Boletim Informativo COVID-19: Macapá tem 421 novos casos

 

O Governo do Amapá atualiza neste domingo, 10, o boletim informativo sobre a situação do novo coronavírus no estado. Agora são 164.845 casos confirmados, 55 amostras em análise laboratorial e 1.264.997 doses de vacinas aplicadas em todos os 16 municípios do estado.

Os testes também descartaram 171.632 casos suspeitos.

Novos casos
O boletim de hoje registra 423 novos casos de covid-19, sendo 421 em Macapá e 2 em Pedra Branca.

Óbitos
Não há novos óbitos no boletim de hoje.
Assim, o Amapá permanece com 2.141 óbitos nos 16 municípios. (Macapá: 1.593/ Santana: 225/ Laranjal do Jari: 97 / Mazagão: 26 / Oiapoque: 53 / Pedra Branca do Amapari: 14 / Porto Grande: 30/ Serra do Navio: 5 / Vitória do Jari: 28 / Itaubal: 3 / Tartarugalzinho: 19 / Amapá: 13 / Ferreira Gomes: 7 / Cutias do Araguari: 7 / Calçoene: 15/ Pracuúba: 6).

Recuperados
Entre os recuperados, estão 158.290 pessoas. (Macapá 81.100/ Santana 30.273/ Laranjal do Jari 10.836/ Mazagão 3.974 / Oiapoque 7.226/ Pedra Branca 3.978/ Porto Grande 3.474/ Serra do Navio 1.825/ Vitória do Jari 4.331/ Itaubal 835/ Tartarugalzinho 2.281/ Amapá 1.863/ Ferreira Gomes 2.066 / Cutias do Araguari 1.102/ Calçoene 2.625/ Pracuúba 501).

Vacinação

O Governo do Amapá já distribuiu 1.338.354 doses de vacinas contra a covid-19 para os 16 municípios. Destas, foram aplicadas 1.264.997doses.

No Amapá, a população vacinável é de 781.594 pessoas. Deste total, até a última atualização, 74,5% receberam a primeira dose da vacina e 88,02% foram imunizadas com a 2a dose, dose única, dose de reforço e adicional.

Dos 164.845 casos confirmados:

Macapá: 86.121 Santana: 31.054 Laranjal do Jari: 11.066 Mazagão: 4.075 Oiapoque: 7.306
Pedra Branca: 3.998 Porto Grande: 3.542 Serra do Navio: 1.837 Vitória do Jari: 4.360 Itaubal: 869 Tartarugalzinho: 2.347 Amapá: 1.878
Ferreira Gomes: 2.101 Cutias do Araguari: 1.117 Calçoene: 2.666 Pracuúba: 508
Já em relação aos casos suspeitos, os municípios declaram 191, sendo:

Macapá: 50
Santana: 128
Laranjal do Jari: 0
Mazagão: 6
Oiapoque: 0
Pedra Branca: 0
Porto Grande: 1
Serra do Navio: 1
Vitória do Jari: 0
Itaubal: 0
Tartarugalzinho: 5
Amapá: 0
Ferreira Gomes: 0
Cutias do Araguari: 0
Calçoene: 0
Pracuúba: 0
Isolamento Hospitalar
O número de pessoas com covid-19 em isolamento hospitalar nas redes pública e privada é de 47 pacientes.
Na rede pública, há 23 pacientes, todos com quadro confirmado. Cinco estão em leito de UTI e os demais em leito clínico.
Na rede privada, há 24 pacientes – 16 com quadro confirmado e 8 com quadro suspeito. Um paciente está em leito intensivo e os demais em leitos clínicos.
Com isso, o percentual de ocupação dos leitos voltados para o atendimento da covid-19 no Amapá é de 37,3%, considerando as redes pública e privada.
Em isolamento familiar: 4.375
Todos estes dados são do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL/AP) e do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), que auxiliam o Centro de

Operações de Emergência em Saúde Pública (COESP) – dispositivo criado pelo Governo do Amapá para gerenciar a crise de COVID-19 no estado.

Aumento nos casos de COVID

 

O número de casos de Covid-19 têm aumentado no Amapá, de acordo com o relatório do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Amapá (Cievs-AP), publicado na última semana de junho. Essas imagens mostram o Centro Covid lotado nessa quinta-feira (30). O boletim registrou 129 novos casos, sendo 92 em Macapá, 19 em Santana, 8 em Mazagão, 8 em Porto Grande, 1 em Oiapoque e 1 em Vitória do Jari.

A gerente do Cievs-AP, Solange Sacramento, falou que a população tem que ficar atenta, que a pandemia ainda não terminou.


“O aumento é considerado singelo, mas deve ser visto com cautela. Estamos empenhados no acompanhamento da situação epidemiológica atual para tomar as medidas necessárias de proteção a vida em conjunto, uma vez que a pandemia ainda não acabou e precisamos avançar ainda mais na vacinação, sobretudo, com as doses de reforço da população”, disse.

Amapá coloca mais um navio em quarentena: tripulantes testaram positivo para COVID

Pelo menos dois tripulantes foram diagnosticados com a doença. Equipes do Governo do Amapá monitoram a embarcação.

O Governo do Amapá monitora mais um navio fundeado na costa amapaense onde tripulantes testaram positivo para a Covid-19. A notificação foi feita pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS), no dia 15 de junho. O navio tem bandeira da Libéria e zarpou de São Luís do Maranhão antes de chegar ao Amapá.

“A notificação era de que um tripulante estaria suspeito da doença, então foi realizada testagem, que deu positivo para a covid-19. Ele apresentou sintomas leves, como tosse e febre. No dia 14 de junho, as equipes clínicas da SVS se deslocaram até a embarcação e realizaram a testagem nos demais tripulantes, de acordo com o protocolo preconizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária [Anvisa]”, explicou a gerente do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) da SVS, Solange Sacramento.

Foram realizados 23 testes nos tripulantes, os quais 20 são indianos, 2 brasileiros e 1 cabo-verdiano. Após o procedimento, a equipe do Laboratório Central analisou o material coletado e foram identificados três casos positivos. O navio segue em quarentena e sendo monitorado.

Esta é a segunda embarcação que chega ao estado com tripulantes positivos para a doença este ano.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/2006/amapa-coloca-mais-um-navio-quarentena-apos-tripulantes-testarem-positivo-para-covid-19

 

Pela segunda semana seguida, Amapá registra aumento do número de casos de Covid-19

Índices acompanham cenário nacional de crescimento. Taxas de novos casos se mantém similar às registradas na semana anterior.

O relatório de monitoramento do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Amapá (Cievs/AP), publicado nesta segunda-feira, 13, demonstra um novo aumento de casos de covid-19 em comparação às semanas anteriores.

Foram 26 novos casos registrados de 5 a 11 de junho, a diferença é de apenas 1 caso em comparação à semana anterior, quando foram 27 casos da doença confirmados.

A maior parte deles está localizada na capital, Macapá. Na semana epidemiológica 22 (de 29/05 a 04/06), a capital registrou 16 casos. Na semana passada, a 23/2022, foram 19 registrados.

“O aumento é considerado singelo, mas deve ser visto com cautela. Nós, do Governo do Estado, estamos empenhados no acompanhamento da situação epidemiológica atual para tomar as medidas necessárias de proteção a vida em conjunto, uma vez que a pandemia ainda não acabou e precisamos avançar ainda mais na vacinação, sobretudo, com as doses de reforço da população”, explica a gerente do Cievs/AP, Solange Sacramento.

Vacinação

Atualmente, as coberturas vacinais do Amapá para a D1 e D2 ou Dose Única da população com 18 anos ou mais é de 80,35% e 68,52% respectivamente.

Em relação aos adolescentes, as coberturas de D1 e D2 são de 74,23% e 51,47%, respectivamente. Para crianças de 5 a 11 anos de idade, a vacinação alcançou 37,78% com a primeira dose e 12,26% com a segunda.

Em relação aos reforços, as coberturas ainda são consideradas baixas. Apenas 18,67% do público vacinável foi alcançado com a terceira dose de vacina, por isso o Estado mantém estratégias de vacinação de casa em casa e em portos que interligam cidades do Amapá e Pará.

Atualmente, o Governo do Amapá já distribuiu 1.338.354 doses de vacinas contra a covid-19 aos 16 municípios do Estado.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/1306/pela-segunda-semana-seguida-amapa-registra-aumento-do-numero-de-casos-de-covid-19

Refletindo cenário do país, Amapá volta a registrar aumento de casos de covid-19

 

Durante esta semana, já foram contabilizados 16 novos casos – a semana epidemiológica se encerra todos os sábados.
Os dados apontados no Boletim epidemiológico da última quinta-feira, 2, mostram um leve aumento de casos de Covid-19 no Amapá. O município de Oiapoque, que estava sem registro desde 10 de março, registrou um novo caso da doença.
O aumento é sentido após oito semanas de estabilidade. Durante esta semana, já foram contabilizados 16 novos casos – a semana epidemiológica se encerra todos os sábados.


“Este é um cenário que pede cautela, uma vez que também voltamos a registrar internações. Só a capital do Estado apresentou nove novos casos da doença nesta quinta-feira, além de aumentar o número de suspeitos da doença”, explica a gerente do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs/AP), Solange Sacramento.

O aumento segue o ritmo do cenário nacional, de acordo com a secretária adjunta de Enfrentamento ao Covid-19, Maracy Andrade.
“De abril a maio, houve um aumento de 78% no número de casos a nível nacional, mas aqui no Amapá, o aumento visto não é expressivo. Isso pode ser dito pela baixa procura por atendimento nas Unidades Básicas de Saúde e baixo número de internações, contudo o Governo do Estado está em alerta e monitorando esses dados, além de implementar novas estratégias de avanço da vacinação”, explica.
Estratégias de prevenção

Nesta quinta-feira, 2, o Governo do Amapá lançou o programa Vacina em que leva as campanhas de vacinação contra a covid-19, sarampo e influenza de casa em casa, inicialmente, em Macapá e Santana. O objetivo é elevar as coberturas vacinais no Estado para contenção das doenças.
O novo decreto do Estado, lançado na terça-feira, 31, trouxe as medidas de proteção necessárias para a manutenção do cuidado contra a pandemia: uso facultativo de máscaras em ambientes abertos e fechados e a obrigatoriedade em ambientes hospitalares e escolas, por serem áreas de risco ou baixa cobertura vacinal.

Covid-19 no Amapá
De acordo com o último boletim epidemiológico, o Amapá soma, desde o início da pandemia, 160.437 casos de Covid-19. Cinco casos seguem em investigação laboratorial. Atualmente, 4 internações pela doença foram registradas no Estado, o que representa ocupação de 4,7%, considerando a rede pública e privada.
No Amapá, a população vacinável é de 781.594 pessoas. Deste total, até a última atualização, 73,05% receberam a primeira dose da vacina e 78,67% foram imunizadas com a 2ª dose, dose única, dose de reforço e adicional.

Reabilitação pós-covid: Tratamento ajuda a eliminar sequelas

A covid-19 segue sendo uma preocupação, principalmente para pessoas que foram infectadas e continuaram com efeitos da doença em seu corpo. Dessa forma, o Governo do Estado prepara para 2022, a inauguração do Restaurar – Centro de Reabilitação Pós-Covid.

O técnico em planejamento da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Sávio Sarquis, explica como funcionará a equipe que vai trabalhar no Centro.

“Nós temos clínico geral, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas e psicólogos. Todos esses atendimentos serão exclusivamente para pacientes com sequelas da covid-19, que poderão ser encaminhados por outros médicos, ou irem até o local por demanda espontânea”, afirmou Sávio.

A pessoa que contraiu a doença possui, dentre os principais sintomas, dores articulares, fadiga, falta de ar, disfunções cognitivas ou psiquiátricas. A médica e secretária de enfrentamento à covid-19, Maracy Andrade, destaca que a alimentação, aliada ao acompanhamento médico, pode ser um grande trunfo para vencer os efeitos da doença.

“O que nós médicos recomendamos é um atendimento multidisciplinar, para se alimentar bem e fazer um acompanhamento para reposição das vitaminas, além disso, há necessidade da fisioterapia, para dentre outras coisas, conseguir a reexpansão do pulmão”, informou a secretária.

O Centro Pós-Covid oferta, além da reabilitação:
* Serviços ambulatoriais;
* Terapia;
* Nutricionista;
* Psicólogos;
* Fonoaudiólogos,
* Assistente social.
O espaço fica em um prédio da Sesa, no Centro de Macapá.

Pela primeira vez em 2 anos, Amapá não registra internações de pacientes com covid-19 na rede pública

Pela primeira vez desde o surgimento da covid-19 no Estado, não foram registradas internações pela doença na rede pública.

Os Boletins Epidemiológicos de segunda e terça trazem apenas 5 casos de internação, com 1 confirmado e 4 suspeitos, todos em leitos clínicos da rede privada de saúde. Com isso, o Amapá alcança o menor percentual de ocupação de leitos exclusivos para a covid-19, com 3,5% de ocupação na rede pública e privada.

“Estamos vivendo um momento de colher os frutos de um trabalho baseado na ciência e em medidas eficazes adotadas pelo Governo do Estado. Os resultados alcançados são fruto de um trabalho contínuo realizado por nossos técnicos, profissionais da saúde e, claro, a população, que precisa continuar fazendo a sua parte”, reforça a superintendente de Vigilância em Saúde do Amapá, Celisa Melo.

No início de abril, o Governo do Amapá tornou facultado o uso de máscaras em locais abertos e fechados, com exceção de escolas, unidades hospitalares e transporte coletivo.

A medida levou em consideração a queda dos indicadores da pandemia, que vem sendo observada desde o mês de março pelo Centre de Operação de Emergência em Saúde Pública (Coesp).

Mortes por Covid-19

Além disso, já são 11 dias sem mortes confirmadas de covid-19 em abril. Neste mês foram contabilizados quatro óbitos pela doença nos dias 1º, 5 e 7 de abril.

A queda histórica dos indicadores tem ligação direta com o avanço da vacinação, principalmente entre o público adulto, além das medidas de proteção adotadas desde o início da pandemia, que foram norteadas pela equipe técnico-científica do Estado, tornando o Amapá o estado da federação com a menor taxa de letalidade do país por muito tempo.

Vacinação

A vacinação no Amapá continua avançando para todos os públicos. Entre as crianças e adolescentes, estratégias como a vacinação nas escolas têm levado proteção aos estudantes que retornam à sala de aula. Foram mais de cinco mil doses de vacinas contra a covid-19 aplicadas em duas semanas de campanha, que ofertou também outras vacinas do calendário infanto-juvenil.

Atualmente, os vacinadores do Governo do Estado seguem ofertando vacinação em Santana, em locais de grande circulação de público, como supermercados e unidades hospitalares.

O Governo já distribuiu 1.329.717 vacinas aos 16 municípios e aplicou 1.093.686 doses desde o início da campanha. O Amapá tem 70,71% de cobertura vacinal para a primeira dose e 69,74% para a segunda dose, dose única, dose de reforço e dose adicional.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/1904/pela-primeira-vez-em-2-anos-amapa-nao-registra-internacoes-de-pacientes-com-covid-19-na-rede-publica

Televida: ligações serão realizadas para atualização de dados vacinais no Amapá

Dados serão confirmados com pessoas que receberam a vacina contra a covid-19, mas ainda não tiveram suas informações inseridas no sistema do Ministério da Saúde.

Desde segunda-feira, 4, equipes do projeto Televida, criado pelo Governo do Amapá, iniciaram as ligações para consulta de dados vacinais que ainda não foram inseridos no ConectSus – plataforma do Ministério da Saúde para consulta de histórico vacinal e médico. As equipes telefonam para pessoas que tomaram doses de vacina contra a Covid-19, mas estão com dados incompletos ou errados nos formulários.

Esse problema ocorre, às vezes, por conta de informações repassadas incorretamente pelo próprio cidadão, o que faz muitos dados serem lidos como inválidos pelo sistema. São situações como números de RG ou CPF incorreto.

O monitoramento acontece na central do Televida, que fica dentro da Superintendência de Vigilância em Saúde do Amapá (SVS).


“São muitos dados a serem checados, neste momento cerca 470 já foram repassados para as nossas equipes, essa atualização de informações é essencial para que o cidadão possa utilizar a plataforma e emitir o certificado de vacinação atualizado”, explica Solange Sacramento, gerente do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS/AP).

A maior parte dos dados são de Macapá, que enfrenta dificuldade de inserir as informações no sistema pela alta quantidade de formulários. O Governo do Estado presta este auxílio como forma de ampliar as estatísticas de vacinados no Amapá.

“É uma ajuda ao cidadão e a nós também, com esse trabalho conseguimos garantir que a pessoa tenha acesso ao seu certificado, que é exigido em muitos locais, e ao mesmo tempo ampliamos nossa cobertura vacinal, que por conta de formulários retidos, não representam a nossa realidade no Estado”, afirma Solange.

As ligações são feitas pelo call center do Televida, através do número (96) 3312-5700. A orientação é que a comunidade agende o telefone e atenda as equipes para evitar a recusa de chamadas. Segundo um levantamento realizado dentro do projeto, de 100 ligações realizadas em março, 25% foram recusadas pelo público.

Televida

O Governo do estado implantou o Projeto Televida em 2021, como mais uma ferramenta de combate ao coronavírus no Amapá. Inicialmente, o trabalho foi voltado para o monitoramento de casos ativos de covid-19 nos municípios e contou com o apoio da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), que assessorou todo o projeto. Atualmente, o projeto também é responsável por atualização de dados da cobertura vacinal no estado.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/0404/televida-ligacoes-serao-realizadas-para-atualizacao-de-dados-vacinais-no-amapa

Novo relatório descarta presença da variante Deltracon no Amapá

Após análise realizada pelo Laboratório de Referência da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o caso anteriormente notificado no Amapá como suspeito de Deltacron foi oficialmente descartado para a recombinação genética em nova variante.

Foi confirmado, portanto, que o caso do paciente monitorado pelas equipes do Amapá, trata-se de co-detecção, ou seja, o homem de 34 anos foi infectado por duas cepas do coronavírus (Ômicron e Delta), mas elas não obtiveram recombinação genética para a nova variante, que circula em outros países, sobretudo, europeus.

A análise foi publicada no relatório de sequenciamento genômico do Laboratório de Referência Nacional da Fiocruz e descarta oficialmente a suspeita. Atualmente, apenas o caso notificado no estado do Pará segue em investigação pela Fundação.

Dorinaldo Malafaia, da SVS, critica medida do prefeito Furlan que libera de uso de máscaras. “Não é cautelosa”, afirma

 

Em entrevista ao programa Café com Notícia na noite desta terça-feira (22), o superintendente de Vigilância em Saúde do Estado do Amapá (SVS), Dorinaldo Malafaia disse que, a medida que dispensa o uso de máscara em lugar fechado anunciado pelo próprio prefeito de Macapá, Antônio Furlan e documentado através de decreto municipal não é cautelosa.

Superintendente da SVS, Dorinaldo Malafaia

“A medida da prefeitura de Macapá sobre a dispensa do uso de máscara em lugar fechado não é cautelosa.No caso do governo do Estado, nos só vamos reavaliar isso na semana que vem, com o próximo boletim para fecharmos mais uma semana epidemiológica para ter mais segurança e a partir daí tomar mais uma decisão. Mas, por enquanto os órgãos do Estado se mantém usando máscara. Nossa posição é manter o decreto estadual vigente, porque os 14 municípios do estado continuam mantendo”, enfatizou Malafaia.

Malafaia disse ainda que: “pandemia se enfrenta com alinhamento de gestão coordenada com da política de saúde. Se alguém distoa disso pode representar o risco para coletividade”, complementou.

Dorinaldo disse que fez sua avaliação com todo respeito a posição do prefeito, mas deixou claro que discorda do ponto de vista técnico, porque segue com três estruturas que subsidiam para tomar quaisquer decisão, como a Organização Mundial de Saúde ( OMS), Organização Pan-Americana de Saúde e a Fio Cruz. E segundo ele, nenhuma das instituições aponta para a desmobilização da retirarada de máscaras nesse momento.

Prefeitura de Macapá libera uso de máscara em locais fechados

 

A Prefeitura de Macapá editou o Decreto 1.101/2022-PMM que libera a utilização de mascará de proteção facial em espaços fechados. O uso permanece obrigatório nos locais de prestação de serviços de saúde públicos e privados, como hospitais, clínicas, Unidades Básicas de Saúde (UBSs), consultórios, centros de reabilitação, entre outros. O documento mantém, ainda, a obrigatoriedade do uso no transporte coletivo de passageiro e nos locais de embarque e desembarque.

Confira o decreto

https://drive.google.com/file/d/1ITKKVXj0Rqw3AICpYBMJnIi_7OiJd1jI/view?usp=drivesdk

O decreto tem validade de 22 de março a 4 de abril e mantém a proibição de estacionamento das 3h30 às 5h na rua Beira-Rio, no trecho entre o Complexo do Araxá e a rua Rio Matapi, avenida Coaracy Nunes, no trecho entre as ruas Cândido Mendes e Binga Uchoa, na rua Mendonça Junior, entre avenida Azarias Neto e rua Binga Uchoa. A restrição se estende para a área de entorno do Estádio Zerão, Cidade do Samba e Ruas de entorno do Complexo Jandiá.

O documento estende o horário de funcionamento de mercantis e miniboxes, que agora pode funcionar de segunda a domingo, das 7h às 2h da manhã.

Embrapa mantém obrigatoriedade do uso de máscaras em todas as unidades do Brasil

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) decidiu manter a obrigatoriedade do uso de máscaras para todos funcionários concursados, estagiários, bolsistas, estudantes de pós-graduação, aprendizes, terceirizados ou visitantes. A decisão faz parte da recomendação do Comitê de Monitoramento e Prevenção do Coronavírus da instituição. Mesmo com vários municípios flexibilizando as medidas restritivas de estar em locais públicos sem máscaras, a instituição optou fundamental manter a proteção e minimização dos riscos de contaminação no ambiente de trabalho.

 

A recomendação vale  para todos os 42 centros de pesquisas da Embrapa no Brasil, assim como regime de trabalho específico para as grávidas.

Decreto da PMM suspende uso de máscara em locais abertos e estende horários de eventos noturnos

 

A Prefeitura de Macapá divulgou nesta segunda-feira (7), o Decreto Municipal nº 817/2022-PMM, que estabelece critérios para a continuidade das atividades econômicas, sociais e escolares na capital.

Entre as novas medidas está a suspensão do uso de máscaras em locais públicos, como as praças. O documento determina a utilização do equipamento de proteção em locais fechados como lojas, shopping centers, templos religiosos e afins.

Novo documento suspende uso de máscaras em locais abertos

Além disso, o decreto estabelece a ampliação do horário de eventos sociais noturnos das 7h às 3h, sendo permitido agora a taxa de ocupação de 100%.

O decreto é válido do dia 07 de março a 21 de março.

As novas medidas adotadas acompanham o cenário estável de casos de Covid-19 e o avanço da vacinação na capital. Com isso, outras ações também foram realizadas pela Prefeitura de Macapá, como o retorno do atendimento de rotina de urgência e emergência até 1h da manhã nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Marcelo Cândia e Marabaixo, que antes eram direcionadas apenas pacientes com Covid-19.

Acesse o decreto na íntegra 

https://drive.google.com/file/d/1-CihqQ9J35_XG3XlE5V3M6Ilw-fDNJPm/view?usp=drivesdk

Médico orienta cuidados com gestantes sobre a covid-19

Em casos de sintomas mais severos como dificuldade para respirar, febre persistente ou acima de 40 graus é preciso procurar atendimento especializado no HMML.

Com o aumento dos casos de covid-19, a população deve manter os cuidados com as medidas de proteção para evitar a propagação do vírus, em especial as gestantes.

O obstetra e responsável técnico pelo setor de covid-19 do Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML), Breno Pereira, explicou que medidas adotadas pela população em geral, como distanciamento social, uso de máscara, a lavagem frequente e correta das mãos com água e sabão – ou álcool em gel –, além da vacinação completa contra a doença continuam sendo importantes para as grávidas.

Entretanto, o médico alerta que é importante ressaltar que gestantes pertencem a grupos vulneráveis, que podem apresentar complicações da doença, por isso, os cuidados para evitar a exposição à doença devem ser redobrados.

Além disso, a realização adequada do pré-natal, exames laboratoriais e de imagem, uso das medicações e vitaminas indicadas também contribuem para prevenir fatores de risco para a paciente.

“Na gestante vemos com certa frequência quadros de oligoâmnio, que é quando há diminuição do líquido amniótico, o que pode acarretar algumas complicações, como risco de parto prematuro. Em torno de 30% das gestantes com covid-19 evoluem para um parto de cesárea de emergência”, disse.

A prematuridade aumenta o risco de infecções, problemas respiratórios, neurológicos e do sistema gastrointestinal do bebê.

A recomendação é que caso ela tenha sintomas gripais como coriza, dor de garganta e febre, procure uma unidade de testagem para realizar o exame para saber se está com a doença.

“Acreditamos que graças à vacinação, as pacientes têm apresentado sintomas mais leves da doença, então se ela for um caso positivo deve descansar, se manter hidratada e tratar como uma gripe comum. Mas em casos de sintomas mais severos como dificuldade para respirar, febre persistente ou acima de 40 graus, é preciso procurar atendimento especializado no HMML”, finaliza.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/0902/medico-orienta-cuidados-com-gestantes-sobre-a-covid-19

Com aumento de casos, Governo mantém restrições e amplia leitos para covid-19

Média móvel de casos confirmados aumentou para 2.148, frente a 188 da semana epidemiológica anterior.

Com o aumento de 1.042,6% na média móvel de casos confirmados de covid-19 no Amapá, o Governo do Estado decidiu pela manutenção das medidas de proteção à vida que suspende shows, festividades carnavalescas e outros eventos que gerem aglomeração.

– VEJA AQUI O DECRETO 0531/2022

VEJA AQUI O DECRETO DO ANEXO 0531/2022

Também será ampliada a retaguarda hospitalar, com novos leitos clínicos e de UTI na rede estadual, além de intensificação das fiscalizações e campanhas de imunização no estado.

São decisões tomadas em observância aos indicadores epidemiológicos e amplo diálogo com as prefeituras municipais. Após quase dois anos de enfrentamento à doença, é sabido por toda a sociedade as medidas que são verdadeiramente eficazes no controle da pandemia”, reforçou o governador do Amapá, Waldez Góes.

O Governo havia ampliado a oferta de leitos clínicos e de UTI, de 144 em dezembro de 2021 para 233 em janeiro de 2022 e, agora, uma nova ampliação de 76,82% totaliza 412 leitos para o atendimento a pacientes com covid-19 na rede pública estadual.

“Hoje dispomos de um importante instrumento para a preservação de vidas, que é a vacina, com ampla disponibilidade nos postos do Amapá. Além disso, com o aumento de mais de 60% nas hospitalizações, em sua maior parte de não-vacinados, também ampliaremos o número de leitos na rede estadual para o tratamento desses pacientes”, finalizou Góes.

Novos casos e internações
Além da média móvel de novos casos, houve também aumento da taxa de retransmissão viral (Rt), que representa a velocidade de propagação do vírus; subiu de 1,5 para 1,84. A busca por atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) também aumentou, de 455 para 1.247 por dia, um aumento de 213,29%.

VEJA AQUI O PARECER EPIDEMIOLÓGICO

A secretária-adjunta de Enfrentamento a covid-19, Maracy Andrade, evidenciou detalhes importantes sobre o atual cenário epidemiológico no estado.

“Mesmo com o aumento expressivo de casos e o segundo maior Rt do país, a taxa de letalidade do Amapá permanece a menor, 1,59% frente a média nacional de 2,79% . É um efeito claro da eficácia das vacinas contra a covid, que deve ser associada aos cuidados sanitários já conhecidos: uso de máscara, higienização das mãos e evitar aglomerações”, explicou.

Também aumentou de 85 para 148 o número de pacientes hospitalizados na rede pública e privada, 30 deles são crianças. De acordo com o levantamento apresentado pela secretária, nenhuma delas havia sido vacinada.

“É um alerta para a importância de vacinarmos nossas crianças. O perfil dos casos confirmados que evoluíram para hospitalização não mudou, a ampla maioria são pessoas sem o esquema vacinal de duas doses completo, ou sem ter tomado qualquer dos imunizantes”, completou Maracy.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/0102/com-aumento-de-casos-governo-mantem-restricoes-e-amplia-leitos-para-covid-19

Covid-19: Governo reativa testagem em passageiros do Aeroporto Internacional de Macapá

Foco é testar pessoas com sintomas da doença que chegaram na cidade em voos com maior fluxo e viajantes.

O Governo do Estado iniciará uma nova ação de testagem no Aeroporto Internacional de Macapá com equipes da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS), a partir desta terça-feira, 1º, para aplicar testes rápidos antígenos em passageiros sintomáticos que desembarcam na capital.

Os procedimentos serão realizados das 9 às 17h, abrangendo os voos com maior fluxo de pessoas.

Inicialmente, será realizada uma triagem de todos os passageiros para identificar algum com sintomas da covid-19, os sintomáticos serão testados em uma sala reservada. Também será possível testar pessoas que não tenham sintomas, mas têm interesse em se apresentar de forma voluntária para testagem. O teste rápido antígeno utilizado é considerado de alta eficiência e tem o resultado em até 15 minutos.

As pessoas que apresentarem resultados positivos para covid-19 serão orientadas a cumprir o isolamento e encaminhadas para atendimento médico em uma unidade de saúde. Esta barreira já tinha sido instalada anteriormente, no período de pico do ano passado. O serviço foi reativado mediante o aumento expressivo de casos da doença nas últimas semanas e o surgimento de variantes em outros estados do país .

“Não é a primeira vez que instalamos essa barreira no aeroporto e ela serve como proteção para que as pessoas infectadas não transitem transmitindo o vírus para outras”, afirmou o superintendente da SVS, Dorinaldo Malafaia.

Vacinação

O Aeroporto é um dos locais da grande movimento da capital onde o Governo do Estado instalou pontos de vacinação. A imunização acontece das 9h às 17h; passageiros e demais pessoas devem portar documento oficial com foto, cartão de vacina e cartão do SUS.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/3101/covid-19-governo-reativa-testagem-para-em-passageiros-do-aeroporto-internacional-de-macapa

Covid-19 e Gripe: hospitais da rede estadual suspendem visitas presenciais a pacientes internados

Medida tem como objetivo diminuir a circulação de pessoas dentro das unidades a fim de evitar risco de disseminação de doenças infectocontagiosas.

Em razão do aumento dos casos confirmados de covid-19 no Amapá, e de síndromes gripais, os hospitais da rede estadual de saúde suspenderam provisoriamente as visitas presenciais aos pacientes internados nas unidades.

A medida tem como objetivo diminuir a circulação de pessoas dentro das unidades e evitar a contaminação e disseminação do vírus para pacientes e servidores.

Suspenderem a visitação os Hospitais de Emergência (HE), de Clínicas Alberto Lima (Hcal), da Criança e do Adolescente (HCA) e da Mulher Mãe Luzia (HMML), em Macapá, além dos Hospitais Estaduais de Santana (HES), Oiapoque (HEO) e Laranjal do Jari (Helaja).

