Publicidade

Repiquete no Meio do Mundo

Um blog feito na esquina do Rio Amazonas com a Linha do Equador, no Amapá.

Deputados Moisés e Edinho transferidos para o Iapen

Alcilene Cavalcante em 05 de abril de 2017

SELES NAFES

O deputado estadual Moisés Souza (PSC), o ex-deputado Edinho Duarte e o ex-secretário de Finanças da Assembleia Legislativa do Amapá, Edmundo Tork, foram transferidos na manhã desta quarta-feira, 5, para o presídio do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), na Rodovia Duca Serra, zona oeste de Macapá. O lugar é conhecido como “Cadeião”.

O pedido foi feito pelo Ministério Público do Estado, e assinado pela promotora da Vara de Execuções Penais, Socorro Pelaes. Ela se baseou em dois fundamentos: que o Centro de Custódia do Zerão (onde eles cumpriam pena) é destinado originalmente a policiais e ex-policiais; e que as regras internas do centro estariam sendo quebradas para beneficiar os três que cumprem penas que somam 13,4 anos de prisão.

Segundo o MP, agentes prisionais estariam sofrendo assédios de autoridades para que as visitas ocorressem a qualquer momento, entre outras irregularidades. O suposto descontrole teria gerado um clima de revolta nos outros presos.

Leia mais no site SelesNafes.com

Deixar um comentário

Senador Davi Alcolumbre é eleito presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado

Alcilene Cavalcante em 05 de abril de 2017

O senador Davi Alcolumbre (Democratas-AP) foi eleito, nesta terça-feira (04), presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado (CMA). A reunião foi comandada pelo senador José Alberto Souza (PMDB-MA) por ser o senador mais idoso da comissão, conforme determina o Regimento Interno do Senado.

Davi disputava com o peemedebista Hélio José (DF), candidato apoiado pelo senador alagoano Renan Calheiros, líder do PMDB no Senado, que retirou a candidatura de Helio e assim elegeu Davi por aclamação. “O Democratas cumpre e respeita a proporcionalidade indicando o senador Davi” disse o líder do Democratas, Ronaldo Caiado 

O senador José Agripino (Democratas-RN), parabenizou a decisão do PMDB em retirar a candidatura “Buscamos o entendimento no limite máximo e de forma satisfatória prevaleceu o diálogo. Parabenizo a decisão do PMDB de retirar a candidatura e assim preservar a proporcionalidade” avaliou o presidente do Democratas 

Davi presidirá uma das mais importantes comissões do Senado Federal “A CMA trará mais responsabilidades em assuntos tão atuais como os relacionados ao meio ambiente. Defenderei a Amazônia e o Amapá como amazônida nascido no extremo norte do Brasil para que as riquezas naturais da nossa região voltem para os estados da Amazônia.” 

A eleição para a vice presidência da comissão será realizada na semana que vem entre os dezessetes membros titulares e dezessetes membros suplentes.

Deixar um comentário

Publicado no Instagram

Alcilene Cavalcante em 30 de março de 2017

Modelando por aí com a @thinkstore_ap ..
Trilha Sonora de Hoje –
“Amazônica Elegância, de Joãozinho Gomes e Enrico de Miceli”.
Que caboca é essa que inspira confiança.
Que ao mundo se arremessa, com tamanha segurança.
Que caboca é essa que operária não se cansa. E não dada a promessas, Elabora, ergue e avança.
Mameluca

Deixar um comentário

STJ confirma validade das provas colhidas no curso da “Operação Eclésia”

Alcilene Cavalcante em 30 de março de 2017

 

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Mauro Campbell Marques, negou provimento ao Recurso Especial nº 1.651.666 – AP, interposto pelo ex-presidente da Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP), Moisés Souza, contra o Ministério Público do Amapá (MP-AP), na tentativa de invalidar provas colhidas no curso da “Operação Eclésia”.

O recurso tinha por objetivo modificar a decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Amapá (TJAP), quando, em dezembro de 2015 (http://migre.me/wkMnx ), acolheu os Embargos de Declaração com Efeitos Infringentes do MP-AP e rejeitou a Reclamação Constitucional da ALAP contra o Juízo 4ª Vara Cível e de Fazenda Pública de Macapá, que determinou a quebra do sigilo bancário nas contas pertencentes ao legislativo Estadual, dando origem a 50 ações por improbidade administrativa e 26 criminais.

“Quanto à alegada ofensa ao art. 535, do CPC/73, no caso concreto, nos termos em que foi relatado, foi dado provimento aos embargos de declaração e conferidos efeitos infringentes uma vez que, por maioria, o Tribunal a quo tendo em vista verificadas omissão e contradição apontadas pelo Ministério Público do Amapá no acórdão ora recorrido, tendo em vista que não foram indicadas as decisões que teriam sido desrespeitadas pelo Juízo da 4ª Vara Cível de Macapá. Assim não há falar na nulidade decisum”, assinalou o ministro Campbell

Moisés Souza cumpre pena de 13 anos de reclusão pelos crimes de peculato desvio e fraude em licitação e é réu em dezenas de outras ações penais e por improbidade administrativa decorrentes da Operação Eclésia, que revelou um desvio de aproximadamente R$ 50 milhões do Poder Legislativo, envolvendo parlamentares, empresários e servidores da Casa.

Saiba mais http://migre.me/wkMo2

Assessoria de Comunicação – Do MP-AP.

Deixar um comentário

Revista Época. Sobre lançamento de satélite na Guiana.

Alcilene Cavalcante em 30 de março de 2017

BÁRBARA LOBATO – Revista Época

 

A data de lançamento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) ao espaço depende, entre outros fatores, da agenda do presidente Michel Temer, que deseja acompanhar o evento na Guiana Francesa. Inicialmente, o equipamento, que terá uso civil e militar, além de permitir a ampliação da banda larga no Brasil, seria lançado na quarta-feira (22), mas uma greve geral na Guiana Francesa frustrou a programação. A expectativa é que o lançamento ocorra em abril.

Os investimentos no satélite, adquirido de uma empresa francesa, passam de R$ 2 bilhões.

Leia aqui

Deixar um comentário

Entre a Tortura e a Matinta Pereira

Alcilene Cavalcante em 29 de março de 2017

É nessa sexta-feira o lançamento do tão esperado livro do Advogado, Historiador e Doutor, Dorivaldo Santos, o amigo Ney.

O prefácio do livro foi escrito por  Cristina Buarque de Holanda,  Professora do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da  Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ).

Vejam o que a professora Cristina Buarque diz sobre o livro:

“O livro de Dorival da Costa dos Santos compõe exemplarmente este vigor narrativo sobre as práticas de perseguição política da ditadura. E o faz sob novo ângulo, esvaziado do viés “sulista” que atravessa historiografia e consciência nacionais. Dorival convida o leitor a conhecer os bastidores da ação repressiva no Amapá…

Dorival observa, por exemplo, o modo como os governos autoritários afetaram a vida de funcionários públicos – parte significativa da mão de obra economicamente ativa do então território do Amapá. Ao investigar a ação de um improvável Centro de Investigação Sumária (CIS), que devassava a “vida pública e privada de opositores ao regime” e provocava demissões políticas em nome de supostas “irregularidades no serviço público”, este livro investiga uma prática corrente (e pouco comentada) da ditadura no Brasil: o cerceamento ou mesmo a extinção dos meios de sobrevivência material de cidadãos e suas famílias, condenados à miséria econômica pela impossibilidade de reinserção laboral…

Além da expressão particular de um recurso generalizado pelo país afora, o autor também observa uma feição idiossincrática da ditadura no Amapá, entrelaçada ao repertório simbólico local. Ele observa o modo como o Estado se imiscuiu no imaginário popular de seres fantásticos para disseminar o medo e a estigmatização de “comunistas”. Foi assim que os “engasgadores”, nos revela Dorival, se somaram ao “panteão de entidades mitológicas” locais. Em meio ao “curupira”, ao “matinta pereira”, à “cobra Sofia” e à “mãe do rio”, despontaram como figuras entre humanas e fantásticas. Sua ação noturna, combinada a sistemáticas quedas de energia em horários de fluxo de estudantes, instituiu um ambiente de insegurança e pânico generalizados”.

O autor Dorival Santos

 

 

 

2 comentários »

Corram para as montanhas! Caiu quase todo o TCE do Rio de Janeiro

Alcilene Cavalcante em 29 de março de 2017

Da Veja On Line

Nova operação da PF mira TCE do Rio e Jorge Picciani

As ações foram determinadas pelo ministro Félix Fisher do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Cinco dos sete conselheiros são alvos de prisão temporária

Agentes da Polícia Federal (PF) voltam às ruas na manhã desta quarta-feira. Dessa vez, os alvos são conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e o presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani (PMDB), pai do ministro dos Esportes Leonardo Picciani (PMDB). Jorge é alvo de mandado de condução coercitiva, quando o investigado é levado a depor.

As ações foram determinadas pelo ministro Félix Fisher do Superior Tribunal de Justiça (STJ) por se tratar de uma investigação de membros de um Tribunal de Contas Estadual (TCE). A investigação tem por base a delação de Jonas Lopes, ex-presidente do TCE, que fechou acordo com a Procuradoria Geral da República (PGR) e seu filho, o advogado Jonas Lopes de Carvalho Neto, alvos da Operação Descontrole, deflagrada em dezembro do ano passado.

Cinco dos sete conselheiros do TCE são alvos de prisão temporária – são eles: Aloysio Neves, presidente do TCE; Domingos Brazão, vice-presidente; José Maurício Nolasco; José Gomes Graciosa e Marco Antônio Alencar. A conselheira Mariana Montebello é a única integrante do tribunal que não está entre os alvos da operação. Cerca de 150 agentes cumprem mais de 43 mandados no Rio de Janeiro e nas cidades de Duque de Caxias e São João do Meriti, na Baixada Fluminense.

Deixar um comentário

Press Trip Lençóis Maranhenses e São Luiz. Parte I

Alcilene Cavalcante em 28 de março de 2017

 *Marileia Maciel

Um grupo de nove jornalistas aceitou o desafio e foi conhecer Maranhão no inverno, e descobrir as belezas e atrações do nordeste brasileiro nesta época, pouco prestigiada por turistas, e saímos de lá com as melhores indicações. Representando o blog amapaense Repiquete no Meio do Mundo, a convite de Alcilene Cavalcante, fui a única do norte do Brasil a participar deste do Press Trip muito bem organizado por empresas agenciadoras de turismo.      

No Centro Histórico

Maranhão, no inverno ou verão, sempre uma alternativa para quem quer conhecer São Luis, ou se embrenhar nas aventuras das dunas, rios e trilhas ecológicas

 

O inverno no estado do Maranhão guarda para os turistas muitas surpresas, entre os casarões do Centro Histórico, dunas dos pequenos e grandes Lençóis, rios de água preta e limpa, e as trilhas arenosas, onde a vegetação sobrevive à chuva e ao sol. Em quatro dias o visitante pode aproveitar um roteiro inesperado, e curtir o Maranhão fora da alta temporada, abrindo uma nova rota no período chuvoso. Gastronomia regional, pessoas, paisagem, pousadas, beleza, aventuras e relaxamento, podem ser aproveitadas tanto no verão quanto no inverno, e ser uma atraente opção de turismo, mais em conta e com mais tranquilidade em grupo, com família ou sozinho.

 

Centro Histórico de São Luis

Caminhar pelo Centro Histórico de São Luis, é como acordar em um livro ou filme antigo, e com o céu cinza do inverno, o passeio ganha uma aspecto mais atraente . Mesmo com os personagens atuais, é possível voltar no tempo ouvindo os relatos e entrando nos casarões e sobrados, cerca de 5 mil,  a maioria preservados ou em obras. Alguns atualmente são órgãos públicos, outros, foram adquiridos e transformados em agradáveis espaços históricos, mas que os compradores podem consentir uma visita nestes museus particulares.

 

Patrimônio

 

Transformado pela Unesco há 20 anos, em Patrimônio Cultural da Humanidade, o Centro Histórico é também conhecido como Cidade dos Azulejos, por ter muitas paredes dos imóveis do período colonial e imperial, revestidas por estes pedaços de história, marcas das ocupações francesas, holandesas e portuguesas, sendo que as peças de Lisboa predominam.  As ruas, calçadas com pedras de cantaria, que chegaram no Maranhão como lastros de navios portugueses, e a sombra das figueiras e mangueiras, favorecem os passeios pelo chamado Projeto Reviver, criado em 1987 para cuidar do patrimônio arquitetônico e revitalizar o Centro Histórico, localizado na Região da Praia Grande.

 

Mesmo com prédios em obras e fechados, o Centro é um balaio vivo da memória. A arquitetura portuguesa, permitiu prédios com sacadas, janelas que facilitam a ventilação, paredes largas e rebocadas com o lendário óleo de baleia. Um bom lugar e gostoso de ser apreciado, mesmo que de fora, é a Casa Frankie, propriedade do dinarmaquês Frankie, que há 15 anos comprou e restaurou o imóvel, de 1860, que no passado era um cabaré e hoje é uma pousada.  Assim como a maioria dos casarões, a Casa Frankie e a Pousada Lavínia, também outrora bordel, todos os ambientes são ventilados, devido a preservação das janelas e forros antigos, e têm um charme retrô, nos quartos, com camas de estilos clássicos, às salas, decorados com móveis de uma época glamorosa.

 

Tudo é história

 

Nas ruas do Centro também podemos ouvir as verdadeiras e bem humoradas histórias contadas por gerações. Os detalhes chamam a atenção pelo contexto histórico, como o curioso Beco da Bosta, uma ladeira estreita, calçada, que termina na água, que a falta de esgoto, no período colonial levava os escravos a passarem por lá com excrementos das casas dos senhorios. Entre as ricas estruturas arquitetônicas, muitas memórias, e assim como os antigos casarões habitados por imigrantes estrangeiros, o turista pode visitar no Centro Histórico a Igreja Nossa Senhora da Vitória, padroeira dos maranhenses, e o Palácio dos Leões, sede do Governo.

 

 

O antigo e o moderno

 

As ruas também têm particularidades interessantes, que juntam épocas diferentes, sem descaracterizar. A iluminação do Centro é com fiação aterrada, e os postes seguem modelo antigo, com luzes amarelas, que deixam as noites românticas, propícias para sentar um dos bares e restaurantes, ou em uma das esquinas cujas casas  desabaram, e por falta de informação arquitetônica para  serem restauradas, foram transformadas em praças para preservar o espaço.  A arquitetura se adapta, e antigos prédios, mesmo ganhando contornos modernos, como vidraçarias, não brigam com o tradicional. A insegurança generalizada no país, não atrapalha o passeio pela história, que pode ser feito com um pouco mais de tranquilidade,  as ruas são monitoradas 24 horas, e o policiamento, em viatura ou à cavalo, pode ser acionado pelos botões eletrônicos. O turista pode ainda entrar em uma das inúmeras lojas que vendem artesanato e voltar para casa com uma réplica de azulejo, ou artesanato regional.

Serviços de Recepção:

Taguatur Turismo e Eventos

www.taguaturonline.com.br

Facebook: taguaturturismoeeventos

Instagram: taguaturturismo

(98) 2109-6400

(98) 9801-1888 (Dayana Barbosa)

 

Brisamar Hotel

Rua São Marcos – 12 – Ponta D’Areia – MA

Telefone: (98) 2106-0606

Deixar um comentário

Sem água no Cabral – Atualização

Alcilene Cavalcante em 28 de março de 2017

Moradores do Conjunto Cabralzinho têm reclamado diariamente, nas redes sociais, de falta de água

E ontem, o descaso da CAESA com os moradores aumentou: Ficaram na seca o dia inteiro e a noite também.

Misericórdia

Os moradores do conjunto Cabralzinho continuam sem água. Já são mais de 24 horas sem o que é indispensável para o funcionamento de uma casa e para qualidade básica de vida.

Mal humor do povo do Cabral deve estar nas alturas.

 

2 comentários »