A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (31/07) a Operação João XXI*, para desarticular organização criminosa especializada em fraudar concessão do benefício seguro-defeso. O Prejuízo apurado aos cofres públicos, até o presente momento, supera R$ 69 milhões.


Cerca de 50 policiais federais cumprem 11 mandados de prisão preventiva e 15 mandados de busca e apreensão nas cidades de Macapá, Santana e Laranjal do Jari no Amapá e em Almeirim no Pará. Dentre os indivíduos presos, oito são
servidores públicos, do Ministério do Trabalho (MTb) e do Sistema Nacional de
Emprego (SINE).


Segundo as investigações que tiveram início a partir de um relatório do MTE, foram identificados milhares de requerimentos de seguro-defeso com indícios de irregularidades decorrentes de intervenções indevidas realizadas por servidor do
MTE, lotado na Gerência Regional do Trabalho e Emprego de Caxias do Sul/RS.
A Operação é um desdobramento da Operação Timoneiro deflagrada em abril
deste ano pela Delegacia de Polícia Federal em Caxias do Sul/RS.
Os investigados irão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos
crimes de peculato, inserção de dados falsos em sistema de informações,
organização criminosa e lavagem de dinheiro. Se condenado, as penas podem
chegar a 40 anos de prisão.
*O nome da Operação faz referência à uma passagem bíblica que fala da Pesca Milagrosa.
Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá
[email protected] | www.pf.gov.br
(96) 3213-75