Além disso, todos os hospitais adotaram de forma provisória a presença de acompanhantes apenas em casos previstos por lei, como menores de idade, portadores de necessidades especiais ou com problemas de locomoção. O retorno das visitas dependerá da melhora nos índices do quadro epidemiológico da doença no estado.

Por causa do alto índice de COVID na Guiana Francesa, prefeitura de Oiapoque endurece medidas restritivas

A prefeitura de Oiapoque, divulgou novas medidas restritivas de proteção contra a COVID-19. O decreto terá validade até o dia 31 de janeiro e proíbe funcionamento de boates, teatros, casas de show e atividades em locais abertos, assim como eventos públicos e privados de Carnaval.

Além disso, o documento suspendeu a circulação de pessoas em praças, calçadas e logradouros públicos a partir de 1h. A proibição levou em consideração o alto índice de casos confirmados na Guiana Francesa pela nova variante ômicron.

MP-AP emite Recomendação sobre vacinação de crianças e adolescentes contra Covid-19

Na última terça-feira (25), o Ministério Público do Amapá (MP-AP) emitiu Recomendação N° 0000001/2022-PJDE/MPAP ao prefeito de Macapá, Antônio Furlan, ao governador do Amapá, Antônio Waldez Góes, e a todos os conselheiros Tutelares do Município para empreender medidas necessárias à vacinação de crianças e adolescentes contra a Covid-19, levando em consideração o art. 14, §1º, do Estatuto da Criança e do Adolescente, que adverte que “é obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias”.

O documento – assinado pelo titular da Promotoria de Justiça de Defesa da Educação (PJDE), promotor de Justiça Roberto Alvares; pela titular da 2ª Promotoria de Justiça  de Defesa da Saúde, promotora de Justiça Fábia Nilci e pelo titular da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos da Infância e da Juventude, promotor de Justiça Alexandre Monteiro – determina às Instituições de Ensino Públicas e Privadas que “exijam, por ocasião do ato de efetivação da matrícula, o competente comprovante de vacinação – Certificado Nacional de Vacinação ou outro documento equivalente -, para fins de levantamento dos não vacinados e encaminhamento nominal aos Órgãos Competentes para adoção de medidas cabíveis”.

“A matrícula NÃO DEVERÁ estar condicionada à apresentação do comprovante de vacinação, devendo, portanto, ser realizada qualquer que seja o fundamento da negativa dos pais e/ou responsáveis legais”, ressalta o documento.

Sobre a Recomendação

Alguns fatores foram levados em consideração pelo MP-AP, entre eles: a vacinação como possível medida de enfrentamento e de importância internacional a ser adotada pelas autoridades; a aprovação da vacina Pfizer/Comirnaty como imunizante contra a Covid-19 em crianças de 05 a 11 anos de idade – medida tomada no dia 16 de dezembro de 2021, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); as agências sanitárias internacionais que concluíram a aprovação da aplicação do imunizante Pfizer/Comirnaty contra a Covid-19 em crianças de 05 a 11 anos de idade e a saúde como direito fundamental social, nos termos do art.6° da Constituição Federal.

Foram considerados, ainda: o Estatuto da Criança e do Adolescente, no art° 7 da Lei N° 8.069/90, preceitua que a criança e o adolescente têm direito de proteção à vida e à saúde, mediante a efetivação de políticas públicas que permitam o nascimento e desenvolvimento sadio e harmonioso, em condições dignas de existência; a vacinação de crianças e adolescentes de 05 a 11 anos contra a Covid-19 passa a ser obrigatória em todo o território nacional, conforme art.14, §1° do Estatuto da Criança e Adolescente, entre demais condições.

Os Conselhos Estadual e Municipal de Saúde, as Secretarias Estadual e Municipal de Saúde, bem como a Secretaria de Estado da Educação do Amapá e a Secretaria Municipal de Educação de Macapá devem tomar ciência sobre o documento para adotar as providências necessárias.

“Fixa-se o prazo de 10 (dez) dias, para a comprovação das providências a serem adotadas por força do cumprimento desta RECOMENDAÇÃO”, destaca.

Sobre o descumprimento da Recomendação

A Recomendação adverte/assinala, também, que a ausência de informações no prazo estabelecido será interpretada como descumprimento deliberado pelo Poder Executivo Municipal e Estadual, bem como prevenção de responsabilidade, ausência de boa-fé e fundamento jurídico para intervenção judicial e dano moral coletivo.

“Esclarece por fim, que o não acolhimento desta notificação, implicará na adoção das medidas judiciais cabíveis, com o mesmo objetivo que constitui o objeto desta RECOMENDAÇÃO”, finaliza o documento.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá