Dirigindo na Índia

Tem dias que me sinto dirigindo na Índia.

Que bagunça está o nosso transito. Sem faixas em ruas movimentadas como Tiradentes e Odilardo Silva, no Centro, entre tantas outras.

Muuuuitos Motoqueiros. Ciclistas, que são o fator surpresa e aparecem de todos os lados. Motoristas de ônibus que não respeitam nada.

E um monte de motoristas que só sabe mexer na máquina. Que tiraram “aquelas carteiras”, não conhecem a legislação, até por que não estudaram pra tirar carteira, e não sabem que a preferência no cruzamento é de quem vai direto, que não se ultrapassa pela direita, ou que a pista da esquerda é de maior velocidade.  Fora os mal educados e imprudentes de toda a ordem

Penso que é URGENTE uma campanha educativa voltada para os ciclistas. Eles estão no trânsito sem a menor noção de trânsito, surgem de todos os lados, andam na contramão e atravessam onde querem, por desconhecimento. E por isso também, tantas mortes de ciclistas. Além da falta de respeito dos motoristas.

Reconheço aqui o esforço e o trabalho da equipe que assumiu a EMTU neste ano.

Mas convenhamos. A estrutura da empresa é a mesma de quando Macapá tinha 10 mil veículos, e hoje são 70 mil, ou mais.

Cada tempo tem sua prioridade. Inexorável. Investir em um trânsito mais seguro é investir na defesa da vida. E a PMM tem que colocar em sua prioridade de gestão a estruturação da EMTU para que ela fique do tamanho da população que ela tem que atender.

Os deputados estaduais aprovaram semana passada, projeto do deputado Ruy Smith, que inclui o tema “Educação para o Trânsito” nos currículos escolares. Bacanérrimo e necessário. Visão de futuro para formar uma geração melhor que a nossa.

Mas medidas básicas e urgentes são necessárias já. Por parte de todos, – poder público e sociedade, somando esforços para um trânsito mais humano, solidário, prudente.

A vítima fatal ou com seqüelas físicas, tem uma família que a chora, e pode ser uma pessoa querida de qualquer um de nós.

Deixe o carro na garagem

Eu já tomei minha decisão. Onde é possível ir a pé, deixo o carro na garagem.

Mas, para andar a pé, precisamos também de melhor arborização na cidade, que é quente, e de calçadas adequadas.

Mas isso é um outro assunto, e que será abordado em outro post.

  • Alcilene, eu sempre digo que aqui em Macapá o trânsito é tão maluco que corre perigo aqueles que dirigem dentro da lei. Aqui, as regras do trânsito são o inverso da Lei. Cruzes.

  • Pior que é horrível. Praticamente todos, eu vejo pelo menos duas barbaridades. E são de todos. De pedestres a motoqueiros (principalmente esses); de condutores de carros a motoristas de veículos grandes. O nosso trânsito está um caos e um dos fatores, talvez o principal, seja a falta de educação. Trocar semáforos velhos por novos e mais modernos é ótimo, mas ainda falta educação.

  • Pior que é horrível. Praticamente todos os dias, eu vejo pelo menos duas barbaridades no trânsito; e são de todos. De pedestres a motoqueiros (principalmente esses); de condutores de carros a motoristas de veículos grandes. O nosso trânsito está um caos e um dos fatores, talvez o principal, seja a falta de educação. Trocar semáforos velhos por novos e mais modernos é ótimo, mas ainda falta educação.

  • Muito bom Alcilene. Muito ocasional! Nosso trânsito está ficando insuportável! No entanto, os gastos que são feitos em campanhas para um trânsito melhor e mais consciente, seriam melhor aproveitados se, ao lado, se aplicassem as leis seriamente. Veja só, certas pessoas abusam no trânsito porque sabem que tem um apadrinhado que livra a “cara” delas das multas. Precisamos combater isso também. O Código de Trânsito é perfeito, é severo. Mas, o que falta para ser cumprido corretamente?? Falta ser exwecutado severamente – por todos! Achei ótima a iniciativa da Assembléia Legislativa. Mas a educação para o trânsito deve incluir todos e a punição para quem não respeitar, também! Outra coisa que deve ser enfatizada também é a fiscalização da sujeira que algumas lavagens de carro jogam sobre as vias pública. bjs

    • Concordo c/vc,o desrespeito as leis do transito em Macapá é uma prática comum.Penso que estas devem ser aplicadas corretamente e sem conivências(proteção), do poder público p/com os “filhinhos de papai e outros endinheirados ou apadrinhados”.A lei é p/todos,dai deve ser aplicada como tal.São vidas humanas num jogo macabro que é esse trânsito.Meu irmão e seus filhos no final da semana passada(05/09),quase sofre um acidente mais sério,não fosse sua habilidade e reflexo mais rápido dq o outro condutor que o atingiu de raspão.Neste meu irmão se preocupou c/a familia e não conseguiu visualizar o no. da placa,mesmo pq o outro condutor(que já p/outrens que viram, ser 01 menor e + 02 garotos),tratou de desligar as luzes p/que a placa não fosse anotada.Penso serem estes verdadeiros assassinos no trânsito, os quais não prezam a própria vida.O B.O foi feito,resta as autoridades agora apurarem,oque eu cá duvi-de-o-dó que vá acontecer.Dos males o menor,meu irmão e familia estão bem,mas hj o medo nesse trânsito é a sombra deles.

  • Alcilene, campanha educativa não funciona! Muitas pedestres não respeitam a faixa porque têm preguiça de caminhar até ela. Todos nós, ciclistas, motociclistas, e condutores de veículos, vivemos numa guerra diária pelo espaço, queremos chegar cada vez mais rápido e na frente. Macapá é a cidade do desrespeito! E em toda guerra, há mortes! A solução é punir! Exatamente como está fazendo Ericlaudio alencar. Chega dessa demagogia de dizer: “É preciso fazer campanha educativa”. Isso é só uma forma de colocar a culpa no poder público.

