Governador Clécio Luís faz vistoria no Residencial Vila dos Oliveiras, que beneficiará mais de 500 famílias de Macapá

Residencial é integrado às obras do Complexo de Urbanização da Orla do Aturiá

Nesta quarta-feira, 24, o governador do Amapá, Clécio Luís, realizou uma vistoria no Residencial Vila dos Oliveiras, na Zona Sul de Macapá, para acompanhar a reta final da obra que beneficiará 512 famílias amapaenses com unidades habitacionais. Foram inspecionados apartamentos e estruturas como quadra esportiva, centro comunitário e creche construída pelo Governo do Estado. A entrega das moradias está prevista para o dia 8 de maio.

“Aqui, são 512 famílias que vão mudar de vida, pois vão receber um apartamento que terá uma estrutura digna e confortável. No residencial, ainda haverá espaços de lazer, com árvores e jardins, e de esporte, com academia ao ar livre e quadra coberta. Ou seja, tudo o que se precisa para morar bem, mudar de vida e criar os filhos com uma grande perspectiva de futuro”, ressalta o governador.Cada apartamento terá 42 metros quadrados, contendo dois quartos, sala, cozinha, banheiro, área de serviço interna e rede de gás externa. Um ambiente que fortalece a política habitacional do Programa de Governo da gestão. De acordo com David Covre, secretário de Estado da Infraestrutura, a obra está 100% concluída e faltam apenas os ajustes finais.

“O residencial está todo pronto. Agora, estamos realizando apenas as últimas considerações, pois as famílias devem se mudar no mês de maio e o Governo do Amapá vai entregar as moradias com as melhores condições possíveis. Aqui, todos os apartamentos são de máxima qualidade, para que os beneficiados possam reescrever a sua história”, finaliza o secretário.

Estrutura para toda a família

Além da casa própria, os moradores também contarão com estruturas para garantir o convívio social, a exemplo da quadra poliesportiva coberta e do centro comunitário.

A novidade é que o residencial terá uma creche construída pelo Governo do Amapá, com capacidade para atender 60 alunos na modalidade de ensino de tempo integral e outros 120 estudantes na modalidade parcial, nos turnos da manhã e tarde. A instituição será administrada pela gestão municipal. Uma academia ao ar livre e um playground também serão implantados.

Investimentos

O projeto do residencial é integrado às obras do Complexo de Urbanização da Orla do Aturiá, orçado em cerca de R$ 72 milhões e conta com recursos do Tesouro Estadual, Fundo Nacional de Habitação e Interesse Social e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Brinquedoteca e cinemateca do centro de acolhimento do Governo do Amapá ajudam a amenizar impactos dos alagamentos nas crianças

Cerca de 100 crianças e adolescentes estão abrigadas em escola desde a última terça-feira, 13.
Para amenizar os efeitos provocados pelos alagamentos em Macapá, sobretudo, nas crianças e adolescentes cujas famílias ficaram desabrigadas, o Governo do Estado vem trabalhando atividades lúdicas e recreativas, além do apoio psicológico para quem está alojado no Centro de Acolhimento montado na Escola Estadual Reinaldo Damasceno, no bairro Novo Buritizal, Zona Sul da capital.

São mais de 50 famílias atendidas no local, num total de 300 pessoas, dessas cerca de 100 são crianças e adolescentes. Ao menos 40 profissionais dos mais diferentes órgãos de Governo, integram a força-tarefa de assistência.

Toda a escola foi adaptada para garantir o mínimo de conforto para os alojamentos e serviços de saúde e sociais. Nos banheiros, por exemplo, foram instalados chuveiros para a higiene dos abrigados.

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) adaptou a biblioteca da escola para uma cinemateca, onde a criançada pode assistir a vários filmes infantis. Além disso, um cantinho da quadra poliesportiva está funcionando como brinquedoteca. Profissionais também se revezam ao longo do dia, para acompanhar as atividades, estimular a criatividade e distrair o grupo.

A autônoma Diovane Oliveira, de 42 anos, moradora do bairro Novo Buritizal, contou que perdeu todos os móveis da casa. Ela e os cinco integrantes da família estão alojados em uma das salas da escola.

“Eu perdi todas as minhas coisas. Não tinha o que fazer porque foi muito rápido, encheu bastante e não teve como fazer nada mais. Esse apoio que a gente está recebendo ajuda a aliviar nossa dor, o desespero de não ter mais nada”, relatou a autônoma.

A secretária adjunta de Apoio à gestão da Seed, Francisca Oliveira, reforça que os próprios servidores estão empenhados em ajudar. A solidariedade vem se multiplicando em várias secretarias com a campanha de doação de roupas, brinquedos, material escolar, móveis e eletrodomésticos, coordenada pelo Governo do Amapá.

“A equipe da Secretaria está totalmente envolvida para que possamos garantir o mínimo de dignidade para essas famílias que perderam suas casas, perderam seus bens. Mas este recomeço terá total apoio do Estado e de cada um que se propôs a ajudar”, destacou Francisca.

Residencial Vila das Oliveiras entra na reta final de obras e vai dar dignidade a 512 famílias de Macapá

O projeto do residencial é integrado às obras do complexo de urbanização da orla do Aturiá

O governador do Amapá, Clécio Luís, e o senador Davi Alcolumbre, estiveram em inspeção às obras do Residencial Vila das Oliveiras, nesta quinta-feira, 15, no bairro das Pedrinhas, Zona Sul de Macapá. O projeto residencial é integrado às obras do complexo de urbanização da orla do Aturiá, e está orçado em cerca de R$ 48 milhões. A obra é executada pela Secretaria de Infraestrutura (Seinf).

“Este residencial foi construído e pensado para abrigar as famílias que perderam suas casas no Aturiá e Araxá ao longo dos anos, por causa da força do Rio Amazonas. Agora estamos prestes a entregar esta obra e assim, vamos concluir mais uma etapa de toda essa estrutura que envolve o muro de arrimo, a urbanização da orla e este habitacional”, destacou o governador, Clécio Luís.

O residencial receberá 512 famílias e conta com uma infraestrutura completa com estação elevatória de esgoto, reservatório de água elevado, rede de drenagem, pavimentação; além de quadra poliesportiva e centro comunitário. O conjunto está com 90% dos serviços concluídos e tem previsão de entrega para este primeiro semestre do ano.

“Nossa atribuição, como parlamentar e de toda a bancada, é defender os interesses do povo amapaense em Brasília. É por isso que lutamos todos os dias e quando colocamos recursos para obras estruturantes como essas, a gente também reduz as desigualdades regionais e locais de toda a comunidade”, declarou o senador, Davi Alcolumbre.

Apartamentos

Cada apartamento terá 42m², contendo dois quartos, sala, cozinha, banheiro, área de serviço interna e rede de gás externa. As instalações dos sistemas elétrico e de água tratada, serão realizadas pela CEA Equatorial e pela CSA, respectivamente.

“O empreendimento vai atender uma demanda dirigida. Famílias em vulnerabilidade social, que estão hoje vivendo no aluguel social, mas que em breve terão uma moradia digna para construir sua vida e seus sonhos. O conjunto também contará com creche e vai ajudar muito as mães que precisam trabalhar. Teremos um belíssimo residencial para acomodar as famílias amapaenses”, pontuou a secretária de Habitação, Mônica Dias.

Amapá sem Fome: governador Clécio Luís institui programa para combater a insegurança alimentar em todo estado

Pedra Branca do Amapari foi o primeiro município a aderir ao programa, que irá atender todo estado

O governador, Clécio Luís, lançou nesta quarta-feira, 17, o programa ‘Amapá Sem Fome’, que terá duração permanente e possui o objetivo de tirar o estado do mapa da fome. Serão destinados R$ 24 milhões para a estratégia, que inclui políticas públicas idealizadas para atender, prioritariamente, os 13% da população amapaense que possuem uma ou nenhuma refeição diária.

Com recursos destinados por emendas articuladas pelo senador Davi Alcolumbre e pela então deputada federal Aline Gurgel, o maior programa de segurança alimentar da região Norte será executado ainda em 2024. O projeto prevê a implementação de ações como Vale Gás Social, Restaurante Popular e kits nutricionais para crianças.

Clécio Luís detalhou que o Amapá é o segundo estado do Brasil com maior índice de pessoas que enfrentam insegurança alimentar, por isso a necessidade de implementar um programa amplo.

“Não é um favor, é política pública. O Amapá Sem Fome foi um programa maturado por um ano, sendo pensado, estudado e escrito com políticas assertivas. Não vamos dar só cestas básicas, vamos gerar dignidade e aumentar os índices de desenvolvimento econômico, social e pessoal. Os recursos garantidos pelo senador Davi vão garantir que o programa seja executado e as entidades civis atuarão como um braço dessa política para alcançar as comunidades e famílias necessitadas”, reforça Clécio Luís.

O programa é coordenado pela Secretaria de Estado de Assistência Social, junto com o Conselho de Segurança Alimentar e a Câmara Intersetorial de Segurança Alimentar e Nutricional. Pedra Branca do Amapari foi o primeiro município a aderir ao programa, que irá atender todo estado.Próximas ações

Cada política descrita no plano será regulamentada por meio de editais. As igrejas, entidades socioassistenciais, organizações da sociedade civil e líderes comunitários que comprovem o trabalho destinado à segurança alimentar, serão chamadas e fomentadas pelo Governo do Estado para continuar e ampliar as atividades.

A secretária de Estado da Assistência Social, Aline Gurgel, detalha que será feito um grande banco de dados com quem já coopera e trabalha com projetos sociais para facilitar a integração ao programa.

“É um dia histórico para o Amapá. Não é uma política só do Estado, mas de toda sociedade. A execução do programa será feita tanto pelos entes públicos como aqueles que fazem trabalhos nos bairros e nas comunidades, para que a gente consiga vencer a fome no estado e emancipar as pessoas socialmente e economicamente”, destaca a gestora. Parceria

O pastor Adriano Vasconcelos, da igreja Reino da Justiça, em Santana, trabalha há cinco anos com a distribuição de alimentos para pessoas em vulnerabilidade social. As ações são feitas pelos fiéis, que doam os alimentos para as cestas básicas. Com apoio do Governo do Estado, ele pretende aumentar a quantidade de famílias e a frequência das doações.

“Nós não temos muitos recursos, então a parceria com o Governo é muito bem-vinda e vai favorecer muitas pessoas. Eu vejo esse projeto de uma forma muito positiva para todos. E queremos abençoar mais vezes. Realizar esse trabalho enche o nosso coração de alegria, porque eu tenho certeza de que é isso que Jesus faria hoje. Esse projeto vai nos ajudar, com certeza, a alcançar muito mais famílias”, descreve Vasconcelos.

Os alimentos que serão disponibilizados serão regionalizados, assim, favorecendo a agricultura familiar e garantindo nutrição e segurança alimentar. Entenda como funciona cada uma das sete políticas do programa Amapá sem Fome: 

Restaurante Popular e Unidades Sociais Produtoras de Refeições  

A iniciativa busca oferecer locais que disponibilizem alimentação saudável e com preço acessível, a partir de processos seguros.

Os Restaurantes Populares ficarão a cargo do poder público e, por terem a limitação de atender municípios com até 100 mil habitantes, funcionarão apenas em Macapá e Santana.

As Unidades Sociais Produtoras de Refeições atenderão os outros municípios, por meio do trabalho da sociedade civil.

Vale Gás Social  

A ação consiste no fornecimento de gás de cozinha a famílias em situação de pobreza, extrema pobreza ou socialmente vulneráveis. A inclusão das famílias no benefício obedecerá ao critério de avaliação social, com parecer técnico expedido pela Secretaria de Estado Assistência Social.

Kits de Alimentação  

Outra política adotada dentro do Amapá Sem Fome é a distribuição de kits de alimentação diretamente para entidades que, por sua vez, entregarão os itens às famílias que necessitam.

A medida oferece, ainda, kits específicos para crianças de até 6 anos, garantindo a nutrição desde a gestação até a primeira infância.

Banco de Alimentos

Faz parte da política contra a fome a criação do primeiro banco de alimentos do Norte do Brasil. Trata-se de um espaço para receber doações pela iniciativa privada e itens como peixes apreendidos pela Polícia Militar. O objetivo é destinar esses alimentos a quem precisa, evitando que eles sejam descartados ou estraguem.

Cartão Alimentação  

É um auxílio financeiro temporário destinado a famílias em situação de vulnerabilidade social, com objetivo de adquirir alimentos ricos em proteínas, como carne e ovo, opções não incluídas nas cestas básicas. Brasil sem Fome 

Os esforços para tirar o Amapá do mapa da fome estão entre as prioridades da gestão do Governo do Estado. Em 2023, iniciativas como distribuição de kits de alimentos e água alcançaram comunidades atingidas pela estiagem e salinização dos rios. O Amapá também foi o primeiro estado a aderir ao programa federal ‘Brasil sem Fome’, em maio de 2023.

Na ocasião, o representante do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Luiz Farias, ressaltou a preocupação do Governo do Estado em implementar políticas de redução da segurança alimentar.

“O programa dialoga perfeitamente e diretamente com as estratégias do ‘Brasil sem Fome’. É preciso a integração de todos os atores envolvidos, o Governo Estadual, Governo Federal e a sociedade civil. Com este conjunto de ações previstas, eu não tenho dúvidas que o Amapá será o primeiro estado a sair do mapa da fome”, ressaltou Farias.

Governo do Amapá disponibiliza rotas de ônibus com tarifa zero para moradores do Conjunto Habitacional Miracema

As rotas de ônibus vão atender toda a população do residencial, localizado na Zona Norte de Macapá

Para garantir a mobilidade das mais de mil famílias do Conjunto Habitacional Miracema, na Zona Norte de Macapá, o Governo do Amapá vai disponibilizar a partir desta segunda-feira, 18, rotas de ônibus, com tarifa zero, para contemplar os moradores do habitacional, que receberá mais de 5 mil pessoas, com a entrega das casas e apartamentos das fases 3 e 4.

De acordo com o secretário de Transportes, Valdinei Amanajás, as linhas exclusivas contarão com veículos para atender uma antiga solicitação dos moradores da região, que passa a ter uma população ainda maior.

“Estamos atendendo essa demanda reprimida do transporte urbano de Macapá, as linhas deverão atender as famílias no habitacional, são pessoas que em sua grande maioria precisam de transporte público urbano, essa foi uma determinação do governador Clécio, as rotas exclusivas são totalmente gratuitas e irão circular das 6h às 23h”, explicou o secretário.Outra medida que será adotada pelo Governo do Estado é a construção de um abrigo para que a população possa se proteger e aguardar os ônibus que farão a rota. De acordo com a secretária de Habitação, Mônica Dias, a ação garante às famílias o direito a mobilidade e surge como uma alternativa de transporte público.

“A ideia é uma alternativa para que às famílias tenham mais mobilidade, já que no habitacional hoje, conta apenas com uma rota disponibilizada pela capital, com apenas um veículo que não atende de forma integral e regular todos que precisam”, destacou a secretária.

Ainda segundo a secretária, dados coletados pelo Plantão Social do Conjunto Miracema mostram que muitas famílias perderam o emprego pela falta do transporte público e que vivem hoje apenas com a renda do programa Bolsa Família.

TRANSPORTE GRATUITO DO CONJUNTO MIRACEMA

Horário de circulação:

Das 6h às 23h, de segunda-feira a domingo

Itinerários

As linhas têm saídas e desembarques pela rua professor Glauco Rafael, principal via do Conjunto Habitacional Miracema.

  • Linha Norte/Sul – BR 210

A primeira linha segue a rota do Conjunto Miracema com sentido BR 210, com retorno próximo ao Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE) e volta para o Conjunto Miracema.

  • Linha Norte/Sul – Duca Serra

A segunda linha segue com saída do Conjunto Miracema sentido Rodovia do Centenário (Norte/Sul) com retorno às proximidades da Lagoa dos Índios, volta para Rodovia do Centenário (Norte/Sul) até chegar no Conjunto Miracema.

Governo do Amapá mantém gratuidade nos transportes públicos no segundo dia de provas do Enem, neste domingo, 12

A medida vale para os ônibus que circulam dentro de Macapá e para os que interligam a capital aos municípios de Santana e Mazagão.

O Governo do Amapá mantém para o segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste domingo, 12, a garantia do transporte público gratuito. A medida vale para os ônibus que circulam dentro de Macapá e para os que interligam a capital aos municípios de Santana e Mazagão.

A política pública foi decretada pelo governador, Clécio Luís, para assegurar que os candidatos cheguem aos locais de prova. Além dos mais de 7,5 mil alunos da rede pública que farão a avaliação, a iniciativa vai beneficiar também as mais de 20 mil pessoas que estão inscritas na prova e toda a população que poderá ter acesso à gratuidade, das 7h às 21h.

“Queremos com isso que todos os candidatos possam fazer sua prova e tenham um bom desempenho no Enem”, pontuou o governador ao anunciar a medida.

Para formalizar a política pública, a Secretaria de Estado de Assistência Social e a Secretaria de Estado de Transportes assinaram um Termo de Fomento com o Sindicato de Empresas de Transportes de Passageiros do Amapá (Setap). O objetivo é incentivar os amapaenses a participarem do exame, que se tornou a principal porta de entrada para a educação de nível superior em todo o Brasil.

No segundo dia de provas, serão cobrados conhecimentos de matemática, química e biologia. Os portões dos locais de prova são abertos ao 12h e fechados às 13h. A aplicação do exame começa às 13h30 e segue até 18h30.

Direito garantido: Justiça do Amapá celebra a 4ª edição do Casamento LGBTQIA+ na Comunidade


As cores do arco-íris cobriram de diversidade o último sábado (23), que tornou a noite daquele dia em um momento histórico e especial com a realização da 4ª Edição do Casamento LGBTQIA+ na Comunidade, do Tribunal de Justiça do Amapá. Sete (7) casais formalizaram suas uniões e agora possuem todos os direitos assegurados às famílias brasileiras. A cerimônia ocorreu na sede da Secretaria Estadual de Políticas para Mulheres, conduzida juíza de Paz do Cartório Jucá Cruz, Thaynara Maciel. (Confira aqui as fotos)

“Já estamos na 4ª edição desse evento importante para o Tribunal de Justiça do Amapá, pois isso mostra que estamos cada vez mais ampliando os direitos e tudo que envolve a cidadania. Garantir esses direitos do casamento civil para o público LGBTQIA+ é muito significativo para o TJAP”, destacou a juíza Joenilda Lenzi, coordenadora do Programa Casamento Na Comunidade.

O Presidente do TJAP, desembargador Adão Carvalho, presente na cerimônia, reforçou que todos devemos ter respeito às escolhas e vivências de cada pessoa da nossa sociedade e celebrou os direitos matrimoniais garantidos pela Justiça do Amapá e cartórios aos noivos e noivas.

As Noivas

Vivendo um relacionamento de quase dois (2) anos, Camila e Rafaela manifestaram sua gratidão pela oportunidade de realizar um sonho do casamento. “Hoje é um momento de grande alegria, enfrentamos muitas coisas, mas graças a Deus superamos todas elas e hoje estamos aqui pra dizer esse sim com a presença de nossas famílias e estamos muito felizes e agradecidas pela oportunidade”, disse Camila. “Estamos muito gratas e comemorando com as pessoas importantes pra gente”, afirmou Rafaela.

