Deputada Roseli Matos é eleita presidente da CPI da Amprev

Aconteceu na tarde desta quarta-feira (14) no Plenário da Assembleia Legislativa a sessão de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar denúncias de irregularidades na aplicação dos recursos descontados dos servidores públicos do Estado em favor da Amapá Previdência. A chamada CPI da Amprev empossou a deputada Roseli Matos (DEM) como sua presidente e o deputado Keka Cantuária (PDT) como vice. Já o importante cargo de relator da Comissão ficou com o deputado Charles Marques (PSDC), eleito por 6 a 1 na disputa com Cristina Almeida (PSB).

A reunião inaugural da CPI da Amprev teve a direção dos trabalhos do deputado Keka Cantuária, que é o de maior idade no colegiado. Coube a ele convocar os demais integrantes da CPI para a sessão de instalação e abrir o processo de eleição para os cargos de direção da comissão. Também por votação ficou definido o calendário das reuniões ordinárias da CPI, que funcionará no Plenário da AL às segundas, quartas e sextas-feiras. “Mas como na segunda-feira será feriado estadual a gente decidiu convocar a primeira reunião deliberativa para a terça-feira que vem, às 15 horas”, disse Keka Cantuária.

O autor do requerimento que originou a CPI da Amprev, deputado Zezé Nunes (PV) fez questão de prestigiar os colegas na instalação da Comissão. Regimentalmente ele não pode fazer parte das investigações por ser quem pediu a CPI. “Mas sempre que for possível estarei acompanhando de perto o trabalho da CPI da Amprev, sem poder de voto, claro, mas sendo testemunha ocular das atividades afinal fui motivado por várias denúncias de irregularidades na Amprev e pelos inúmeros servidores estaduais que estão esperando por uma resposta da Assembleia Legislativa”, disse ele.

Falando aos jornalistas, a presidente da CPI disse ser importante esclarecer a opinião pública que apesar das especulações, está consciente da importância e da responsabilidade de dirigir a primeira CPI do ano na Assembleia. “Não vamos julgar ninguém. Nossa atribuição é investigar se existem irregularidades na Amprev, não apenas da atual gestão, mas de todas, desde a criação da Previdência dos servidores estaduais”, disse a parlamentar, que acrescentou “se ao final dos trabalhos concluirmos pela culpabilidade de alguém, vamos remeter o relatório ao Ministério Público, que é quem poderá ofertar denúncia em desfavor dos responsáveis”.

Os demais integrantes da CPI da Amprev são os deputados Charles Marques (PSDC), Júnior Favacho (PMDB), Sandra Ohana (PP), Cristina Almeida (PSB), Bruno Mineiro (PTdoB) e Valdeco Vieira (PPS). A CPI tem o chamado poder de polícia, podendo inclusive convocar gestores e servidores públicos, que em caso de negativa de atendimento, abrem precedente para a chamada “condução coercitiva” para garantir comparecimento às oitivas de testemunhas.

 

Assembleia Legislativa do Estado do Amapá

Departamento de Comunicação Social – Decom

  • O mundo realmente esta para se acabar, quando os eminentes deputados colacam keka cantuaria na vice presidencia da comissão da CPI DA amprev,sabe porque falo isso pois o partido dele o PDT, quando estava no Governo do Estado desviou mais de 426.000,000 dos cofres da previdencia estadual e consignaçoes do contra cheques dos servidores do estado.Povo do Amapá abram bem os olhos, eles querem é desestabilizar o governo atual, inventado estas mentiras, devido ser ano eleitoral.

    • Ehh! Tem razao. Quem sabe o dep KEKA tem alguma explicacao pra tanta robalheira da turma da harmonia. Sera que ele se lembra que foi secretario da SEAD? Olha a transparencia nessa CPI.Fiquemos de olhOOOOOOOO!!

  • Quem é a presidente da comissão mesmo? Deputada Rosely, aproveite e compre cheiro verde, não entendo de culinaria, mas acho que vai num tempero de alguma pizza regional… Palhaçada…. e nós temos que aguentar isso.

  • petrovisck, vc não é o Petkovic mas entende bastante de futebol rsrsrsrs. Falou tudo: Concordo em nº, gênero e gráu com seu comentário
    Abs. Matta.

  • No 1º governo WG, essa deputada teve “problemas de mulher” e se ausentou do plenário para não votar pela abertura de CPI contra atos do então governador. Imagina agora.

  • Vcs ficam o tempo todo reclamando. Vamos acreditar na CPI afinal os deputados foram eleitos pelo povo. Isto que vcs fazem é desreitar toda uma sociedade.

  • Angelo Costa.
    15 de março de 2012 às 0:22

    Concordo plenamente com você Carlos Eduardo. Mas esse cidadão não foi indicado pelo Deputado Zeze Nunes. Ao contrário o Deputado Zeze Nunes e toda Diretoria do PV já solicitou a sua exoneração e indicou um técnico com competência para assumir a SEMA que recentemente passou no Mestrado de Direito Ambiental Dr. Gilvano e que vem conduzindo toda politica pública para as Unidades de Conservação do Amapá, inclusive tema de sua dissertação e que aprovou todos os projetos inclusive as compras de equipamento e infraestruturas para dar vida as unidades de conservação.Realmente esse sujeito que está atualmente na SEMA é do grupo do Alberto Góes e foi indicado para trabalhar no SEBRAE, onde o representava na Fundação Marco Zero por indicação do Alberto Góes e trabalhava na NATURA. Mas de meio ambiente nunca fez nada, inclusive seu diploma não é do Brasil.

  • O relator é o deputado Charles Marques do PSDC de James Nunes que foi ex- militante do PCDOB e também ex-presidente do Conselho penitenciario do Estado do Amapá na época do Governo do Capi, e filho do saudoso mestre ambrozio,vou lhe dizer uma coisa meu amigo Charles tu só têm um defeito não cumpre com o que voce promete, não pense que voce pode comprar a conciência do ser humano seja atraves de promessa de assessoria ou atraves de dinheiro, mais te digo uma coisa a tua reeleição em 2014 não será fácil, pois os amigos que voce traiu estarão de olho em você,volto a dizer admiro muito teu pai homem de palavra ma tu não vale o prato que come.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *