URGENTE. Bebê precisa de sangue A+

Olá alcilene, meu nome é Marcella; Meu amigo está com o filinho dele na UTI da UNIMED internado, o Bebe está com uma infecção generalizada, está mal, porém, nesse momento o estado dele é estável. O Sangue que ele necessita para doação é A+, estavamos indo doar qualquer tipagem, pois o HEMOAP fazia as reposições, porém, a tipagem de A+ acabou, e nã há mais como fazer as reposições…
Eviei uma foto dele para você, o nome completo dele é Samuel Benjamin Araújo Figueiredo, é só dizer o nome dele quando forem fazer a doação.
Se quiserem entrar em contato pelos celulares:
81375034 – 91497237 são os números do tio dele!Eu fico grata pela sua ajuda, que Deus lhe abençoe!

  • Bom dia. Sou Diretor do HEMOAP e gostaria de esclarecer algumas questões sobre banco de sangue e o caso do bebê Samuel.
    Os bancos de sangue não são serviços de saúde de emergência, que necessitem funcionar 24h por dia e 7 dias por semana. Para isso existe o estoque preventivo de emergência, para atender aos pedidos de hemocomponentes que chegam nessa forma. Esta é a responsabilidade maior de um banco de sangue, o atendimento de emergência.
    Aqui no Amapá a coleta é feita apenas pelo período da manhã, de segunda a sexta, em virtude do alto índice de descarte de bolsas coletadas no período da tarde. Isso acontece porque o sangue precisa estar limpo, o doador precisa estar descansado, sem ter consumido nenhum tipo de bebida alcoólica ou fumado, ter se alimentado de forma saudável, e pela tarde muitos já estariam inabilitados para doação, principalmente pela alimentação inadequada. Pela quantidade de coletas que o Estado faz, não compensaria para a Administração pública coletar 20 ou 30 bolsas, e ter que descartar metade ou mais. Esse estudo já foi realizado no HEMOAP e desde então ficou estabelecido o horário de coleta apenas pela manhã. Para a nossa demanda por sangue nos hospitais é o tempo suficiente para coletar o necessário.
    Mas iniciamos a última semana com o estoque de emergência zerado em algumas tipagens sanguíneas. Isso aconteceu em função do baixo retorno às nossas chamadas aos doadores fidelizados e da baixa procura espontânea de doadores e candidatos à doação neste período de férias escolares, associado ao aumento na demanda por sangue nos hospitais, públicos e privados do Estado. Abastecemos nossas agências transfusionais pelos municípios e as da capital. São elas que atendem aos pedidos dos hospitais, e os serviços privados são atendidos pela câmara fria no prédio do HEMOAP.
    O momento era crítico, por isso mostramos a realidade do estoque neste período ruim em todo o Brasil na tentativa de conseguir um retorno imediato da população, e felizmente está dando certo. Muitos doadores compareceram durante a semana, e no sábado, quado abrimos excepcionalmente. Mas ao mesmo tempo que as bolsas de sangue são coletadas, outras saem para os hospitais, por isso a necessidade de continuar com os chamados.
    O problema é que está sendo feito de forma desatualizada, como se estivesse zerado ainda o estoque da câmara fria, que atende a rede privada. Os pedidos de hemocomponentes para o bebê Samuel estão sendo atendidos normalmente. Somente ontem, sábado, foram 26 doações em nome dele, com tipagens sanguíneas diversas, inclusive A+. O que acontece muitas vezes é que a Unimed deixa de buscar o pedido de hemocomponentes aos seus pacientes, e isso aconteceu com o Samuel ontem, o próprio pai pôde conferir pessoalmente, ele estava lá e viu a reserva do Samuel e ligou na hora pra Unimed buscar imediatamente. A reserva é feita no HEMOAP e eles dizem aos familiares que não foi mandado, que talvez não tenha… imaginem o desespero da família, que já está emocionalmente abalada, ouvir que não mandaram porque talvez não tenha. A responsabilidade é do serviço privado ir buscar no HEMOAP, mas a Unimed Macapá falha muito neste ponto.
    Estamos trabalhando para sair desse sufoco, e só podemos contar com a colaboração da população. Se não conseguiu doar durante a semana que passou, inclusive no sábado, faça um esforço e retorne nesta semana. Horário incompatível com as necessidades pessoais não pode ser desculpa para deixar de ser solidário. Muito menos motivo para achincalhar, desinformadamente, um trabalho tão sério e comprometido com a vida do próximo.
    Não existe, ainda, sangue artificial. Só o ser humano pode fabricar. Faça sua parte, seja doador voluntário. Doe sangue e ajude a salvar muitas vidas. Um dia você, ou alguém próximo, poderá precisar também. Cada bolsa coletada, com aproximadamente 400ml de sangue, é fracionada em 4 hemocomponentes. 4 vidas podem ser salvas com apenas uma doação.
    Espero ter respondido algumas questões que todos estão levantando. Estamos abertos a quaisquer outros esclarecimentos.
    Obrigado pelo espaço.

    • Uma correção. Quando disse que bancos de sangue não são serviços de emergência, quis dizer que o serviço de coleta de sangue desses bancos. Desculpem-me.

    • Realmente uma boa explicação. Mais que o conteúdo, contudo, creio que merece reconhecimento a disposição em procurar o público e esclarecer. Fica aqui o registro.

      Dito isso, reforço um ponto que norteou as críticas que eu, pessoalmente, fiz ontem: acredito que realmente seria interessante que o Hemoap tivesse um sistema de funcionamento em regime especial pros dias feriais. E penso assim exatamente em razão da importância do serviço prestado por um hemocentro.

      Acho que seria algo válido a se pensar.

  • Bom dia. Sou Diretor do HEMOAP e gostaria de esclarecer algumas questões sobre banco de sangue e o caso do bebê Samuel.
    Os serviços de coleta dos bancos de sangue não são serviços de saúde de emergência, que necessitem funcionar 24h por dia e 7 dias por semana. Para isso existe o estoque preventivo de emergência, para atender aos pedidos de hemocomponentes que chegam nessa forma. Esta é a responsabilidade maior de um banco de sangue, o atendimento de emergência.
    Aqui no Amapá a coleta é feita apenas pelo período da manhã, de segunda a sexta, em virtude do alto índice de descarte de bolsas coletadas no período da tarde. Isso acontece porque o sangue precisa estar limpo, o doador precisa estar descansado, sem ter consumido nenhum tipo de bebida alcoólica ou fumado, ter se alimentado de forma saudável, e pela tarde muitos já estariam inabilitados para doação, principalmente pela alimentação inadequada. Pela quantidade de coletas que o Estado faz, não compensaria para a Administração pública coletar 20 ou 30 bolsas (na melhor das hipóteses), e ter que descartar metade ou mais. Esse estudo já foi realizado no HEMOAP e desde então ficou estabelecido o horário de coleta apenas pela manhã. Para a nossa demanda por sangue nos hospitais é o tempo suficiente para coletar o necessário.
    Mas iniciamos a última semana com o estoque de emergência zerado em algumas tipagens sanguíneas. Isso aconteceu em função do baixo retorno às nossas chamadas aos doadores fidelizados e da baixa procura espontânea de doadores e candidatos à doação neste período de férias escolares, associado ao aumento na demanda por sangue nos hospitais, públicos e privados do Estado. Abastecemos nossas agências transfusionais pelos municípios e as da capital. São elas que atendem aos pedidos dos hospitais, e os serviços privados são atendidos pela câmara fria no prédio do HEMOAP.
    O momento era crítico, por isso mostramos a realidade do estoque neste período ruim em todo o Brasil na tentativa de conseguir um retorno imediato da população, e felizmente está dando certo. Muitos doadores compareceram durante a semana, e no sábado, quado abrimos excepcionalmente. Mas ao mesmo tempo que as bolsas de sangue são coletadas, outras saem para os hospitais, por isso a necessidade de continuar com os chamados.
    O problema é que está sendo feito de forma desatualizada, como se estivesse zerado ainda o estoque da câmara fria, que atende a rede privada. Os pedidos de hemocomponentes para o bebê Samuel estão sendo atendidos normalmente. Somente ontem, sábado, foram 26 doações em nome dele, com tipagens sanguíneas diversas, inclusive A+. O que acontece muitas vezes é que a Unimed deixa de buscar o pedido de hemocomponentes aos seus pacientes, e isso aconteceu com o Samuel ontem, o próprio pai pôde conferir pessoalmente, ele estava lá e viu a reserva do Samuel e ligou na hora pra Unimed buscar imediatamente. A reserva é feita no HEMOAP e eles dizem aos familiares que não foi mandado, que talvez não tenha… imaginem o desespero da família, que já está emocionalmente abalada, ouvir que não mandaram porque talvez não tenha. A responsabilidade é do serviço privado ir buscar no HEMOAP, mas a Unimed Macapá falha muito neste ponto.
    Estamos trabalhando para sair desse sufoco, e só podemos contar com a colaboração da população. Se não conseguiu doar durante a semana que passou, inclusive no sábado, faça um esforço e retorne nesta semana. Horário incompatível com as necessidades pessoais não pode ser desculpa para deixar de ser solidário. Muito menos motivo para achincalhar, desinformadamente, um trabalho tão sério e comprometido com a vida do próximo.
    Não existe, ainda, sangue artificial. Só o ser humano pode fabricar. Faça sua parte, seja doador voluntário. Doe sangue e ajude a salvar muitas vidas. Um dia você, ou alguém próximo, poderá precisar também. Cada bolsa coletada, com aproximadamente 400ml de sangue, é fracionada em 4 hemocomponentes. 4 vidas podem ser salvas com apenas uma doação.
    Espero ter respondido algumas questões que todos estão levantando. Estamos abertos a quaisquer outros esclarecimentos.
    Obrigado.

  • Bem,independente de quem é a responsabilidade,espero que alguém resolva este problema,afinal é uma vida que esta em jogo.

  • Ótimas as explicações do diretor da EMOAP e mais ainda a cobrança de comprometimento da UNIMED, em BUSCAR o sangue coletado.Absurdo hospitais não disponibilizar o serviço de busca na EMOAP,no momento, UNIMED.
    Desejo que o Samuel recupere rápido sua saúde e que tds que precisam tb.

  • Eu sou doador aproximadamente 25 anos B positivo e fui doar para bebe, tambem fui acompanhado meus filhos caio e alerrandro ambos primeira doação, mas preocupante é diretor HEMOAP, estar mostrando falhas UNIMED

  • Infelizmente o pequeno Samuel não resistiu. Espero que a Suzane, o marido e todos aqueles que conviveram com o bebezinho encontrem o conforto e as forças para seguir em frente.

Deixe um comentário para Ivan Daniel Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *