Deputada amapaense é destaque em matéria publicada pela revista Cláudia

Fatima-Reportagem 02-foto

A deputada federal amapaense Fátima Pelaes (PMDB) foi destaque na edição especial de outubro da revista Cláudia. Na reportagem de duas páginas intitulada “A Vida é Bela”, a parlamentar faz um relato de sua vida, desde o nascimento na penitenciária, sua passagem como diretora da extinta LBA (Legião Brasileira de Assistência), até a ascensão na política.

O título da matéria é uma alusão ao filme “A Vida é Bela”. Na reportagem, Fátima Pelaes compara sua vida com sua mãe no presídio, com trama mostrada do filme. Ambientada na dura realidade da Segunda Guerra Mundial, A Vida é Bela é uma comovente película de amor e fantasia, que conta a história da personagem Guido Orefice (Roberto Benigni) que usa a imaginação para criar um mundo fictício para que o filho, Giosué Orefice (Giorgio Cantarini), não perceba que estão em um campo de concentração nazista.

“Recordo-me de brincar com a minha irmã, mas tenho poucas lembranças da prisão, talvez porque minha mãe camuflasse de beleza o que era na verdade muito feio”, diz a parlamentar na reportagem.

Marcionila Pelaes, mãe da deputada, tinha duas filhas quando tirou a vida do marido ao flagrá-lo em adultério com uma vizinha. Depois de julgada, condenada e presa, não abriu mão de levar a filha mais nova com ela. Na cadeia engravidou de Fátima, que teve que viver a dúvida de sua paternidade.

Na matéria, a deputada lembra que sua mãe era jovem e bonita é sofreu violências na prisão. “Para sobreviver ela teve que fazer o que não queria. Cresci sem ter pai e sentia muita raiva disso. Mais tarde, elaborei esse sentimento ao ver como minha mãe superava as dificuldades”, relata ela à revista.

Política

A revista também aborda a ascensão política de Fátima Pelaes eleita, quatro vezes para representar o Amapá na Câmara dos Deputados. A matéria também menciona o destaque nacional que ganhou a parlamentar amapaense ao relatar matérias importantes como o projeto de lei que criou a LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social).

Sua atuação como relatora da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investigou o extermínio de crianças e adolescentes também é lembrada, assim como o projeto de sua autoria que estendeu a licença maternidade às mães adotivas.

Exemplo

Sobre a história de vida de Fátima Pelaes, a líder da bancada feminina na Câmara Federal, deputada Alice Portugal (PCdoB/BA), afirma que a trajetória da parlamentar amapaense serve de estímulo para as demais 45 deputadas e os 468 homens que compõe a Casa.

“O momento em que Fátima revelou sua gênese foi de grande emoção. Ela é uma âncora moral, prova viva de que é possível dar a volta por cima”, diz a deputada baiana na reportagem.

Fátima Pelaes revela ainda a descriminação que sofreu ao ser apontada inúmeras vezes como a filha de uma ex-detenta. “Tenho muito orgulho da minha mãe pela sua força em superar as dificuldades, por ter me ensinado que não devemos desistir nunca dos nossos sonhos, pois quando se pensa que tudo está acabado, devemos lutar. É um novo tempo que está começando”, frisa.

Fátima disse ainda que nunca tentou se promover politicamente em cima desse acontecimentos, entretanto, numa entrevista concedida pela bancada feminina à TV Câmara, deparou-se com inúmeros depoimentos da violências sofrida pelas mulheres detentas em todo país. A deputada revelou em tom emocionado sua saga durante seus primeiros anos de vida.

A partir de então inúmeros jornalista interessaram-se pela sua história de vida e a procuraram para falar sobre o assunto, entretanto, a deputada resistiu inúmeras vezes falar sobre o assunto, mas com da sanção lei das creches, de sua autoria, que garante atendimento aos filhos das detentas no próprio presídio, a deputada, após conversa com a família, entendeu que esse seria o momento de contar a sua história de superação de vida.(Assessoria)

Fatima

  • Bom dia Lene. Conheci dona Marcionila, mãe da Dep. Fátima Pelaes. Dona Branca, como era mais conhecida, era uma pessoa admirável. Morei por uns anos como inquilino da mesma, numa parte de sua casa, na Hamilton Silva. Criou com dignidade 4 filhas, entre elas a minha vizinha Fátima, que sempre foi seu maior orgulho.

  • Os Capiberibes estiveram no goveno durante 12 anos(Governo 8 anos e prefeitura mais 4 anos).E o Estado entrou em um ATRASO TOTAL.E ainda querem jogar a culpa no atual governo.Parece até piada….Bando de doentes!!!!!Ou criticam porque pararam de mamar….???

    • As vezes me recuso a acreditar que exista tanta demência como a que os defensores desse governo corrupto e criminoso demonstram, mas o que realmente justifica isso é a ambição pessoal e ganho facil das benesses dos criminosos e incompetentes governates.
      Não é possivel que não sintam a falta de agua ( sem essa de botar culpa em tubos antigos ), de energia, de atendimento digno na saude, do alto indice de insegurança e do alto indice de corrupção e impunidade.
      Os indicadores estão aí para comprovar e eles se fazem de bestas.
      Cambada de incompetentes, que dependem desse puxa-saquismo para sobreviver.

  • OS CAPIBERIBES NÃO PODEM CRITICAR A HARMONIA POIS VÃO COLIGAR COM O JORGE GRILEIRO AMANAJÁS QUE É UM DOS PRINCIPAIS RESPONSAVEIS PELO ESTADO CRITICO E DE TOTAL ABANDONO QUE SE ENCONTRA O NOSSO ESTADO O PSB PERDEU MEU VOTO E O VOTO DA MINHA FAMILIA E AGORA SIM É O FIM DO PSB NO AMAPÁ

  • Ótima matéria da revista Cláudia, bem apurada, bem escrita, abordagem sensível sem ser piegas nem melodramática, no ponto certo. Gostei de conhecer essa história contada dessa forma, desse jeito. Parabéns aos editores da revista, parabéns à deputada pela postura com que lidou com o assunto durante toda a vida.

  • Maravilha!!! Fátima Pelaes é uma mulher de valor, dotada de alta personalidade.Acompanho a sua trajetória política, desde o primeiro mandato como deputada federal e so encontrei trabalho e compromisso com o povo da sua terra. A sua história, contada por ela mesma, só faz valorizar a sua participação na política do Amapá. Vou publicar um romance, baseado em sua história. Somos muito amigos e confidentes. Que Deus a proteja sempre.

  • Alcilene. Você é admirável. E esse blog virou presença obrigatória pra muita gente que gosta e quer um Amapá melhor. Admiro você e o blog. Mas você tem muita paciencia pra aguentar essas viúvas dos cargos e do poder do Capiberibe, que vem aqui derramar nostalgia e raiva. Se pelo menos formulassem melhor sua posiçao politica. Nao. Sao chatos e falam a mesma coisa. Desculpe nao me identificar. Minha atividade profissional me impede. Mas vou começar a participar com comentários também. Me aguarde.

    • Dr. Invisível. Você disse tudo. Eu também não tenho saco pra aguentar mais o choro das viúvas do Capiberibe. Outro dia eu o vi (Capiberibe) numa entrevista no SBT, me deu pena, sinceramente. Um homem decadente, raivoso, rancoroso, arrogante. Vestido com uma roupa deprimente (acho que a camisa e a calça eram dois tamanhos além do que o dele), demonstrou estar envelhecendo sem amadurecer, sem mudar, com as mesmas velhas idéias de querer mandar no mundo, megalomaníaco e mesquinho.
      Sinceramente. E ainda tem gente que vem todo dia aqui esculhambar todo mundo, enxovalhar a tudo e a todos. Por isso estão definhando, estão sumindo, desaparecendo. Só eles não vêem.

  • Bacana ter uma Dp. Amapaense com uma trejétoria de luta que deu certo, onde as dificuldades foram superadas com a bravura tucuju. Gostei alcilene, Eu não conhecia a história de vida dela, confesso ao ler fiquei chocado…
    Eu pensava que ela era um Michael Jk da vida, nascido em berço de ouro.

  • FÁ,minha amiga, minha comadre, meu exemplo de mulher. Morávamos na Hamilton Silva. Dona Branca foi a responsável por tudo que é hoje essa mulher, mas Fátima é demais especial. Obs., sou tempo que eu a chamava de Lúcia, hoje é FÁ. Parabéns pela matéria.

  • Estranho de entender, uma pessoas com uma história tão bonita, mas amando da burguesia dominante, reveja seus conceitos politicos para retomar o sucesso nas urnas.

  • Só mesmo que não conhece mesmo a história da Fátima, pode falar uma asneira dessa de que ela é manipulada pela burguesia dominante. Fátima é uma das pessoas mas simples e dedicada com a sua missão de representar o povo que eu já conheci, não é atoa que ela já está no seu quarto mandato representando muito bem o estado do Amapá na Câmara. E melhor que isso se destacando nacionalmente com a aprovação de Leis com a LOAS e a Licença Maternidade para Mãe adotiva e este ano emplacou a Lei das Creches, Cristina como deu para observar nenhuma dessa Leis aprovadas que eu saiba, beneficia a burguesia dominante, todas elas beneficia diretamente o povo que está abaixo da linha da pobreza!!! E olha que a Fátima não deve nem me conhece mais eu sei reconhecer o seu trabalho, por isso, pela falta de opção em encontrar um politico com perfil de da Fátima Pelaes sempre ajudo ela anonimamente a voltar para camara com o meu voto… Cristina te aconselho conhecer um pouco mas do trabalho dela e que sabe fazer o mesmo que eu já venho fazendo a três eleição!!! votando na Fátima Pelaes é CLARO!!!

  • Prá quem não tem nenhuma ligação com a Dp.Fátima, valzinha vc tá se queimando muito, acho que vc e da assessoria dela querida.
    Eu não tenho nada contra ela, apenas sou uma pessoa crítica que entendo o papel de cada ator social.
    A história de vida dela não condiz com seu atos politícos mesmo, faça uma restrospectiva de seus acordos politicos na sua trajetória eleitoral, já que vc conhece tanto ela amiga Val assesora. he,ehe,he…
    Ou vc é uma espécie de ditadora? que não gosta que ninguém critique de forma construtiva seu chefe, afinal de contas eu também sou uma eleitora!!.bjs Val

  • Pode bater, que a mulher é parece massa de bola, quanto mais bate, mas ela cresce, vai astar Dp. federal de novo nas eleições de 2010 com fé em Deus, Dn. Cristina pode crÊr.

  • Minha cara Alcilene,

    Acompanho o seu trabalho, sei do profissionalismo apaixonado que a move, e seria uma pena – ou uma omissão-não tornar publico o meu sincero agradecimento pelo espaço dado (e o respeito humano que você demonstrou) ao apresentar a materia da revista Claudia, quando conto (depois de tantos anos de silêncio)o inicio de minha vida
    Mas queria, por intermédio desse blog, agradecer a todos os seus leitores que comentaram a matéria. Quero que eles saibam que a solidariedade espontânea e o carinho sincero que demonstraram foram, para mim, bálsamo, unguento e energético. Bálsamo o consolo que alivia. Unguento a essência que perfuma,energético porque me dá força para continuar. Eles me fazem sentir que vale a pena resistir e superar. Obrigada!

  • Conheço agora esta parte da história da Dep. Fátima Pelaes. Admirável! À todas as pessoas e principalmente as mulheres com histórias de superações, o meu respeito. Um abraço Dep. Fátima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *