Coluna Café com Notícia

*Ana Girlene

Girlene-CIMG7951

Reação

 

Ex-procurador-geral do Estado, Marcos Reátegui, requerido pelo MP/AP em ação de improbidade administrativa, achou por bem responder às acusações com ataques aos membros da instituição. A reação de promotores e procuradores foi dura. “As ofensas ao Ministério Público partem de um delegado da Polícia Federal, preso recentemente por decisão da Justiça Federal e afastado de suas funções sob acusação de vários crimes contra a administração pública”, diz trecho de nota assinada pela AMPAP.

MP

 

Eclésia

 

Está marcada para hoje (28), às 8h, a primeira audiência de instrução e julgamento de ações penais decorrentes da “Operação Eclésia”. Desembargador Carlos Tork é o relator do caso, que coloca no banco dos réus o ex-presidente da AL, Jorge Amanajás, o presidente afastado da Casa, Moisés Souza, o deputado estadual, Eider Pena e outras três pessoas: Ary Guedes da Silva, Ana Margarida Marques Fascio e Edielson Pereira Nogueira,

Eclésia II

 

Na denúncia, encaminhada ao TJAP no dia 4 de setembro de 2012, o MP-AP revela suposto esquema que resultou em desvio de R$ 820 mil do Poder Legislativo, através da contratação, sem licitação, da empresa de construção civil (MFX). Segundo Inquérito Civil Público 047/2012, conduzido pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, a empresa recebeu o montante por serviços não executados. Os acusados respondem por formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e ausência de procedimento licitatório.

 

Precoce

 

Matéria publicada essa semana pelo G1/AP exibe levantamento feito pelo Hospital da Mulher Mãe Luzia sobre o número de partos e a faixa etária das mães. Os dados revelam alto índice de gravidez precoce. Em 2013, dos 8,5 mil partos registrados na maternidade, quase metade (3,5 mil), foram realizados em meninas entre 12 e 17 anos. Só este ano já foram cerca de 500 partos em adolescentes de 12 a 15 anos

 

A ausência

 

Os números exibidos pela maternidade revelam a necessidade de implementação urgente de políticas públicas – mais eficazes junto à juventude – que tratem de questões como planejamento familiar, educação sexual e DST/AIDS. Essa moçada parece desconhecer por completo os perigos de uma relação sexual sem proteção. Desafio para SEJUV e Coordenadoria Municipal e Juventude.

 

Diálogo

 

O Tribunal de Contas da União (TCU) em parceria com o Tribunal de Contas do Estado do Amapá (TCE/AP) realizam no dia 11 de agosto, a partir das 8h, no Anfiteatro da Universidade Federal do Amapá (Unifap), mais uma edição estadual do evento “Diálogo Público – Para a Melhoria da Governança Pública”. As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas no endereço www.tcu.gov.br/dialogopublico.

 

Diálogo II

 

O presidente do TCU, ministro João Augusto Nardes, fará a palestra de abertura do “Diálogo Público” no Amapá, onde discorrerá sobre a contribuição da instituição para a governança e o desenvolvimento. Em seguida, o procurador-geral do Ministério Público junto ao TCU, Paulo Bugarin, vai falar sobre inelegibilidade decorrente de julgamento de contas irregulares pelos TCEs.

 

É possível

 

Segundo os coordenadores locais do programa federal de enfrentamento ao uso de drogas, chamado “Crack, é possível vencer”, já estão sendo instaladas cerca de 30 câmeras na área central d Macapá e bairro Perpétuo Socorro, considerados pontos críticos de consumo e tráfico de drogas. O videomonitoramento, um das etapas do programa, visa inibir a ação dos traficantes e identificar usuários que precisam de ajuda.

 

EXPRESSO

“Podemos dizer que herdamos R$ 260 milhões em dívidas da gestão anterior. Isso destrói qualquer fluxo de caixa e prejudica qualquer planejamento”, secretário municipal de finanças da PMM, Paulo Mendes, em entrevista ao Café.

 

“Sem desesperos, ainda temos muitas denúncias para fazer. Advogados à postos vamos movimentar o setor, é nossa contribuição para a classe!”, procuradora-geral de Justiça do MP/AP, Ivana Cei, via twitter.

 

“A Canalhada é na CBF, nas Federações estaduais e nos políticos cúmplices da “bancada da bola” que recebem dinheiro na mala”, senador Randolfe Rodrigues sobre a crise que vive o futebol brasileiro.

“O tal do jeitinho brasileiro é muito assimilado na gestão pública e isso traz graves prejuízos para todos nós”, Xirlene Costa, diretora de fiscalização do TCE/AP.

 

  • Temos que mudar essa história de jeitinho brasileiro, a começar pelo TCE-AMAPÁ, oh órgão para ter comissionados!!!Parentes de figuras locais!! Deem uma olhada no portal da ‘transparência’ lá estão as pessoas de quem eu falo, olhem os sobrenomes!! O TCE tem que acabar também com as fiscalizações e auditorias feitas por comissionados, olhem nos DOEs de 2011, 2012, 2013, o pessoal do TCU sabe disso???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *