceito criassem raizes, atravessando o século vinte. Portanto, considero que pouco se fala do que aconteceu na história recente desse estado. Lembre-se, aqui houve uma intervenção, que nos envergonha até hoje, quando os lideres escolhidos pelo povo, simplesmente foram presos e levados pra capital do país. Você acha pouco?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *