Brasília, 24/08/2011 – O senador eleito pelo Amapá João Alberto Capiberibe (PSB) participou, em Brasília, da comemoração dos 10 anos de criação da Comissão de Anistia, nesta quarta, 24. A comissão reabilitou os direitos civis de mais de 36 mil pessoas perseguidas pelo regime de exceção. Capi encontrou-se com companheiros da luta política e do período do exílio. Na segunda, 22, João e Janete Capiberibe, anistiados pela Comissão em fevereiro deste ano, foram homenageados em evento da Comissão organizado junto com a Escola de Administração do Amapá e o Governo do Estado do Amapá. Na semana da Comissão de Anistia, 22 dois estados, entre eles o Amapá, e o Distrito Federal realizaram atos em homenagem aos lutadores pela democracia e à memória da resistência.

Perseguidos e presos pela ditadura militar, João e Janete Capiberibe deixaram o país, em 1971, passando pela Bolívia e exilando-se no Chile, Canadá e Moçambique. Enfrentaram a jornada de fuga com a filha Artionka ainda de colo. Os gêmeos Luciana e Camilo, hoje governador do Amapá, nasceram durante a estada no Chile. Voltaram ao Brasil em 1979, com a Lei da Anistia que permitiu a volta dos perseguidos políticos, mas também livrou da culpa os aqueles que haviam derrubado um governo democrático eleito pelo voto.

Comissão da Verdade – No evento, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que confia na aprovação do projeto de lei que cria a Comissão da Verdade (PL 7.376/10). O projeto está na Câmara dos Deputados, mas enfrenta dificuldades para entrar na pauta de votações. Para o ministro, a Comissão da Verdade “vai trazer a reparação da verdade histórica” para que as pessoas possam conhecer os fatos ocorridos no período da ditadura militar.

Texto e fotos:

Sizan Luis Esberci