Comunicação: com dados criptografados, novo sistema garante sigilo de operações policiais

 

Em funcionamento há 10 meses, o novo sistema digital de radiocomunicação do setor de Segurança Pública já pode ser considerado como uma consolidada e eficaz estratégia de Estado para o setor.

O mecanismo não só facilitou a comunicação entre os órgãos estaduais e de outras esferas da segurança pública, como pôs fim a um antigo problema: a escuta clandestina de informações sobre operações policiais por parte do crime organizado.

Agora, a comunicação é criptografada, tanto nas chamadas de voz, quanto na transmissão eletrônica de dados sigilosos. Dessa forma, os órgãos da segurança pública podem estabelecer contato entre si sem a antiga preocupação de ‘grampos’ ilegais.

 

Desde que está ativa, a radiocomunicação digital já operou quase um milhão de chamadas, nenhuma delas grampeada. O assessor técnico do setor de Telecomunicação da Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), tenente Edivar Isacksson, afirma que novo sistema possui modelo considerado dos mais modernos e seguros do mundo na transmissão de dados.

Desde que foi implantada, a comunicação digital foi expandida para todos os municípios do estado. Com isso, o sistema passou a integrar as Polícias Militar, Civil, Federal, Rodoviária Federal e Técnico- Científica (Politec), assim como Corpo de Bombeiros (CBM), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen), Ministério Público Estadual e Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap).

Investimento

 

O projeto da radiocomunicação digital é fruto de convênio entre o Governo do Amapá e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

Para sua implantação, foi investido, aproximadamente, R$ 7 milhões, usados para aquisição de 182 rádios móveis, 83 rádios fixos, 787 aparelhos portáteis, entre outros equipamentos, que somam quase 2 mil itens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *