• DIA DA CRIANÇA, DIA DO FILHO

    Há algum tempo venho questionando este dia, porque só dia da criança, e não também o dia do filho, temos dia dos pais, das mães, dos namorados, e uma infinidade da datas comemorativas para homenagear, uma profissão, um parentesco, enfim todos tem seu dia, menos o dia do filho. É bem verdade que por algum momento vamos encontrar um filho, que não se julgue filho porque não sabe quem são seus pais, mais isto é outro assunto, não seria constrangedor esta situação, pois em datas comemorativas já existem o dias dos pais, e os dias da mães, que trocando em miúdos seria quase a mesma coisa.
    Dia das crianças, comemoramos dedicando esta data aos nossos filhos por um certo tempo, até eles deixarem de ser crianças, e porque não estendemos este dia também para o dia dos filhos? seria uma justa homenagem, pois deixaram de ser criança, mais nunca deixarão de ser nossos filhos, homenagem e presentes em datas comemorativas existem sempre com reciprocidade, no dia dos namorados, por exemplo. Como podemos retribuir o presente que ganhamos de nossos filhos no dias dos pais, e das mães, uma ótima oportunidade, seria o dia do filho, já que eles não serão eternas crianças.
    As vezes brincando com os nossos filhos, principalmente na fase de adolescência, temos a mania de, como eles falam, expô-los ao ridículo quando os chamamos de nossos bebês, não fazemos por maldade, e sim por saudade do tempo em que eles eram nossos bebes, muitas vezes esta saudade é uma dívida de atenção, de interação, de parceria , de cumplicidade, que quando eles eram bebês e cobravam isto, estávamos geralmente no auge de nosso vida profissional e não tínhamos tempo, o trabalho absorvia esse tempo que era para dar aos nossos filhos quando eles cobravam e não dávamos aquela atenção que eles tanto queriam, e muitas vezes éramos injustos, achamos de “crianças chatas, que não me deixam descansar, que não me deixam relaxar do stress do trabalho”, e eles cresceram da noite para o dia, sem “me dar a chance de enxergar e entender os que eles queriam”, e agora é tarde querer aceitar o eles queriam e fazer deles as eternas crianças , o tempo passou não foi so para nós pais, que nos estabelecemos profissionalmente, que já não buscamos com tanta vontade a sede de vencer, pois já vencemos, agora temos tempo para os nossos filhos, mais o tempo também passou para eles, agora são eles que começam a seguir o nosso ciclo dar continuidade a nossa espécie, e vão também entender o valor de ser filho sendo pai, foi assim comigo, comecei a amar e admirar e enxergar coisas que não via em meu pai, quando me coloquei no lugar dele. Aquele intransigente filho, que achava que o pai estava errado em tudo. Comecei a ver que ele estava certo, e ao tentar passar para os meus filhos deparei-me comigo mesmo.
    O tempo que perdi, não porque queria, mas, por diversas razões, e razões muitas vezes injustificáveis, com ausências absurdas que muitos pais preferem estar longe da família.
    Mais nem tudo esta perdido, para sermos pais. Também já fomos filhos e nossos pais passaram pelo mesmo caminho, geneticamente não modificado, a chance é resgatar a infância deles, brincando de vovô com os filhos deles, os filhos dos nossos filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *