Essas foram as palavras do procurador de Goiás, Eduardo Moura, ao referir-se ao avançado modelo de gestão do MP-AP na definição da missão, visão e objetivos do Planejamento Estratégico da Instituição.

Dione Amaral

O Ministério Público do Amapá apresentou o marco inicial de execução dos projetos que fazem parte do Planejamento Estratégico do órgão.  O lançamento foi na última sexta-feira, 21, do auditório do Sebrae. Na platéia, estavam membros, servidores, autoridades e convidados, entre eles o procurador-geral do Ministério Público de Goiás, Eduardo Abdon Moura.

O planejamento estratégico define a missão, visão, valores e objetivos que o Ministério Público quer alcançar para ser uma Instituição de excelência. “É um documento que expressa aonde queremos chegar e como é que vamos fazer para atender a população do Amapá dentro daquilo que é a nossa missão, de defender o direito à saúde, à educação e a garantia de uma vida melhor”, afirmou o procurador-geral do MP-AP, Iaci Pelaes dos Reis.

O grupo gestor do Planejamento Estratégico apresentou os objetivos e os projetos definidos em dois workshop e reuniões realizados em 2008. De acordo com o procurador-geral de Goiás, Eduardo Moura, o MP-AP está entre os quatro Ministério Público que conseguiram chegar nesse modelo de gestão tão avançado.  “É um exemplo a ser seguido, nem o nosso de Goiás chegou a esse nível”, destacou Eduardo Moura que citou ainda como modelo, o MP do Rio Grande do Sul, Pernambuco e Mato Grosso.

Em sua apresentação sobre gestão estratégica, Eduardo Moura, ressaltou as atribuições contemporâneas do Ministério Público em uma atuação baseada em resultados. “Não adianta nada o promotor trabalhar muito se o impacto social dele não aparece. A proatividade significa o cidadão na ponta sentir o reflexo da atuação da Promotoria”, explicou o procurador.

Ao final do evento, todos os presentes receberam a publicação que reúne todos os projetos e programas do Planejamento Estratégico.

Olha eu aí, apresentando o PE

Olha eu aí, apresentando o PE