Respaldo Jurídico

A celebração de casamentos homoafetivos e transafetivos tem respaldo jurídico em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e na Resolução nº 175, de 14 de maio de 2013, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ambas obrigam os cartórios de todo o Brasil a aceitarem a realização de casamentos civis de casais do mesmo sexo ou permitir a conversão de união estável homoafetiva em casamento.

Secretaria de Comunicação Social/Tjap 

Acadêmicos de Direito prestarão orientação jurídica gratuita para população de Macapá Ação acontece no sábado (20), a partir das 8h, na Escola Estadual Deuzuite Cavalcante

Neste sábado (20), acadêmicos de Direito prestarão orientação jurídica gratuita para a população macapaense. A atividade acontecerá das 8h às 12h, na Escola Estadual Deuzuite Cavalcante, no bairro Perpétuo Socorro, na zona central da capital, e faz parte da programação do Mês do Trabalhador, promovida pela Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo (Sete).

Durante a atividade, cerca de 15 acadêmicos, entre estagiários e estudantes, acompanhados pelos professores, atenderão nas áreas civil, trabalhista, penal, constitucional e administrativa. A iniciativa é do Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) da Estácio Macapá. De acordo com a coordenadora do espaço, July Rodrigues, o serviço tem a proposta de tirar dúvidas a respeito de eventuais questões que possam ser judicializadas. “Os alunos vão conversar com a pessoa, tirar dúvidas, recolher as informações necessárias para fazer uma análise e, em seguida, encaminhar os casos atendidos ao NPJ”, explica.

Para ter acesso ao serviço é necessário comparecer à escola no horário da ação com um documento oficial de identificação com foto. No local, a equipe disponibilizará uma ficha de cadastro que deverá ser preenchida na hora e, em seguida, a pessoa será encaminhada para o atendimento.

Serviço
A orientação para a população acontece no sábado (20), das 8h às 12h, na Escola Estadual Deuzuite Cavalcante, que funciona na Avenida José Tupinambá de Almeida, 556, no bairro Perpétuo Socorro, na região central de Macapá.

Por: Ewerton França Pinheiro

Governo do Estado disponibiliza aplicativo ‘TEA Digital’ para acesso a versão on-line da Carteira de Identificação da Pessoa Autista

Documento facilita acesso a direitos assegurados no Amapá, como atendimento prioritário em serviços públicos e isenção do IPVA.

O Governo do Estado aprimora o acesso a direitos assegurados a pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Amapá com o aplicativo ‘TEA Digital’. A ferramenta disponibiliza a versão on-line da Carteira de Identificação desse público e está disponível nas plataformas para smartphones Android e iOS.

CONFIRA O MANUAL DE UTILIZAÇÃO.

É com esse documento que a pessoa autista ou seus responsáveis podem obter atendimento prioritário em estabelecimentos públicos e privados, isenção do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), além de redução de 50% na carga horária de trabalho ao servidor público com autismo ou que cuida de pessoa com o transtorno.

O Amapá também assegura meia-entrada em sessões de cinema, teatro, espetáculos esportivos, shows e eventos culturais.

De acordo com o analista do Centro de Gestão da Tecnologia da Informação (Prodap), Roni Quiozini, entre as vantagens da carteira digital está a facilidade de acesso ao documento e independência da versão física com os aparelhos celulares.

“Especialmente nos casos onde a pessoa autista tem vários responsáveis ou há vários cadastrados na mesma família. O documento possibilita ser autenticado em diferentes smartphones, que também podem ter mais de uma carteira de identificação cadastrada”, destaca Quiozini.

Cadastro da Pessoa com TEA

Para utilizar o TEA Digital, é preciso estar inserido no Cadastro da Pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo (CAD TEA). O serviço é oferecido nas unidades do Super Fácil Zona Norte, Sul, Oeste e Centro, em Macapá; e também nas agências de Pedra Branca do Amapari, Santana e Laranjal do Jari.

