TJAP realiza coletiva de imprensa para alertar a sociedade sobre golpes de precatórios no estado


O Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP) realizou nesta segunda-feira (7) uma coletiva de imprensa para alertar a população sobre o golpe dos precatórios que tem ocorrido no estado. Os esclarecimentos sobre o assunto foram dados pelo diretor da Secretaria de Precatórios do TJAP, João Guilherme da Costa, e por Áurea Uchôa Viana, titular da delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos. (CONFIRA AQUI A COLETIVA NA ÍNTEGRA)

O golpe tem sido aplicado por meio do WhatsApp e consiste em pedir que o cidadão que tenha processos de precatórios pendentes, faça o pagamento de um boleto em nome de pessoa física para receber o valor. Nas mensagens dos golpistas constam o nome do TJAP e dados pessoais do cidadão e do processo.

A Secretaria de Precatórios do TJAP ratificou que a Justiça não encaminha nenhum tipo de solicitação de pagamento para a conclusão de processo envolvendo precatório. “É importante deixar isso claro: para pagamento de precatórios, a Justiça do Amapá não solicita depósitos bancários, transferências, adiantamento de taxas ou impostos. Se o cidadão receber esse tipo de abordagem, é golpe”, disse o diretor da unidade, João Guilherme da Costa.


A delegada da Polícia Civil presente na coletiva falou sobre o processo de investigação que já está em andamento, disse que o grupo de golpista já aplica essa fraude em diversos estados e que conta com amapaenses para a prática no estado. “Já estamos em investigação e pelo menos 40 pessoas já procuraram a delegacia e a Justiça para relatar o prejuízo. Rastreamos os contatos e as contas das pessoas envolvidas, mas contamos com a população para novas denúncias”, disse Áurea Uchôa.

Denuncie

O cidadão que for abordado com esse tipo de mensagem pode procurar a Secretaria Especial de Precatórios, disponível de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 14h30 por meio do Balcão Virtual no Portal do TJAP e nos contatos: Telefones (96) 3312-3711(96) 3312-3399 e WhatsApp (96) 98408-2105.

Em caso de registro de Boletim de Ocorrência, o credor de precatório pode procurar a Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, que funciona presencialmente dentro do Aeroporto Internacional de Macapá, das 7h30 às 18h, de domingo a segunda-feira.

Assessoria de Comunicação Social/TJAP

 

Alerta epidemiológico faz estado suspender eventos. Amapá está na linha vermelha da classificação de risco

O Decreto Nº 0203 estabelece medidas mais rigorosas de proteção à vida e atende às recomendações do Coesp.

Com o aumento de mais de 230% nos casos de covid-19 no Amapá, o Governo do Estado e as prefeituras do Amapá definiram, nesta segunda-feira, 17, o cancelamento dos festejos de Carnaval 2022 e a realização de shows artísticos, em ambientes abertos ou fechados, nos âmbitos público e privado.

A decisão tem com base o Parecer Epidemiológico do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp). Apresentado nesta segunda-feira, 17, o documento também aponta um aumento da taxa de ritmo de transmissão do vírus para 1.05. No mapa de classificação de risco, o Amapá está na linha vermelha.

VEJA O PARECER  EPIDEMIOLÓGICO AQUI

VEJA O NOVO DECRETO AQUI

VEJA OS ANEXOS AQUI

“Após deliberar com as prefeituras, tomamos essa decisão ao observar um aumento na taxa de transmissão e de novos casos. Esse crescimento é um sinal de alerta porque repercute na maior procura por atendimentos nas UBS’s e na necessidade de leitos clínicos e intensivos”, reforçou o governador, Waldez Góes.

Somente nesta segunda-feira, foram registrados 590 novos casos de covid no Amapá. As informações estão no boletim epidemiológico divulgado pelo governo do Estado.

Novo decreto

O Decreto Nº 0203 estabelece medidas mais rigorosas de proteção à vida e atende às recomendações do Coesp.  Estão suspensos até o dia 31 de janeiro a realização de shows artísticos, festas e eventos de carnaval, em ambiente aberto ou fechado, realizados pelo Poder Público estadual e municipal e pela iniciativa privada.

O documento também estabelece a redução para 50% da taxa de ocupação de público nos eventos corporativos, sociais, técnicos e científicos – respeitando o distanciamento social de 1,5 metro entre as pessoas, com a marcação dos assentos que não devem ser ocupados.

É permitido o funcionamento das atividades industriais, comerciais e de serviços nos dias, horários e modalidade de atendimento regulamentados pelos municípios.

As igrejas e templos religiosos ficam autorizados a funcionar 24 horas, devendo seguir o Protocolo Sanitário Padrão, incluindo o distanciamento social de 1,5 metro entre as pessoas, com a marcação dos assentos que não devem ser ocupados.

Fica autorizado o funcionamento dos bares, boates e casas de espetáculos mediante cumprimento das condicionantes, incluindo o uso obrigatório da máscara.

Aumento de casos e de internações

O parecer epidemiológico mostra um crescimento de 233,92% nos casos de covid-19 com média móvel a cada sete dias no estado. Com relação ao risco de transmissão que subiu para 1.05, demonstra a perda de estabilidade, e o reflexo é o aumento no número de hospitalizados.

A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 49% na rede pública e 23,1% na rede privada, já os leitos clínicos apresentaram uma taxa de ocupação de 41% públicos e 93,3% privados, de acordo com os dados que foram registrados até o dia 15 de janeiro.

A taxa de ocupação de leitos exclusivos para covid-19, no comparativo entre os dias 15 de novembro do ano passado a 15 de janeiro deste ano, subiu de 10% para 50,3%.  No mapa de classificação de risco o Amapá, está na linha vermelha, com predominância em Macapá e Santana.

Todos esses dados acendem o alerta nos órgãos estaduais e municipais de vigilância e assistência em saúde e justificam o rigor nas medidas de proteção à vida.

Góes também enfatizou que a grande maioria dos casos de UTI, são de pessoas que não tomaram vacina ou não completaram o esquema vacinal.

Além disso, a taxa de letalidade no Amapá é de 1,58 – abaixo da média nacional, que é de 2,80.

“Isso demonstra claramente que, além da vigilância em saúde, da assistência e da retaguarda hospitalar, é a imunização com vacina que protege, sobretudo, do agravamento dos quadros”, finalizou.

Aumento de casos de covid-19 e internações de não vacinados deixa em alerta autoridades sanitárias do Estado

Casos de covid-19 aumentaram 83,29%. A maior incidência está na capital.

Nesta segunda-feira, 20, foi publicado o decreto estadual Nº 4761, válido até 3 de janeiro de 2022.

DECRETO 4761/2021

ANEXO DECRETO 4761/2021

O relatório Epidemiológico do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp), aponta o aumento de 83,29% nos casos de covid-19. A taxa de ocupação de leitos é 19,67% para UTIs e de 22,81% para leitos clínicos.

Das internações, 50% são de pacientes não vacinados. Outros 36% tomaram as duas doses da vacina e 14% apenas uma dose.

O Estado orienta que os municípios exijam a apresentação do cartão de vacina com as duas doses para participação em atividades presenciais e eventos realizados em boates, casas de show, casas de espetáculos e shows artísticos, além de que também devem cumprir o limite de 50% da taxa de ocupação do espaço.

RELATÓRIO EPIDEMIOLÓGICO

O governador do Amapá, Waldez Góes, reforçou a importância da ampliação da cobertura vacinal e a exigência do cartão de vacina completo.

“A imunização é um dos mecanismos mais eficazes no controle da pandemia, por isso devemos ampliar a cobertura vacinal, com ações estratégicas para não retrocedermos nas medidas que já flexibilizamos”, disse Góes.

A taxa de transmissão atual está em 1.03, o que coloca o Amapá no status laranja de risco moderado para a doença, sendo assim, para reduzir o avanço de casos, o Governo reúne com os prefeitos dos 16 municípios para orientar sobre estratégias que devem ser adotadas, como ações de vacinação para todas as faixas etárias vacináveis, buscando a imunidade coletiva.

Para o prefeito de Tartarugalzinho, Bruno Mineiro, é necessário manter o alerta.

“Estamos vendo uma tendência de crescimento nos casos e essas medidas são necessárias. Vamos continuar trabalhando juntos e seguindo as orientações para impedir esse crescimento”, afirmou Mineiro.

Ampliação de leitos

O Governo implantou 12 novos leitos na UPA da Zona Sul e, até sexta-feira, mais 30 leitos serão implantados como retaguarda para atendimento de pessoas com covid-19.