Linha de crédito lançada pelo Governo do Estado impulsiona startup da construção civil no Amapá

Cerca de R$ 4 milhões foram repassados para programa que vai financiar startups do estado

Impulsionando a inovação na construção civil, o Governo do Estado liberou crédito para a startup amapaense Mazodan, que utiliza sedimentos do Rio Amazonas e rejeitos de mineração na composição de argamassa polimérica. A ação faz parte do Inovacred, financiamento lançado durante o Startup20 no Amapá, que integra o Plano de Governo da gestão para fortalecer as atividades econômicas na produção de bens e serviços pela iniciativa privada.

Para o CEO da startup, Michael Carvalho o recurso concedido pela Agência de Fomento do Amapá (Afap) vai permitir a aquisição de equipamentos e máquinas para os processos laboratoriais que comprovam a qualidade do produto para o cliente e reduz os impactos no meio ambiente.

“Ao invés de trazer material de outros lugares, estamos desenvolvendo uma indústria local, com recursos próprios. Dessa forma, o Estado economiza bastante, pois não depende de tecnologias e matérias-primas de outras regiões. Usamos o que existe no nosso próprio bioma e criamos um processo de industrialização inovadora”, destacou o CEO.

Inovacred

Em fevereiro deste ano, durante o Startup20 no Amapá, evento internacional de inovação e tecnologia, o Governo do Estado lançou a linha de crédito destinada a empresas inovadoras, como parte da política de fortalecimento do empreendedorismo criativo e sustentável.

Cerca de R$ 4 milhões foram repassados para o Inovacred, programa que vai financiar recursos por meio da Afap e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Startups

As startups são empreendimentos com modelo de negócios inovador, com impacto social e que solucionam problemas.

Presentes no dia a dia de todos, são empreendimentos com modelo de negócios escalável, repetível e guiadas por uma ideia transformadora, com impacto social, seja um produto ou serviço e que soluciona problemas. Em 2023, a média de faturamento de cada startup no Brasil foi de R$ 876 mil, de acordo com a Associação Brasileira de Startups.

As startups também se caracterizam pela necessidade de tornar o empreendimento sustentável dentro do mercado econômico, sendo consideradas empresas de alto potencial e risco, principalmente no seu início, sendo modelos de negócio perfeitos para quem possui perfil empreendedor.

‘Sonho abrir uma confeitaria’, diz diarista ao conhecer linha de crédito ‘Bora, Mana!’, do Governo do Amapá

O Governo do Amapá realizou neste sábado, 6, o primeiro encontro do programa ‘Bora, Mana!’, que busca impulsionar a transformação social na vida das mulheres, que representam mais de 50% da população amapaense. A iniciativa incentiva o empreendedorismo com linha de crédito para quem já tem um pequeno negócio ou deseja iniciar uma nova fonte de renda, além de promover vários cursos.

Acolhida pelo Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram), a diarista Surama Rocha comemorou a iniciativa do Governo do Estado, e conta que sonha em abrir uma confeitaria e aperfeiçoar as técnicas de produção de bolos.

“Faço bolos há uns dois anos e apareceu essa oportunidade quando fui ao Cram, então, pra mim é importante porque sonho, não é de hoje, em abrir uma confeitaria, ter meu próprio negócio. Tenho duas filhas e quero trabalhar para mim mesma, não fazer mais faxina. Assim eu terei minha renda e cuidarei delas”, disse Surama, empolgada.

O “Bora, Mana!” integra e fortalece as políticas públicas do Plano de Governo da gestão, criadas para gerar mais oportunidades. Essa é uma estratégia para transformar o empreendedorismo em ferramenta de liberdade econômica e individual. 

O programa é realizado em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-AP), que capacita e orienta as empreendedoras no desenvolvimento dos negócios, e com a articulação de emendas pelo senador Randolfe Rodrigues.

A secretária de Assistência Social do Amapá, Aline Gurgel, reforça que o programa, além de inovador, está de acordo com os objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), e procura alcançar aquelas mulheres que estão em vulnerabilidade social.

“O Governo do Amapá está apontando o caminho de empreender, porque além da qualificação com o Sebrae, também vai investir um aporte de recursos, através da emenda do senador Randolfe Rodrigues, para que essas mulheres montem o seu próprio negócio, trilhando seu próprio caminho, da independência financeira”, concluiu a gestora.

Bora, Mana!

Lançado no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, pelo governador Clécio Luís, o programa conta com uma linha de crédito pensada para impulsionar a transformação social na vida das amapaenses. O financiamento vai contemplar mulheres que já são empreendedoras e aquelas que ainda têm somente a ideia de montar o próprio negócio.

A linha de crédito do “Bora Mana” será liberada pela Agência de Fomento do Amapá (Afap). Os valores podem chegar até R$ 20 mil, com taxa de juros de 1,2% para pessoas sem restrições de crédito, e de 1,8% para mulheres que apresentam algum tipo de restrição.

Amapá Solar: saiba como acessar linhas de crédito para investimentos em energia renovável

Empreendedores, servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada têm opções de financiamento da Afap

Já está disponível para acesso a linha de crédito do programa Amapá Solar – criada para ampliar a produção de energia renovável, com foco no desenvolvimento do mercado e qualificação profissional. Com investimento inicial de R$5 milhões, o incentivo é parte integral da agenda de crescimento sustentável e implantação da Nova Economia do Amapá, plano do Estado para o desenvolvimento da economia circular no período 2022-2030.

LEIA MAIS: Amapá Solar: Afap dialoga com empresários linha de crédito para produção de energia solar

A linha de crédito do Amapá Solar é destinada a empreendedores para instalação dos sistemas fotovoltaicos, com taxa de juros de 1,10% ao mês e carência de quatro meses. O prazo do financiamento nesta modalidade é de 60 meses, com consumo médio de até 1.500 kwh/mês.

O programa é coordenado pela Agência de Desenvolvimento do Amapá e Agência de Fomento do Amapá (Afap).

Afap Construir

Outra novidade é que a linha de crédito Afap Construir será readequada para instalação de sistema fotovoltaico. Ela é destinada para servidores públicos do Estado e trabalhadores da iniciativa privada que sejam vinculados a empresas parceiras. A taxa de juros é de 1,10%, sem carência, o prazo do financiamento é de 60 meses, o critério de consumo médio também é de até 1.500 kwh/mês.

De acordo com a Afap, a implantação do sistema de energia, seja na residência, ou no empreendimento, traz maior economia e eficiência energética, além da geração de emprego e renda para os amapaenses em um mercado que só cresce.

O diretor-presidente da Afap, Francisco de Assis, incentiva as vantagens de acessar as linhas de crédito que estimulam a ampliação da energia renovável no Amapá.

“Ofertamos ao empreendedor e servidor a taxa de juros mais baixa do país, o prazo de financiamento é de 60 meses. A implantação do sistema de energia fotovoltaica irá gerar mais emprego e renda para os amapaenses”, pontuou Assis.

Saiba como ter acesso às linha de crédito da Afap:

Primeiro passo

O cliente vai até o fornecedor das placas fotovoltaicas onde solicitará um orçamento de acordo com a sua necessidade, em seguida deve verificar as condições de financiamento para a linha de crédito que está disponível no site da Afap – https://www.afap.ap.gov.br/ ou no guichê de atendimento do órgão; reunirá a documentação necessária e solicitará financiamento na Afap.

Segundo passo

O cliente deve levar a documentação de acordo com a linha que deseja acessar; realizar o cadastro da proposta onde incluirá documentações pessoais e análise de documentos da empresa; análise do crédito (visita in loco, parecer da visita e comitê de crédito) e resposta ao cliente (aprovação ou não do financiamento).

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/2303/amapa-solar-saiba-como-acessar-linhas-de-credito-para-investimentos-em-energia-renovavel