Acho que nossas policias estão eficientes em combater, prender, desvendar. Mas podem colocar 500 mil policiais, que não vão dar conta de tudo.

O buraco é mais embaixo.

Bairros estão verdadeiros caldeirões. Outro dia, uma capa do Jornal A Gazeta me chocou: Vários jovens presos pela polícia, no bairro Congós,  já amanhecendo o dia, festejando o sucesso de um assalto, bebendo e fumando crack. Entre esses jovens, menores, meninos e meninas.

Essa juventude que está nos bairros sem ter o que fazer, precisa urgente de ação integrada do poder público, estadual e muncipal,  das secretarias de esportes, cultura, juventude, trabalho e empreendedorismo. Lá, nos bairros, onde os jovens estão mais vulneráveis ao crime.

Ou cansa os caras com atividades. Ou a noite eles estão acordados e descansados, sendo assediados por traficantes e assaltantes mais velhos.

Também precisa começar a ficar claro qual é o eixo de desenvolvimento econômico-social que o atual governo quer. Pra onde vamos caminhar? O que temos a oferecer à juventude? Por qual porta serão incluídos?