Artistas não receberam do Macapá Verão 2012

A diretora-presidente da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult), Márcia Corrêa, reuniu-se nesta terça-feira, 21, no Centro de Convenções João Batista de Azevedo Picanço, com mais de 80 artistas que trabalharam no Macapá Verão 2012. Durante o encontro, ela explicou os motivos do não pagamento da categoria que se apresentou no evento. Márcia explicou que, após análise de uma comissão, os vencimentos serão honrados antes do Macapá verão 2013, por meio de suplementação orçamentária.

 

Márcia Corrêa explicou que a antiga gestão da Fumcult deixou um débito de R$ 156 mil, mas relatório da Associação Sociocultural Cangapé, que assinou convênio para repassar os valores aos artistas, aponta uma soma de apenas R$ 122 mil. Ela disse ainda que uma comissão formada por técnicos da Fumcult, após orientação da Procuradoria Geral do Município (Progem), analisará todos os casos e, posteriormente, o prefeito Clécio Luís quitará, por meio de suplementação orçamentária, os vencimentos antes do Macapá verão 2013.

 

“Essas situações serão sanadas após análise da comissão, que já trabalhava na Fumcult na época do evento e podem identificar quem trabalhou ou não no Macapá Verão 2012. Os demais, que não forem comprovados pela comissão, poderão trazer testemunhas, fotos ou qualquer prova para que possamos constatar a participação deles na programação, para que possamos pagar. Aqueles que não conseguirem a comprovação, nós não poderemos pagar, pois temos compromisso com o dinheiro público”, explicou Márcia Corrêa.

 

O agradecimento da classe artística

 

O cantor Rodolfo Santos enfatizou que não esperava mais receber o dinheiro pela apresentação no Macapá Verão 2012 e elogiou a iniciativa da Prefeitura Municipal de Macapá (PMM). “Eu já dava este dinheiro como perdido. Ainda bem que a Fumcult está resolvendo nossa situação. Agora, com o caso explicado e a quitação assegurada, estou tranquilo”, frisou o músico.

 

Por sua vez, o cantor e compositor Nivito Guedes parabenizou o empenho da Fundação Municipal de Cultura em resolver o entrave e pagar os trabalhadores. “Estou satisfeito com o compromisso assumido pela PMM em honrar o pagamento da classe artística. Entendemos que é preciso apurar e pagar quem realmente trabalhou. Agradecemos à Fumcult pelo diálogo e ao prefeito Clécio Luís pela sensibilidade conosco”, ponderou o artista.

 

Elton Tavares – Asscom PMM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *