Em tempos de combate total ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, os pneus abandonados são considerados inimigos públicos número um por acumularem água parada com facilidade.
Em Macapá, 57 mil pneus dão entrada no aterro controlado de Macapá por ano e ainda existem aqueles retirados de lixeiras, terrenos baldios, borracharias e canais, todos os meses, outro grande desafio é conter a sua queima criminosa, poluindo o meio ambiente com a liberação de dióxito de enxofre.
Na tentativa de minimizar o problema a prefeitura através da secretaria de manutenção urbanística inicia o processo de paisagismo nas praças e rotatórias utilizando esses pneus. Os mesmo servirão de suporte para espécies florísticas. “Cansado de ver pneu usado sendo jogado por todo o lado em Macapá, minha equipe de trabalho e eu, elaboramos um projeto de paisagismo para a cidade usando essa matéria prima. Coisa simples, mas com certeza agradável aos olhos”, diz Eraldo Trindade.
Segundo o secretário, o trabalho de paisagismo neste primeiro momento inicia com 95 pneus, que foram pintados e preparados para serem colocados em praças, canteiro central e rotatórias. Pneus antigos pintados com cores vivas e sobrepostos criarão um visual diferente nos logradouros públicos da cidade a partir desta semana. A equipe começa o paisagismo pelo canteiro central da Feliciano Coelho e segue um cronograma de execução da Semur.

Andréia Freitas
ASCOM/SEMUR