Prefeito Roberto Góes foi cassado pela quarta vez, ontem, ainda por conta das eleições 2008. A juíza Sueli Pini cassou Roberto por causa de distribuição de tickets-combustível com fins eleitorais, no comitê do deputado Moisés Souza, no segundo turno da eleição.

No próximo dia 12, o Pleno do TRE julga duas cassações de Roberto. Uma é a condenação por causa daquela quantidade imensa de cestas básicas que estariam sendo distribuídas por Kika Guerra, e que os juízes eleitorais flagraram, na véspera da eleição.

A outra é em relação a reunião feita pela primeira-dama Marília Góes, com mães que recebem benefícios sociais do estado. Marília estaria trocando benefícios públicos por votos para o candidato Roberto Góes.

Dizem os entendidos em justiça eleitoral que a situação do prefeito é hare baba.