Coluna Café com Notícia

Por Márcia Corrêa e Ana Girlene

Diminuiu e aumentou

Tão logo assumiu a presidência da Assembleia Legislativa (AL), o deputado Junior Favacho (PMDB) reduziu o valor da verba indenizatória de R$ 50 mil para R$ 24.422, 97. No entanto, no início deste mês, a atual mesa diretora da AL sancionou a lei 1704/12, alterando o valor da chamada verba de gabinete. Agora, os deputados do Amapá podem gastar até R$ 58,5 mil com contratação de assessores. O limite corresponde a 75% da verba de gabinete de um deputado federal. Os salários variam de R$ 622,00 a R$ 7.608,28. No total, cada parlamentar dispõe de até R$ 83 mil para despesas com a manutenção do mandato.

Bolsas para quem?

 

Embora a legislação eleitoral proíba a distribuição gratuita de benefícios por parte da administração pública em ano eleitoral, a Assembleia Legislativa promoveu outra alteração na sua estrutura de cargos e salários. Trata-se da Lei 1706/12 que instituiu um Programa de Bolsas de Estudos. De acordo com o ato 010/12 da mesa diretora, o objetivo do programa “é apoiar financeiramente estudantes carentes matriculados e frequentes em estabelecimentos educacionais, públicos e privados”. Os valores das bolsas são de: R$ 300 para os alunos do ensino fundamental, R$ 450 para o ensino médio e R$ 600, destinada aos estudantes do ensino superior.

 

Bolsas para quem II?

Embora a resolução estabeleça como critério fundamental a condição “ser carente”, não está claro quem vai poder concorrer, quantas bolsas estão disponíveis, tampouco o montante de recursos a ser aplicado no programa. A norma, recém-criada, vem preencher a lacuna deixada pelo ex-presidente da AL, deputado Moisés Souza, que firmou parceria com a Fundação Marco Zero para executar projeto semelhante. A fundação chegou a receber da AL cerca de R$ 1,4 milhão/mês em abril, maio e junho. O convênio foi suspenso, a exemplo de outros contratos.

A condição de Dalva

O famoso Café no Bule da deputada federal Dalva Figueiredo (PT) foi servido em longa conversa com o governador Camilo Capiberibe (PSB) durante a semana. Dalva ainda não disse quem apoiará nestas eleições na Capital, tampouco revela o que deseja em troca de sua adesão. Sabe-se apenas que constaria na lista de condições, entregue ao governador, o apoio ao candidato Eliseu Viana (PT) que concorre a prefeitura em Laranjal do Jari. O problema é que lá o PSB também tem candidatura própria, encabeçada por Manoel Pombo (PSB). Uma pesquisa de intenções de votos no Sul do Estado teria sido encomendada para nortear futuras decisões.

Ataque terrorista

A assessoria parlamentar e planejamento estratégico dos sindicatos de policiais federais do Brasil produziu um relatório, avaliando o impacto do movimento grevista e a fragilidade da instituição frente a possíveis ameaças terroristas. Esses dados foram verificados durante a realização das operações-padrão em aeroportos de todo o país. Em um dos trechos do relatório está assinalado que o Brasil nunca esteve tão suscetível a sofrer um ataque terrorista, em razão dos eventos internacionais que serão sediados no País. “Será que estaremos preparados?”, questiona Antônio Blanc, presidente do Sindicato no Amapá.


Pai presente

A Vara de Mediação e Conciliação do Tribunal de Justiça do Amapá promoverá, no próximo dia 31, mais uma edição no projeto Pais e Filhos – Amor Reconhecido. O objetivo é localizar crianças que não tenham sido reconhecidas por seus pais. A coordenadora da Vara, juíza Stela Simone Ramos, revelou durante a semana no Café com Notícia que o Ministério da Educação encaminhou um banco de dados em 2010, com aproximadamente 16 mil nomes de crianças, apenas em Macapá, carentes de reconhecimento paterno. “Procuramos a mãe, oferecemos o serviço e a conscientizamos de que o direito do reconhecimento é da criança e não dela”, explicou a magistrada.

Café pingado

“A prefeitura não precisa do GEA”

A frase, curiosa aliás, é do prefeito Roberto Góes (PDT), que concorre à reeleição em Macapá. Ao ser questionado sobre as condições de infraestrutura da cidade durante o programa Luiz Melo (90.9 FM), Roberto disse que construiu uma prefeitura sustentável. “Nós não precisamos do Governo do Estado. Eles é que precisam do município”, disse. Contradiz completamente a velha justificativa de que a cidade está passando por sérias dificuldades, especialmente de pavimentação, porque o estado não tem feito parceria com a gestão municipal.

Guias indicam

Pesquisa inédita, realizada pela Secretaria de Turismo com mais de 500 guias que estiveram no Amapá, entre os dias 16 e 20 de maio, para participar do XXXII Congresso Brasileiro de Guias de Turismo, elegeu o Museu Sacaca como o melhor ponto turístico da cidade. Outro aspecto positivo destacado pelos entrevistados é a nossa culinária. Por outro lado, a carência de informações na Fortaleza de São José, a precariedade do transporte coletivo, a falta de  pavimentação adequada das ruas e as instalações do Aeroporto Internacional despontam como os principais aspectos negativos.

“Polícia é policia e bandido é bandido”

 

O delegado geral da Polícia Civil, Tito Guimarães, não gostou das declarações do presidente da Associação dos Delegados, Fábio Araújo, sobre a saída de Antônio Uberlândio do comando da Delegacia de Tráfico e Entorpecentes. “Polícia é policia e bandido é bandido. Uberlândio pediu pra sair, mas não estava desamparado. O trabalho vai continuar e nada vai abalar o combate ao tráfico no Amapá”. Sobre o colega Fábio Araújo, Tito pediu mais colaboração. “A associação poderia estar mais engajada e ceder, por exemplo, o prédio onde funciona, para fortalecer o Núcleo de Combate à Corrupção”, provocou.

 

  • “…ainda não disse quem apoiará nestas eleições na Capital, tampouco revela o que deseja em troca de sua adesão…”.
    Licença, vou ali dar uma vomitadinha e já volto…

  • ” Diminuiu e aumentou”,resumindo,nada mudou na AL.Tempos de eleições e não precisa dizer + nada.Todos oa parágrafos aqui se resumem nisto,eleições p/a PMM.

  • A forma do diretor do IMAP lidar com seus subordinados faz com que aumente ainda mais entre eles a rejeição ao nome de cristina almeida.

      • Verdade Paula,tai o erro do governo Camilo,eu acho.Pessoas que deram o “sangue” na campanha p/eleger o Camilo estão de fora,enquanto gente da harmonia estão dentro.Lamento que o governador e seus acessores ainda não tenha aberto os olhos p/isto,pq se fosse o contrário,aposto que a harmonia não manteria pessoas de idéias contrárias em seu governo.Nosso governador corre sérios ríscos de perder a PMM por continuar aceitando essas parcerias indesejáveis.A harmonia tem de ser banida do nosso estado.

  • Assembleia Legislativa é para fiscalizar e legislar e não para dar bolsa. Vale tudo para manter a “Harmonia” na PMM.

    • Estão copiando a gestão da nossa presidenta,simples assim.Os presos por qualquer delito são beneficiados com 900 pratas p/sustentar suas familias,já o trabalhador(àquele que rala),ganha o de fome e ainda fica à mercê desses bandidos que são sustentados com os tributos pagos por nós que ralamos dia a dia.Este é o Brasil dos mensalões,a moda que só muda de nome,mas o endereço é sempre o mesmo,onde tudo acaba em pizza .

  • Considerando que nas últimas semanas tem faltado luz diariamente no Municipio de Laranjal do Jari, fato que dificulta em muito a eleição do candidato do Governo, Manoel pombo, logo logo, a Deputada Dalva vai estar apoiando a Cristina Almeida.

  • ETÂ DEIXE O DIRETOR PRESIDENTE DO IMAP LIVRE PARA TRABALHAR ELE ESTÁ FAZENDO UMA BOA GESTÃO. TÁ ACONTECENDO COM ELE O QUE ACONTECEU COM O GESTOR DA SEMA QUE BASTOU COLOCAR UM RELÓGIO DE PONTO E TUDO MUDOU. MORAL MAURICIO É ISSO AI.PARABÉNS.

  • vou dar um conselho para deputada Dalva. O próximo bule a afundar vai ser a exoneração do seu subordinado do Diretor Presidente da RURAP que é sua a indicação. O todo poderosos não demora para agir, basta ver as últimas exonerações de gestores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *