Vai começar tudo outra vez.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde, Dorinaldo Malafaia, disse hoje ao programa Café com Notícia, da Equatorial FM, que a Assembléia Legislativa está segurando a tramitação do projeto que permite a contratação de dois mil e quinhentos servidores temporários através de contratos administrativos, e acusou deputados de estarem agindo dessa forma para pressionar o governo a fazer concessões, devolvendo privilégios que perderam com a troca de comando no poder local.

A situação é gravíssima. As denúncias do presidente do Sindicato não estão sendo feitas “a troco de nada”. Cerca de dezenove médicos, especialistas, que há três meses não recebem salários ameaçam parar de trabalhar, e pior que isso, alguns deles podem retornar aos seus estados de origem, desfalcando ainda mais o já reduzido quadro dos profissionais da saúde pública do Estado. Os médicos deram um prazo até sexta- feira para que o impasse seja resolvido. A Assembléia diz que o projeto de lei enviado pelo governo do Estado apresentava erros graves, mas diante da reação, anuncia que colocará a matéria na pauta, na próxima segunda-feira.

Corrêa Neto