Amor em várias formas: No dia nacional da Filantropia, Brasil celebra atos de solidariedade com o próximo

 

No dia 20 de outubro de 2020, o Brasil celebra pela primeira vez o Dia Nacional da Filantropia. O Projeto de Lei nº 2.117/2019, foi de autoria dos deputados federais Antonio Brito (PSD-BA) e Eduardo Barbosa (PSDB-MG), com o objetivo de evidenciar, valorizar e incentivar a participação do cidadão na sociedade.


‘Filantropia’ vem do grego e significa “amor ao próximo” ou “amor à humanidade”. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existe hoje, 276 mil fundações privadas e entidades sem fins lucrativos no Brasil todo. Segundo o Instituto, 5% do total das empresas atualmente fazem parte do Terceiro Setor e esse é o segmento que mais cresce no país.


Com a falta de dinheiro e recursos, por conta da pandemia pelo novo coronavírus, esse movimento ganhou força, dando espaço à solidariedade de forma mais evidente. Empresas privadas e instituições independentes passaram a intensificar suas mobilizações e atividades, para ajudar quem mais precisa.
O projeto Formas de Amar, é uma organização macapaense que tem como principal foco levar alegria e apoio a crianças, adultos e idosos. Hoje com mais de 90 voluntários, o grupo trabalha mobilizando campanhas de arrecadação de donativos e mutirões com atividades recreativas, para proporcionar lazer e qualidade de vida a pessoas em condições de vulnerabilidade.
Fernanda Pinheiro, voluntária responsável pelas redes sociais da Organização, diz que a maior dificuldade na realização das ações, é a falta de apoio. “Muitas pessoas não têm a sensibilidade de se esforçar em algo se não for receber nada em troca. É difícil encontrar pessoas dispostas a ajudar de verdade, são coisas simples. Algumas pessoas querem ter um ‘status’ de voluntário social, mas já abandonaram a função há tempos”, diz Fernanda.
Durante a pandemia, muitos atos de generosidade ganharam destaque, pessoas que mesmo em dificuldade ou que se solidarizaram com alguma situação, não mediram forças para ajudar. “Eu faço trabalho voluntário há 5 anos e a maior mudança que ele gerou na minha vida foi em relação à minha forma de ver as coisas, de perceber o mundo, mudei totalmente a maneira como eu enxergo as outras pessoas. Aprendi a enxergar a realidade do próximo, sair do meu mundo e compreender melhor como o outro vive”.

Conheça a iniciativa através do Instagram e Facebook: @formasdeamarmacapa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *