Concursos Públicos: governador Waldez anuncia convocação de 305 aprovados e datas de novos editais

Serão chamados 35 aprovados nos concursos do Grupo Gestão, 150 da Polícia Penal, e 120 da Polícia Civil.

O governador do Amapá, Waldez Góes, anunciou, nesta quarta-feira, 27, a convocação de mais 305 candidatos aprovados em concursos já realizados e as datas de lançamento de novos certames para a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar.

Serão chamados para as fases subsequentes à prova objetiva, previstas nos editais, 35 aprovados nos concursos do Grupo Gestão, 150 da Polícia Penal, e 120 da Polícia Civil (par os cargos agente e delegado).

Segundo o governador, o chamamento do Grupo Gestão será publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) ainda nesta quarta-feira, e da Polícia Penal até a próxima segunda-feira, 2 de maio. A convocação da Polícia Civil será publicada no mês de maio.

O comunicado foi feito à imprensa, no Palácio do Setentrião, sede Central do Poder Executivo amapaense.

Góes também anunciou as datas dos editais para os concursos públicos da Polícia e do Bombeiro Militar. Na quinta-feira, 28, será publicado o edital do certame do CBM e na sexta-feira, 29, o da PM. Góes ressaltou que as provas para estes dois certames serão realizadas em datas diferentes, assim, ofertando mais oportunidade aos concurseiros, que poderão fazer os dois certames, caso preencham os requisitos de participação previstos nos editais.

O chefe do executivo também explicou que a agenda sobre os concursos com a imprensa ficará mais frequente a partir de agora, pois há constante atualização de legislação e regras.

“Queremos democratizar ao máximo o ingresso no serviço público à sociedade amapaense. Hoje eu trouxe essas novidades e daqui há 10 ou 15 dias teremos mais novidades, por isso, essa agenda será constante, pois temos previstos nove concursos públicos para este ano”, explicou o governador.

Ele também acrescentou que a realização dos certames e a convocação de aprovados só estão sendo possíveis porque o governo provou aos órgãos de controle a condição legal e fiscal do Estado para absorver esses novos servidores.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/2704/concursos-publicos-governador-waldez-anuncia-convocacao-de-305-aprovados-e-datas-de-novos-editais

MP-AP, Tribunal de Justiça e Polícia Civil firmam Ato Conjunto para distribuição eletrônica de inquéritos policiais


Na manhã desta segunda-feira (25), o Ministério Público do Amapá (MP-AP), o Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP) e a Delegacia Geral de Polícia Civil (DGP) firmaram o Ato Conjunto Nº 001/2021 – TJAP / MPAP / PCAP que regulamenta a tramitação de Inquéritos Policiais (IPs). A iniciativa, que foi debatida em reuniões desde julho de 2021, tem como objetivo regulamentar a tramitação virtual dos inquéritos policiais para dar celeridade e facilitar a comunicação interinstitucional.

Assinaram o Ato Conjunto: a procuradora-geral de Justiça do MP-AP, Ivana Cei; o desembargador-presidente do TJAP, Rommel Araújo; o delegado-geral da Polícia Civil do Amapá, Uberlândio Gomes; e o corregedor-geral do Tribunal de Justiça, desembargador Agostino Silvério Júnior.

“O documento trata do trâmite de inquéritos policiais de modo virtual e isso, entre outros pontos, sem dúvida facilitará a comunicação entre o Poder Judiciário, MP e Polícia Civil, até porque todas as nossas investigações são encaminhadas para uma conclusão do Ministério Público e a algumas, quando necessitam de medida cautelar, vão para o juiz da Vara”, explica Uberlândio Gomes.

Segundo o juiz auxiliar da presidência do TJAP, Nilton Bianquini Filho, a Justiça do Amapá deve adequar seus sistemas de gestão processual para possibilitar a concretização da iniciativa. “O Ato Conjunto regulamenta a tramitação dos inquéritos de forma a possibilitar essa marcação, do início ao fim do inquérito, de um promotor específico”, explicou o magistrado.

A procuradora-geral de Justiça do MP-AP ressaltou os benefícios e parabenizou a assinatura do Ato Conjunto. “Essa iniciativa do Tribunal de Justiça foi maravilhosa, pois põe uma linha de atuação do TJAP, o MP-AP e a Polícia Civil, o que facilita a celeridade processual de forma geral e nos permitirá dar vazão mais eficiente à alta carga de inquéritos em nossas mãos, com isso as denúncias serão otimizadas, então, nós do Ministério Público, só temos que agradecer pela parceria”, afirmou Ivana Cei.

Leia mais sobre as tratativas que resultaram nesta regulamentação acessando os links:

http://www.mpap.mp.br/noticias/gerais/mp-ap-e-tjap-discutem-adequacao-na-distribuicao-eletronica-de-inqueritos-policiais-para-varas-criminais

http://www.mpap.mp.br/noticias/gerais/a-distribuicao-eletronica-de-inqueritos-policiais-para-varas-criminais-e-discutida-pelo-mp-ap-com-tjap-e-policia-civil

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá

Em três meses, Delegacia de Crimes Cibernéticos soluciona mais de 90% das investigações

Com três meses de funcionamento, a Delegacia de Crimes Cibernéticos e Atendimento ao Turista já atendeu mais de 400 ocorrências solucionando 90% dos casos, que, em sua maioria, estão ligados a estelionato. A unidade especializada da Polícia Civil funciona no Aeroporto Internacional de Macapá e foi entregue pelo Governo do Estado em 14 de setembro, como parte das estratégias de fortalecimento da Segurança Pública.

SAIBA MAIS: Estado Forte, Povo Seguro: Governo entrega Delegacia de Crimes Cibernéticos e Atendimento ao Turista

A delegada titular da unidade, Áurea Uchôa, detalhou o desempenho na resolução dos casos e quais os crimes mais recorrentes.

“Conseguimos identificar infratores e concluir as investigações em mais de 90% do total de ocorrências registradas aqui e das encaminhadas por outras delegacias. Estelionato, por exemplo, corresponde a mais de 65% de todos os registros da delegacia”, explicou Uchôa.

“Houve casos que envolviam, inclusive, criminosos de outros estados, como Pernambuco, que aplicavam golpes no Amapá. Conseguimos não apenas identificar os autores como indiciá-los”, completou.

A delegada detalhou ainda que outros delitos correspondentes ao restante dos registros são os crimes contra a honra – calúnia, difamação e injúria -, extorsão e ameaça. No apoio ao turista, são mais frequentes as ocorrências de perda de documentos, extravio de bagagens e furto, embora em menor frequência.

Fortalecimento da Segurança Pública

A Delegacia de Crimes Cibernéticos faz parte da reestruturação da Polícia Civil, que otimiza investigações de casos de corrupção, organizações criminosas e crimes cibernéticos, por meio da Lei nº 2507, proposta e, após aprovação na Assembleia Legislativa do Amapá (Alap), sancionada pelo governador, Waldez Góes, em 13 de agosto.

O projeto permitiu também a criação das Coordenadorias Especiais de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Ceccor) e de Operações e Recursos Especiais (Core).

VEJA TAMBÉM: Governador do Amapá sanciona lei anticorrupção e contra crimes organizados e cibernéticos