Governo do Amapá implanta plano estadual ‘Vini Jr’ de combate ao racismo nos estádios e arenas esportivas

Lei ‘Vini Jr’, sancionada pelo governador Clécio Luís, prevê criação de protocolo e atividades educativas durante os jogos.

O governador do Amapá, Clécio Luís, sancionou na quarta-feira, 3, a lei que institui o plano estadual “Vini Jr”, de combate ao racismo nos estádios e arenas esportivas. A lei Nº 3.010, prevê a criação de protocolo e realização de atividades educativas nos períodos de intervalo ou que antecedem eventos esportivos e culturais no estado.

A legislação, de autoria do deputado estadual Pastor Oliveira, permite que qualquer pessoa presente no estádio ou arena, seja jogador ou torcedor, denuncie condutas racistas durante uma partida, permitindo a interrupção do jogo, sem aplicação de penalidades legais ou regulamentares aos clubes.

Quando houver a identificação de comportamentos racistas, as autoridades presentes informarão imediatamente o juizado do torcedor, o organizador do evento esportivo e o delegado da partida. Em seguida, o Ministério Público, a Delegacia de Polícia especializada e a Defensoria Pública serão acionadas.

Os organizadores devem pedir ao árbitro que paralise imediatamente o jogo, que não será retomado até que cessem as atitudes racistas. Após a interrupção, se as condutas persistirem, o árbitro será informado sobre a decisão de encerrar a partida.

Para alcançar mais pessoas, a divulgação do protocolo ocorrerá por telões, alto-falantes, murais, telas, panfletos ou outdoors existentes nos estádios e arenas.

Casos de racismo no futebol

O tema do racismo no futebol ganhou grande repercussão após atos discriminatórios contra o jogador brasileiro Vini Jr., do Real Madrid. Após celebrar um gol, ele enfrentou uma onda de ofensas racistas feitas por torcedores espanhóis rivais. O jogador denunciou os insultos, ganhando apoio internacional e se tornando um símbolo na luta anti-racista.

Durante o Amapazão 2023, campeonato estadual de futebol, jogadores de Independente e São Paulo fizeram um gesto contra o racismo, erguendo os punhos, em apoio a Vinícius Júnior, e os torcedores presentes no Estádio Zerão, em Macapá, também manifestaram apoio, estendendo uma faixa em defesa do atleta brasileiro.