Da página do jornalista Luiz Melo

Pés pelas mãos

Até parece que aquela reforma do trapiche foi empurrada goela abaixo de WGóes, porque tudo lá parece malfeito, dos brutais esteios de acapu ao emaranhado de arames sustentando torres, estas sem nenhuma razão de ser.

É quando se peca pela conivência, né, governador?

trapiche-melo

  • O trapiche um dos pouquíssimos locais de visitação turística de Macapá está abandonado há anos e os Amapaenses já podem se despedir dele… Ninguém vai arrumar mais isso aí…. esqueçam…. e partam pro próximo ponto de visitação em Macapá o qual será abandonado também.

    É o Amapá sendo o Amapá que todos conhecemos…. Estado sem Lei, sem Vergonha na Cara, sem Brios, sem NADA…

    O Amapá é o Estado do QUASE….

  • Para quem já foi ao Trapiche Eliezer Levy, nesses últimos dias, vai perceber que NADA MUDOU, apenas uma pintura de qualidade duvidosa, a base de tinta e “globo xadrex”, que após algumas chuvas vai ficar com a tinta lavada. Pintaram de cor LARANJA as peças de madeira do trapiche, o que é isso, descaracterizaram o Trapiche e, ainda, não valorizam a arquitetura que tem a madeira como complemento de beleza. Realmente, o Amapá, nunca acerta. Faça um visita, ainda hoje, e vejam que ali apenas ocorreu uma maquiagem e, nada de reforma pra valer. É o Amapá, sendo o Amapá… VERGONHA….

  • Essa “reforma” que foi feita no Complexo do Trapiche é uma vergonha, pois o material e a técnica emprega são de péssima qualidade. Pois pintaram o emadeiramento do Trapiche na cor Laranja e não trocaram as madeiras que estava podres.

    Realmente o Amapá NÃO TEM JEITO, se esse complexo Turístico fosse no vizinho Estado do Pará, seria uma das maiores atrações, inclusive para os Amapaenses que adoram visitar a Capital do Pará, mas não cobram e não implementam aqui o que acham de “bonito” por lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *