Consulado prevê emissão de vistos e redução no valor da taxa cobrada para que brasileiros possam cruzar a barreira com veículos

 

O cônsul Fabien Roger Gilbert Fourtnet informou aos integrantes da Comissão de Relações Exteriores da Assembleia Legislativa que a emissão de vistos no estado deve começar em 90 dias. O cônsul esclareceu ainda que apenas as pessoas que moram no Amapá serão assistidas pelo serviço. Pessoas de outras unidades da federação do país que queiram o visto deverão recorrer a Brasília. “É uma determinação da França que garante apenas as pessoas que moram no Amapá este serviço, as demais terão mesmo que fazer a requisição por Brasília”, sustentou Fabien Fourtnet.


O comunicado foi durante o encontro entre o cônsul com os parlamentares da CRE, nesta semana. “Estamos no aguardo dos equipamentos, assim que chegarem e forem instalados o nosso pessoal irá passar por um treinamento e em seguida passaremos a fazer a emissão de vistos, que neste primeiro momento terão duração apenas de 90 dias”, contou Fabien Fourtnet.

O cônsul informou ainda que nos dias 3 e 4 de julho irá acontecer em Macapá o encontro da Comissão Mista Transfronteiriça (CMT). Uma das pautas das discussões será a taxa cobrada pelos franceses para que brasileiros possam cruzar a barreira com os veículos no valor de 175 euros. “E uma decisão praticamente certa e o valor deve sim ser reduzido”, adiantou.

Os anúncios feitos por Fabien Fourtnet agradou a CRE. Para a presidente da comissão, deputada Cristina Almeida (PSB) as notícias repassadas pelo cônsul demonstra que a luta pela reabertura do consulado no estado foi acertada. “Abrimos uma janela de oportunidades para a relação binacional e a realização da CMT é a oportunidade para avançarmos sobre outros temas importantes, principalmente, para os brasileiros, como o transporte de cargas e de pessoas e até mesmo o turismo”, ressalta. “Podemos ainda tratar da cooperação cultural, da educação e da cooperação entre as forças armadas dos dois países na fronteira para o combate do tráfico de armas, drogas e de mulheres”, arrematou.
Para o deputado Paulinho Ramos (PR), membro da comissão, os acenos das autoridades francesas é a abertura necessária para que o Brasil possa integrar de vez o país à União Europeia por meio do Amapá. “O primeiro passo para fortalecer essa parceria foi a reabertura do consulado no estado e a partir do encontro transfronteiriço podemos encaminhar propostas que beneficiem os brasileiros como o visto trabalhista entre outras ações para o bom funcionamento da ponte binacional e o controle na fronteira”, reiterou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *