Projeto de Célula-tronco de dentinho de leite chega ao Amapá

 

Em entrevista ao Café com Notícia, nesta terça-feira, 8, a presidente da Associação Brasileira de Odontologia no Amapá ( ABO-AP), Priscila Flores falou sobre as células- tronco do dentinho de leite. O paciente tem que ir  na clínica fazer uma avaliação, são pedidos alguns exames laboratoriais e feitas radiografias para selecionar o melhor dente para envio. “Então a coleta é agendada e feita pelo dentista credenciado, aqui no caso eu, o dentinho é colocado em solução estéril e recipientes apropriados e enviado para a R•Crio. Lá as células tronco são coletadas do dentinho, multiplicadas, passam por um teste de qualidade e só então são armazenadas através de criopreservação”, explica Flores.


“Essas células têm grande potencial de proliferação e já existem evidências de que o uso delas poderá melhorar a qualidade de vida de pessoas com doenças degenerativas, como a doença de Alzheimer e a doença de Parkinson, além de malformações como lábios leporinos”, relatou Priscilla Flores.


Nosso organismo é formado por diversos tipos de células, que exercem diferentes funções.
As células troncos são versáteis e capazes de se multiplicar e transformar em vários outros tipos de células, passando a exercer suas funções específicas.

E essas células estão presentes no dentinho de leite, aquele mesmo que as crianças trocam e jogam em cima do telhado ou colocam embaixo do travesseiro para a fadinha levar. Quando daí extraídas, tem alta qualidade, pois são muito jovens e sua origem é ectomesenquimalElas têm o potencial de auxiliar na regeneração de tecidos e órgãos como: pele, pâncreas, cartilagem, tecido nervoso, gordura, ossos, tecido cardíaco, fígado, dentes, olhos e músculos. E ainda, podem ser multiplicadas em laboratório, permitindo que sejam usadas em diversas ocasiões.

Já existem alguns tratamentos aprovados com o uso de células-tronco como lesões da córnea, fístulas causadas por doença de Chron e doença enxerto-contra-hospedeiro. E muitos estudos estão em andamento. Além disso, a melhora na qualidade de vida ou até mesmo a cura para condições crônicas de doenças hoje consideradas incuráveis como doença de Parkinson, sequelas de derrames, Alzheimer, autismo e até lesões medulares tornam-se mais próximas.

Por isso a importância de armazenar as células tronco do seu filho e permitir que tenha as melhores opções de tratamento no futuro.
Para tanto, é necessário que se faça a extração do dentinho de leite no consultório com dentista credenciado, pois existe todo um protocolo de coleta, acondicionamento e envio para o Banco de Armazenamento de Células Tronco (R•Crio), nesse momento, para preservação dessas células.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *