Sobre a manifestação que envolve empréstimos consignados, ocorrida na manhã desta segunda-feira, 5, a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), esclarece que:
1.    Os atrasos se deram em decorrência das frustrações das receitas do Fundo de Participação dos Estados (FPE), que já acumulam desde o mês de junho, mais de R$ 200 milhões;
2.    O Conselho Estadual de Gestão Fiscal decidiu priorizar a folha de pagamento para manter a estabilidade financeira do estado e a manutenção de emprego e renda;
3.    Atualmente o Governo do Estado do Amapá está em dia com o pagamento das negociações com os bancos do Brasil e Caixa Econômica e, recentemente, a Sefaz fechou acordo com o Banco PanAmericano e está em tratativas com o Banco BMG;
4.    A posição de não abrir margem para novos consignados para os servidores é uma decisão nacional das entidades bancárias;
5.    Por fim, salienta que o Governo do Estado continuará mantendo diálogo com os bancos e dando continuidade a novas alternativas para ampliar a arrecadação, a exemplo dos créditos de compensação ambiental, do Programa Tesouro Verde.