Com o regime de isolamento mais rígido no estado, SENAI Amapá adota logística para não interromper produção de face shields

 Desde que o estado passou a adotar normas de isolamento social rígido (lockdown), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do Amapá estruturou uma logística para que a produção das máscaras de proteção tipo face shield não fosse interrompida. Para isso, e visando a proteção dos técnicos que estão trabalhando, a instituição descentralizou a atividade. Agora, os instrutores podem seguir produzindo os equipamentos de casa, sem precisar se deslocar para a unidade do SENAI.

Foi estruturado um formato em que cinco impressoras foram instaladas nas residências dos profissionais, além deles, uma sexta pessoa fica responsável pelo corte do acrílico e montagem dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). No fluxo de produção estabelecido, após cinco dias, um carro do SENAI passa nas casas, recolhe o material e leva para a finalização. Até o momento, foram produzidos 120 protetores faciais.

De acordo com o coordenador de Tecnologia e Inovação do SENAI Amapá, José Reinaldo do Nascimento, o modelo de trabalho foi construído com o objetivo de, primeiramente, zelar pela saúde de quem está desenvolvendo o trabalho e, também, seguir produzindo o material que é essencial para a proteção de quem está na linha de frente de atuação no combate ao novo coronavírus (COVID-19) no estado.

“Estávamos realizando as impressões na unidade do SENAI, seguindo todas as medidas de segurança e higiene. No entanto, desde que fomos orientados a diminuir o fluxo de pessoas, resolvemos estilizar um formato para que pudéssemos continuar trabalhando. Assim, protegemos nossos funcionários e continuamos fazendo o equipamento tão necessário neste momento”, completou.

As impressões estão sendo produzidas pelos instrutores Elias Brito, Antônio Silva, Mário Nascimento, Raul Barrada e Juan Silva. Já o instrutor da área de Construção Civil, Carlos Santiago, é quem faz a montagem das máscaras.

Doações

Desde que começou a pandemia, o SENAI vem trabalhando em diferentes frentes de combate ao novo coronavírus. Além de produzir as face shields em sua unidade, recebeu doações de mais de 2 mil protetores faciais do SENAI Ceará e do SENAI CIMATEC Bahia. Esse quantitativo foi entregue às Unidades Básicas de Saúde de Macapá, Hospitais do estado, instituições que atuam na segurança, Samu, Secretarias de Saúde, entre outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *