Câmara de Macapá aprova projetos de Clécio Luís que garantem mais segurança para pedestres no trânsito

Danielly Salomão

 

Nesta quinta-feira, 17, os vereadores da Câmara Municipal de Macapá, aprovaram os projetos de lei nº 082 e nº 083, de autoria do vereador Clécio Luís (PSOL/AP), com a finalidade de diminuir os índices de atropelamento e acidentes de trânsito, em especial os ocorridos em cima da faixa de pedestre na capital do estado. Os projetos serão encaminhados para a sanção do prefeito de Macapá.

 

O projeto nº 082 consiste na pintura da figura de uma mão, cada vez que for pintada uma nova faixa de pedestre na cidade, como forma de conscientizar e educar pedestre e condutores de veículos. Segundo a relatora, vereadora Adrianna Ramos (PTC), o projeto já deveria ter sido aprovado há muito tempo pela relevância que a sinalização na faixa de pedestre representa para a população, já que muitos acidentes graves já foram registrados em cima da faixa.

 

O projeto nº 083 implica na implantação da campanha “Dê Sinal de Vida”, que autoriza o município promover ações a fim de educar e conscientizar os pedestres para a necessidade de levantar a mão ao atravessar a faixa e os motoristas de dar a preferência. “Durante pesquisa feita em outros municípios, como Fortaleza, São Luís e também Brasília percebi a importância de campanhas voltadas a segurança dos pedestres. O vereador Clécio Luís está de parabéns pela iniciativa”, declarou o vereador Luizinho do PT.

 

De acordo com Clécio Luís, são frequentes os acidentes de trânsito, sobretudo atropelamentos, que ocorrem em plena faixa de segurança.  “Durante algum tempo difundiu-se de forma equivocada que ao pisar na faixa o trânsito congelaria o que de prática não ocorre. O correto é ao levantar a mão, o pedestre pede a atenção do motorista, que por sua vez percebe a presença do pedestre e lhe concede a passagem na faixa, sendo esse um pequeno gesto suficiente pra garantir a segurança no trânsito”, garante o vereador.

Assessoria de Comunicação

Vereador Clécio Luís

  • Educativa mesmo,tanto p/os motoristas,quanto p/os pedestres.Outro dia vi um senhor com sua familia(numerosa, por sinal)atravessar c/a mão levantada fora da faixa de pedestre,por entre os carros exigindo aos gritos e palavrões, que os motoristas parassem.Ai não dá né mano,fala sério!

    • Concordo com você Carla. Se não for desenvolvida uma exaustiva campanha de educação não só do motorista mas principalmente do pedestre, que entende que só levantar a mão em qualquer local terá seu apelo atendido, muitos acidentes acontecerão.
      Em Belém, em algumas ruas em que foram implantadas as faixas cidadão como a Duque, Marquês e Pedro Miranda já se vê progresso.
      Acredito que se cada um, motorista e pedestre policiar seus direitos e suas obrigações as coisas se tornarão mais fáceis.
      Sds,

  • Acredito que se não houver fiscalização e consciêntização, de nada adianta a lei (Lei é o que não falta). Acho também que estão fazendo uma propaganda tremenda para esse assunto, mesmo que seja relevante, poderiam está debatendo e gastando energia com problemas muito mais urgentes e criticos como o déficit habitacional de Macapá, crise do transporte coletivo (municipal e intermunicipal), a péssima qualidade da malha viária da capital, a extrema falta de arborização e calçamento entre outros assuntos que acredito sejam muito mais relevantes e que sem dúvida impactariam para melhor a qualidade de vida da população de Macapá.

  • Risível, perigoso e inútil. Muita gente vai morrer com a mão levantada sobre as faixas da morte em Macapá. A fiscalização rigorosa e a aplicação de multas já previstas seria mas eficaz.
    O discurso do vereador tem um efeito pertubador, pois ele dá a entender ser obrigação do pedestre a parada dos veículos, a interpretação correta do CTB exige sim a parada de todos os veículos até que o pedestre tenha CONCLUIDO travessia, e não o que ocorre: ultrapassagem de veículos sobre a faixa (vedado pelo código), avanço de veículos quando o pedestre ainda encontra-se fazendo a travessia, etc… EXIJA que a prefeitura mantenha as faixas em boas condiçoes, FISCALIZE e MULTE rigorosamente…

  • Caros Carlos Picanço e Eduardo Dantas, perto adore preocupante é não fazer nada, e deixar como está. A pintura da mão junto a faixa estimulará o pedestre a sinalizar que irá atravessar, pois o fato de pisarmos na faixa, ao contrário do que se difundiu por muito tempo, nã0 “congela” o trânsito como num passe de mágica. Além do que a Lei não substitui muito menos desobriga nenhuma das normas do CTB, NENHUMA! Ao contrário as reforçam. Digo mais, já tramita na Câmara dos Dputados projeto que cria o sinal de trânsito denominado “gesto do pedestre” exatamente o mesmo que estamos estimulando c/ nossa lei. Pra finalizar, muitas das muitas mortes por atropelamento em cima da faixa de pedestre ocorrem em função do equívoco de que ao pisar na faixa o mundo para automaticamente. Brasília vem dando esse testemunho, meus caros.

  • Seria mais eficiente campanha focada nos motorista, mostrando que o respeito é ao pedestre na faixa. A lado da campanha a sinalização próximo a faixa, em resumo:
    1) O motorista deve conhecer os locais onde existam faixas de pedestres (importancia da sinalização em distancia adequanda);
    2) Criação de uma zona com velocidade máxima de 40km/h a 20m das faixas de pedestre;
    3) Exigir que o motorista pare aguarde que o pedestre conclua a travessia.
    Aqui o item mais importante é a criaçao da faixa de velocidade reduzida, este valores deverão ser determinados de acordo com as peculiaridades da via.

    By the way, a existencia de um projeto de lei nao significa que a ideia é eficiente e eficaz

  • Existem dois projetos de lei: o da campanha e o da pintura da mão na faixa. Lembrando que, se todas as leis propostas acompanhassem uma campanha educativa, elas funcionariam.
    Em Brasília o projeto de lei diminuiu os índices de acidentes de trânsito, inclusive com vítimas fatais.Só pra frisar que Brasília tem o dobro de habitantes da cidade de Macapá. O que temos que levar em consideração é que Macapá cresceu assustadoramente nos últimos dez anos, e esse crescimento se reflete diretamente no trânsito. Macapá precisa de mais ações dessa natureza, caso contrário o trânsito vai ser terra sem lei. Reforçar as leis já existentes e reeducar a população para as que estão sendo implantadas, sem dúvida que é necessário. O que eu acho engraçado é que qnd uma lei que destina 100 mil pra deputados, ninguém se pronuncia, mas qnd há um projeto para diminuir os números de acidentes, aparecem dizendo que é um prjeto ridículo. A mãe que perdeu seu filho na zona norte essa semana vai chorar pelo seu filho pelo resto da vida, e ainda assim vão continuar achando esse projeto ridículo. Vamos pelo menos ter senso crítico antes de ter uma postura pessimista com td o que venha do poder público.

Deixe um comentário para jackeline carvalho Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *