Com tema voltado a educação, Frente Parlamentar lança em Oiapoque a campanha: “Educar para Combater o Feminicídio”

 

A Frente Parlamentar Pela Prevenção da Violência Contra a Mulher e Redução do Feminicidio da Assembleia Legislativa apresentou neste fim de semana, em Oiapoque, norte do Amapá, a Campanha contra à violência com o tema: “Educar para Combater o Feminicídio”.

A coordenadora da Frente, deputada Cristina Almeida (PSB), a vice-coordenadora, deputada Edna Auzier (PSD), e as parlamentares Telma Nery (PSDB) e Aldilene Souza (PPL) – integrantes da Frente – participaram de uma roda de conversa com a prefeita da cidade, Maria Holanda, vereadores, secretários, delegados, estudantes e representantes de Associações de Mulheres.

Na ocasião, foi feita a apresentação sobre o papel da Frente e as legisladores que fazem parte do movimento. “É importante que todos tenham conhecimento de como será a atuação da Frente e como podemos desenvolver ações conjuntas na luta contra o feminicídio”, disse Cristina Almeida.

Como parte da programação, as parlamentares acompanharam a apresentação de peça teatral que abordou a Violência Doméstica, encenada por acadêmicos do campus da Unifap, em Oiapoque. O lançamento da campanha foi na praça Ecildo Crescêncio, centro da cidade.

A deputada Edna Auzier falou sobre a importância da campanha de combate ao feminicídio e como será executado o trabalho pela Frente na capital e nos municípios amapaenses. “Será feito um trabalho de educação tanto com as mulheres quanto com os homens”, contou.

A deputada Aldilene Souza destacou a união das mulheres e que as parlamentares irão cobrar as autoridades competentes quanto a punição dos agressores de forma eficaz e coerente.

Em todas as participações das deputadas, o tema sobre violência contra a mulher e o feminicídio foram abordados. Além de dialogarem, o grupo político ouviu sobre possiveis alternativas para combater o problema.

As representantes da Frente tomaram conhecimento sobre o funcionamento da Rede de Atendimento à Mulher na região e de outros projetos, como o “Projeto Mulheres Libertas”, apresentado pela psicóloga Jaciara Pessoa, que será executado pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

As mulheres do parlamento estadual tiveram conhecimento de uma pesquisa que relata as dificuldades que as mulheres de Oiapoque têm em denunciar quando sofre algum tipo de agressão. Os dados fazem parte um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de uma aluna da Unifap.

Formatura

Em Clevelândia do Norte, as deputadas da Frente Parlamentar pela Prevenção da Violência contra a Mulher e Redução do Feminicídio no Amapá, e o deputado Jory Oeiras, da Comissão de Segurança Pública, participaram da formatura dos soldados, em comemoração ao Dia da Infantaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *