“Não quero esquerdistas no laboratório”. Professora da Unifap pede desculpas públicas por assédio contra orientandos

A professora Sheilla Susan Almeida, da Universidade Federal do Amapá (Unifap), usou suas redes sociais nesta quinta-feira (03) para pedido público de desculpas, após dispensar dois alunos/orientandos do curso de Farmácia por conta de posições políticas diferentes.

“Venho me manifestar acerca dos fatos ocorridos em um grupo de WhatsApp que envolve dois alunos, meus orientandos. De início, cabe esclarecer que sou ser humano como qualquer outra pessoa capaz de reproduzir sentimentos instantâneos. Dessa forma, no calor das eleições, acabei me excedendo nas palavras onde disse para dois alunos que procurassem outro orientador. No entanto, minha missão como professora não acolhe esse tipo de conduta, posto que dediquei a minha vida pela educação”.

Ao final ela pede mais uma vez desculpa e menciona os alunos. “Peço desculpas aos meus alunos Líbio e Débora, à sociedade, bem como a Unifap”.

Desde terça-feira (02), circula nas redes sociais um print da professora efetiva da Universidade Federal do Amapá (Unifap) Sheilla Susan Almeida, no qual teria dispensado dois alunos do curso de Farmácia. Na conversa, ela os informa que eles procurem outro professor que possa orientá-los. “Amanhã estarei entregando a carta de desistência da orientação. Sigam a vida de vocês. Se tiver mais algum esquerdista, que faça o favor de pedir deslizamento”, era o que estava escrito no print.

Ao final ela encerra a conversa: “ou estão comigo, ou contra mim”.Os prints circularam o dia todo nas redes sociais. A Unifap confirmou nesta quarta-feira (03), que vai apurar o caso e afirmou, em nota, que o fato se caracterizou como “assédio”.

“A Universidade Federal do Amapá tomou conhecimento por meio das redes sociais de um fato caracterizado como assédio, desta forma, vem a público mostrar sua indignação e contrapor toda e qualquer forma que reprima o pensamento ou liberdade de nossos acadêmicos e servidores.”

“Registra-se que a UNIFAP não concorda com tal conduta e os fatos estão sendo apurados, bem como serão adotadas as providências necessárias após as devidas apurações”, conclui a nota.
A reitoria da Universidade do Estado do Amapá (UEAP) lançou nota se solidarizando e repudiando o assédio contra a aluna doutoranda Débora Arraes da Unifap, que é do quadro de professores da instituição.