Para o cadastro, são necessários os seguintes documentos:

  • Carteira de Identidade e Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) da pessoa com autismo e do responsável legal;
  • Comprovante de residência atualizado;
  • 02 fotos 3×4 atualizadas e com fundo branco;
  • Tipagem sanguínea da pessoa com autismo;
  • Laudo emitido por profissional especializado, com indicação do Código Internacional de Doenças (CID 10) correspondente ao transtorno identificado;

Depois que a versão física do documento é entregue, basta abrir o aplicativo e inserir o código hash, ou fazer a leitura do QR-Code na tela de login. Em seguida, o usuário deverá inserir o CPF da pessoa autista para validação.

A versão digital da Carteira do Autista possui todas as informações constantes no documento físico, com exceção do campo “situação”, que pode constar se o atendido também possui Cordão de Girassol, item que identifica visualmente pessoas com deficiências ocultas, como auditiva ou de fala, além de fibromialgia, doença de Crohn e esclerose múltipla.

O Cadastro de Pessoas com TEA contabilizava, até o mês de abril, 2001 carteiras entregues: 891 delas são para pessoas que possuem somente autismo e outras 1.110, para aquelas que também possuem Cordão de Girassol. Ainda há 261 carteiras que foram emitidas e aguardam ser retiradas.

“Conosco, não por nós” é o tema da 1ª Caminhada Down de Macapá

A semana da Síndrome de Down vai ser comemorada em Macapá dia 25 de março/2023, com a 1ª Caminhada Down da Capital seguida de uma programação lúdica e cultural, a partir das 17h, na praça do Mercado Central. A idealizadora do evento é a professora Ângela Maximin, que também participou da criação e realização da caminhada em Belém. Por ser amapaense, de família tradicional do bairro do Trem, mãe de um adolescente com Síndrome de Down, ela trouxe a ideia para Macapá e já conta com ampla mobilização e parceria com a APAE Amapá, Movimento de Contadores de História, grupos de amigos e amigas.

O Dia Mundial da Síndrome de Down (SD) é comemorado em 21 de março, uma data de conscientização global para celebrar a vida das pessoas com a síndrome e para garantir que elas tenham as mesmas liberdades e oportunidades que todas as pessoas. É oficialmente reconhecida pelas Nações Unidas desde 2012. A data escolhida representa a triplicação (trissomia) do 21º cromossomo que causa a síndrome. É necessário destacar que a SD não é uma doença e, sim, uma condição genética inerente à pessoa, porém, está associada a algumas questões de saúde que devem ser observadas desde o nascimento da criança.

 

“Conosco, não por nós” é o tema da caminhada em Macapá e em outras cidades. Segundo Ângela Maximin, a iniciativa, este ano, já está na 9ª edição, em Belém/Pa e faz homenagem ao Vitor Maximin, inspiração do evento que agora chega ao Amapá. “Desde que o Vitor nasceu, eu assumi esta causa por mim, por ele e por muitos que desconhecem seus direitos. Já alcançamos conquistas e enfrentamos muitos desafios, como agora com o Vitor na adolescência, e nesta fase o Estado oferece pouco espaço escolar nos Ensinos Fundamental II e Médio. Continuamos na luta por políticas públicas para crianças, jovens e adultos com Sindrome de Down”, afirma Ângela.

 

De acordo com a ONU e o Ministério da Saúde, SD é uma alteração genética presente na espécie humana desde sua origem. Foi descrita há 150 anos, quando John Langdon Down, em 1.866, se referiu a ela pela primeira vez como um quadro clínico com identidade própria. Em 1.958, o francês Jérôme Lejeune e a inglesa Pat Jacobs descobriram a origem cromossômica da síndrome, que passou a ser considerada genética.

 

A SD é a primeira causa conhecida de discapacidade intelectual, representando aproximadamente 25% de todos os casos de atraso intelectual, traço presente em todas as pessoas com a síndrome. Estima-se que no Brasil ocorra 1 em cada 700 nascimentos, o que totaliza em torno de 270 mil pessoas com Síndrome de Down; no mundo, a incidência estimada é de 1 em 1 mil nascidos vivos.

TJAP contrata primeira pessoa com síndrome de Down para integrar equipe de Comunicação


O Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP) recebeu, na manhã desta quinta-feira (20), sua mais nova contratada: Letícia Lisboa. A jovem de 25 anos tem síndrome de Down e integra o grupo de 13 profissionais com deficiência contratado por meio da Associação de Centro de Treinamento de Educação Física Especial (CETEFE). Os outros 12 contratados são surdos e atuam na digitalização de processos antigos. Letícia passa a trabalhar na Assessoria de Comunicação do Poder Judiciário do Amapá.

Em seu primeiro emprego, Letícia será treinada em fotografia, mídias sociais e outras atividades do setor, ganhando experiência e capacitação profissional no meio. “Estou muito feliz com a chegada da Letícia a nossa casa. Todos nós aprenderemos muito com ela. O Judiciário estadual está de portas abertas para estes profissionais tão especiais”, disse o presidente do TJAP, desembargador Rommel Araújo, que recepcionou Letícia.

A contratação de Letícia revela, assim, o empenho da Justiça amapaense na criação de oportunidades de trabalho inclusivo de pessoas com deficiências físicas, sensoriais e cognitivas (como colaboradores com espectro autista e síndrome de Down).

Para a mãe de Letícia, Adélia Oliveira de Sousa Lisboa Rodrigues, este é um momento ímpar. “A contratação da Letícia é de uma relevância tão grande que deixa meu coração saltitante, mesmo em meio ao luto que estou passando pela perda recente do meu pai”, registrou.

“Ainda semana passada eu pensava o quanto queria ver minha filha trabalhando e com alguma independência”, relatou, acrescentando que “quando chegou essa oportunidade, foi como se meu coração ardesse com essa vitória”.

A assistente social Juliana Machado Fernandes, da CETEFE de Brasília, veio ao Amapá especialmente para fazer a admissão de Letícia. “Estamos muito felizes com a contratação inclusiva de uma pessoa com síndrome de Down”, registrou. “Normalmente recebemos uma demanda maior por surdos e esse foi um pedido atípico, um pedido direto do desembargador-presidente Rommel Araújo, que nos alegrou muito”, complementou, acrescentando que “esperamos que esta seja uma parceria duradoura e de muito sucesso”.

A Coordenadora da CETEFE no Amapá, Shirley do Nascimento Bezerra, explicou que a instituição conta com outros 10 funcionários, entre surdos profundos e surdos oralizados, já engajados na digitalização de processos antigos do TJAP. “Esperamos que essa experiência abra espaço para a contratação inclusiva de mais pessoas, aqui mesmo no Tribunal e em outras instituições”, concluiu.

Assessoria de Comunicação Social/TJAP 

Macapá Verão 2022: Prefeitura lança ‘Mergulho da Inclusão’ no balneário da Fazendinha neste sábado (9)

 

A Prefeitura lança neste sábado (9), o “Mergulho da Inclusão”, idealizado para garantir a diversão de pessoas com síndrome de down, autismo e paralisia cerebral durante o Macapá Verão 2022. O evento acontece na praia da Fazendinha, a partir das 9h.


A iniciativa reforça as práticas integrativas desenvolvidas pelo Município, a exemplo do ‘Praia Acessível’, que oferece banho de rio aos domingos no balneário da Fazendinha para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, utilizando cadeiras anfíbia.
Durante o lançamento, ainda haverá café da manhã, atividades recreativas e o esporte de remo em pé em cima da prancha de surfe (Stand up paddle).

“Para atender esse público, contamos com profissionais de saúde capacitados, que irão acompanhar essas pessoas durante o banho no rio. Ou seja, todos serão assistidos por uma equipe especializada”, comenta a secretária municipal de Saúde (Semsa), Erica Aymoré.

Além do ‘Mergulho da inclusão’, que fará parte da programação do Macapá Verão durante a manhã de sábado, outros eventos também acontecem na cidade. “Planejamos o verão para atender todos os públicos, com diversas atividades acontecendo em pontos diferenciados, dessa forma, contemplamos mais pessoas”, finaliza a titular da pasta.