Blogs do Amapá e da Amazônia na Revista Época

Materaço da Premiada jornalista Eliane Brum mostra ao Brasil um pouco da blogosfera amazônica.

A jornalista amapaense Alcinéa Cavalcante é tratada com grande destaque na revista, com um belo e poético perfil. O jornalista e blogueiro, Altino Machado, do Acre também está em destaque na revista.

Leia em www.alcinea.com

Alcinea-Epoca1

As novas redes da Amazônia

Eliane Brum

Com o dedo no teclado e uma conexão (bem) ruim, os blogueiros do Norte são protagonistas da mais nova saga da integração amazônica

Eles venceram onde projetos de sucessivos governos fracassaram ao longo da história do Brasil. Sem sair de casa, com um computador e uma conexão de internet tão ruim que é conhecida por “ciponet” ou “interlerda”, homens e mulheres de idades variadas vêm conseguindo integrar a Amazônia às demais regiões do Brasil – e ao mundo. Um número cada vez maior de blogueiros tem usado a rede para contar histórias de uma terra que, pela distância, muitas vezes só virava notícia quando era tarde demais. Denunciam desmatamentos, filosofam sobre o cotidiano, fazem literatura, discutem religião, aproximam geografias. Ao botar uma lupa sobre seu quintal, tornam-se cidadãos do mundo. Sua ação transforma o modo de olhar para a Amazônia – e também a forma como a Amazônia olha para as muitas partes de si mesma.

Matéria completa aqui

  • De um certo modo, essa dificuldade de acessar a internet, pode ser entendida como um trunfo, na medida em que a dificuldade em si, dá um certo ar de romantismo, menos por mérito dos gestores do Estado e mais pela vontade amazônica dos blogueiros, contra todas as forças que do Poder emanam. Apesar de muitos comentários desmedidos, os blogs tornaram-se pontos de discussões de assuntos que a Imprensa local – melhor seria grafar com “ç”, ficando “imprença”(sic) – obnubila com suas mentiras de cor marrom. E o coro dos descontentes só aumentou com a perseguição desenfreada do Sarney contra a Alcinéa. Ler blog, no Amapá, virou sinal de inteligência e descrédito dos veículos de comunicação local, todos órgãos não-oficiais do poder; todos lambuzados com a gordura do jabá até a última página de seus panfletos que chamam de jornais.

  • Essa reportagem veio como um petardo desferido nas “partes baixas” daqueles que insistem em fazer em Macapá uma imprensa marrom, comprometida com o interesses dos “poderosos”. O Amapá guardará em sua memória a lembrança de uma pessoa combativa, que não se dobrou à facilidade do “jabá”, que não abriu mão de expor a sua opinião. Seria muito fácil para a Alcinéia Cavalcante fazer como tantos que estão por aí, manchando a história das pessoas que tentam fazer uma imprensa séria nesse Estado, no entanto, ela optou pela honestidade com seus princípios, ainda que isso lhe custe tantos transtornos. O Brasil conhece agora a luta dessa mulher guerreira e, com certeza, nunca, jamais irá ouvir de tanta gente abominável que faz uso dos meios de comunicação apenas visando seus interesses pessoais. Parabéns, Alcinéa. Agora eu quero ver quantos membros dessa dita “imprensa séria” irão fazer referência a essa matéria que coloca o Amapá em destaque de maneira positiva.

  • A repórter d Época conseguiu expressar fielmente o papel da jornalista Alcinea Cavalcante, especialmente na função de blogueira, na resistência aos constantes abusos de Sarney contra os que ousam (poucos, na verdade) fazer jornalismo como tem de ser feito. Se ele rebatesse, tudo bem, mas não, ele prefere sufocar, censurar e matar (financeiramente) quem discute e questiona seus métodos de ganhar votos e de fechar alianças políticas.
    Parabéns à repórter pelo ótimo texto e abordagem interessante…e à Alcinea que aparece bem na foto em uma revista de circulação nacional, literalmente.

  • Orgulho! Somente orgulho é o que sinto em saber que existem pessoas como a Alcinéia Cavalcante no fronte da liberdade de expressão em nosso estado.
    Tristeza! Somente tristeza é o que sinto em saber que existem amapaenses se prestando a bajular um homem que a todo custo tenta calar as pessoas de bem desse estado, mas ele não vai conseguir, mesmo por que, aqui não é o Maranhão, com o deviso respeito ao povo maranhense. Cidadãos amapenses, mirem-se no exemplo dessa mulher de fibra. VIVA A ALCINÉIA!! VIVA OS HOMENS E AS MULHERES DE BEM DO ESTADO DO AMAPÁ! LIBERDADE, LIBERDADE, ABRE AS ASAS SOBRE NÓS…

  • Alcinéia vc está de parabéns, pois eu sei o que é perseguição desenfreada, mas lembre-se de uma coisa existe um deus tão poderoso que à protegi e lhe quer bem não é facil fazer calar os filhos dos deuzes.

  • todos os dias leio materia e comentário escritos por Alcineia, uma das poucas jornalista de prestigios locais e nacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *