Hemoap continua com campanha de doação de medula óssea para mobilizar voluntários no Amapá

 

O Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap) continua com a campanha “Doe esperança. Doe vida. Doe medula óssea”, para chamar doadores voluntários e levar informações aos amapaenses sobre o procedimento de doação. A medula óssea é um tecido líquido-gelatinoso que compõe a parte interna dos ossos. No “tutano”, nome popular da medula óssea, os componentes do sangue, como hemácias, leucócitos e as plaquetas, são produzidos. A doação é indispensável para o tratamento de patologias que comprometem a produção normal dessas células sanguíneas.

O Hemocentro realiza o cadastro no Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), que faz o cruzamento de dados para identificar compatibilidade entre doadores e receptores. 

O transplante consiste na substituição da medula óssea deficitária por células normais, para que haja a reconstituição de uma nova medula potencialmente saudável. Para se tornar um doador, é necessário procurar o Hemoap e realizar o cadastro no Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome)
O enfermeiro responsável pelo Redome no Amapá, Fabiano Fonseca, explica que o processo de cadastramento é rápido e fácil, e reforça a necessidade de novos doadores voluntários.

“Após cadastradas as informações, uma amostra do sangue coletada do possível doador é enviada para análise laboratorial. Após a análise e resultado dos exames, o nome do doador é disponibilizado na rede. Quanto mais pessoas cadastradas, mais chances de compatibilidade, já que a possibilidade de um dador ser compatível com um receptor é de uma para cem mil”, disse o enfermeiro.

O Redome é um programa internacional que realiza o cruzamento de dados dos possíveis doadores e receptores cadastrados no Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (Rereme). Atualmente, 32 mil amapaenses estão cadastrados no sistema de doação de medula óssea. No Brasil são 5 milhões de cadastrados e, a nível mundial, 30 milhões.

O estudante Juliano Marinho, de 20 anos, procurou o Hemoap para realizar cadastro no Redome, por influência positiva da mãe, que também é doadora de sangue e de medula óssea.

A doação é indispensável para o tratamento de doenças que afetam a produção normal das células sanguíneas.

“Eu já sou doador de sangue e pensei “por que não ser doador de medula óssea? ”. Acho fundamental ajudarmos no que pudermos ajudar. Eu sempre busco incentivar as pessoas da minha idade a doarem sangue, e agora vou fazer o mesmo sobre a doação de medula”, afirmou o jovem.

Critérios para se tornar um doador de medula óssea:

– Ter entre 18 e 35 anos de idade;
– Apresentar bom estado de saúde;
– Não ter doença infecciosa ou incapacitante;
– Não ter doença neoplásica, hematológica ou do sistema imunológico;
Caso haja compatibilidade com alguém de fora do Estado ou do Brasil, o programa, por meio do Governo Federal, custeia a locomoção do doador e de um acompanhante.
É indispensável manter o cadastro no Redome atualizado. Em caso de compatibilidade, as informações como endereço e telefone, principalmente, precisam estar corretas. Link:  para atualização: http://redome.inca.gov.br/doador-atualize-seu-cadastro/

O Hemoap fica localizado na avenida Raimundo Álvares da Costa, 1093 – Centro, e funciona de segunda a sexta, das 7h30 às 12h30. Para realizar o cadastro é necessário levar documento oficial com foto.