    • E nesses semáforos novos que a prefeitura instalou, muitos pedestres não tem a paciência de esperar abrir o sinal exclusivo para os transeuntes. Todos os dias eu vejo isso.

  • Precisa-se urgentemente de fiscalização na rodovia JK, ninguem respeita as novas regras de não dobrar à esquerda ou à direita é uma bagunça no horário de entrada e saída da Famap.

  • Veja Alcilene,
    O que deveria ser feito na hora de se renovar as carteiras creio que não estão fazendo que é reciclar, passar os principais tópicos do CTB relativos à circulação em revista novamente.
    Alguns pontos como: aonde e como se deve ultrapassar; o que é zona de conflito e como deve funcionar; quando devo avisar as minhas manobras (pisca-pisca); quais as velocidades máximas e mínimas permitidas para circular no perímetro urbano; o que é direção defensiva e por fim uma campanha na mídia(televisão, porque quase todos tem acesso) ensinando o ciclista como deve se portar nas vias. Talvez assim melhore o nosso trânsito.

  • O trânsito da índia é bem melhor que o daqui. Lá, há algumas vacas a atrapalhar o andamento dos veículos e dos pedestres. Aqui, porém, há uma enorme quantidade de asnos a estuprar o código de trânsito diariamente.

  • Alcilene, uma campanha completa de educação para o trânsito deve incluir:
    educação sobre trânsito nas escolas;
    sinalização vertical e horizontal das vias públicas com definição de faixas para pedestre e ciclistas;
    massiva campanha na mídia e finalmente; punição aos infratores (que serão poucos após realizadas as etapas anteriores).
    Brasília fez isso no governo Cristovam Buarque, ex-PT hoje senador pelo PDT.

  • Alguem ainda lembra que Macapá já teve pardais??

    Até o “nosso” MP tem culpa, quando entrou com a ação judicial para a retirada dos radares de velocidade…

  • Lene,
    As campanhas educativas têm de começar urgentemente. Já coloquei aki em seu blog algumas idéias. Vou repetir.
    Como a EMTU tem poucos funcionários, ela deve começar devagar.
    1- Colocar de 2ª a sexta feira, de 08 as 13 hs no cruzamento da FAB com a Gal. Rondom , 2 guardas só para educar o pessoal – eu falei EDUCAR – a respeitar a faixa de pedestre. Repetir o mesmo ritual a tarde no cruzamento da Cândido Mendes com a Pe. Júlio. Como esses cruzamentos são os mais movimentados, todo mundo vai saber que não se deve avançar a faixa quando o semáforo – em contagem regressiva estiver ainda no 04, 03 …, pois com a troca dos semáforos todo mundo se acha no direito de avançar, ainda que o mesmo esteja vermelho. Depois ir elegendo outros cruzamentos…até que o povo “se manque”.
    2. Por favor, sinalizar o sinal do cruzamento da Rua Hildemar Maia com a Av. Timbiras. Não sei como ali ainda não aconteceu algo mais sério.
    Finalmente, pedir para o presidente da EMTU, falar com o Pe. Claudinho da Igreja N.S. de Fátima,para saber como ele treina a “Guarda de Fátima”, pois o transito aos sábados e domingos na frente a igreja fica bem bonitinho :):):)
    Bjs.

    • Discordo.
      O que se faz necessário é investir em infraestrutura ( criar estacionamento pago, ciclovias, lombadas eletronicas, passeios para pedestres etc…) e fiscallização rigorosa, usando a caneta “sempre” que uma infração for cometida. mexendo com o bolso do condutor é a melhor educação

  • Cara Alcilene.
    Como já dizia minha vó, “o buraco é mais embaixo”. Vou enumerar alguns motivos que nos fizeram chegar a esse caos, para depois buscarmos as soluções:
    1. Para começar, todos os anos são despejados nas vias de Macapá, em média 13.000 novos veículos (isso sem aumentar um palmo de vias).
    2. De outra feita, todos os anos aqui chegam em média 20.000 novos migrantes (motoristas, inclusive), trazendo seus hábitos de dirigir, basta lembrar da falta de lei em Monte Dourado (motoqueiros dirigem sem capacete, na contra-mão, sem documentos, etc). Para eles não é tomada nenhuma medida de reciclagem.
    3. Como se sabe, o trânsito se assenta em um tripé (engenharia, fiscalização e educação). Pelo visto, só funciona a fiscalização. A engenharia de trânsito ainda não deu as caras por aqui, basta observar a falta de sincronismo (onda verde) entre os semáforos, para desafogar o trânsito; como se pode admitir as vias de escoamento rápido (Leopoldo, Hildemar Maia e Santos Dumont, com estacionamento de ambos os lados? Um lado só permitiria mais uma faixa de escoamento). Educação nem se fala, creio que temos o motorista mais mal educado do país (para testar o que digo, tente pedir passagem a um cara que vai lentamente na pista da esquerda).
    4. Há, lembra do despejo de CNHs naquela eleição?
    5. E o plano de mobilidade urbana que está pronto e dorme numa gaveta qualquer…(nele está previsto ciclovias, vias exclusivas para ônibus, estacionamentos rotativos, etc)?
    6. E os empreendimentos de vulto que não contemplaram estacionamento? O Plano Diretor da cidade está sendo flagrantemente desrespeitado e tudo fica por isso mesmo.
    7. etc, etc. etc, como dizia o Cte.
    Espera aí. Vou alí fechar um bar que está funcionando além do horário e depois te mando minhas sugestões de solução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *