Macron dará maior honraria francesa a Randolfe Rodrigues, por conta da atuação na pandemia

 

Por conta da pandemia, o senador Randolfe Rodrigues receberá a comenda Légion d’honneur, uma das mais altas honrarias do país francês, na Embaixada da França em Brasília em 6 de dezembro. O senador foi vice-presidente da CPI da Covid, que atribuiu nove crimes ao titular do Palácio do Planalto.

 

”É muito mais do que eu mereço e mais longe do que pensei chegar. A comenda não pertence a mim, mas sim às milhares de famílias brasileiras que tiveram um amor retirado de suas vidas pela pandemia da Covid-19!”, comentou Randolfe no Twitter.

MP-AP acompanha medidas para contenção dos casos de Covid nas aldeias indígenas de Oiapoque

Nesta quarta-feira (24), o titular da Promotoria de Oiapoque, promotor de Justiça Hélio Furtado, participou de reunião com representantes do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), da FUNAI, da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) e lideranças Indígenas, para tratar do aumento dos casos de Covid-19 nas aldeias do norte do Amapá. Segundo boletim do DSEI, foram mais de 203 registros da doença nas últimas três semanas.

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) está atendo aos números e busca junto à Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) todas as informações sobre as ações em andamento, bem como, o cumprimento das recomendações contidas no Comunicado de Risco emitido pelo DSEI.

Conforme explica o DSEI, a comunicação de risco tem como objetivo apoiar na divulgação rápida e eficaz de conhecimentos às populações, parceiros e partes intervenientes possibilitando o acesso às informações fidedignas que possam ajudar nos diálogos para tomada de medidas de proteção e controle em situações de emergência em saúde pública.

Foi registrado, que as aldeias mais afetadas são Manga, Kumarumã e Kumenê, com maior taxa de contágio entre os dias 31 de outubro de 6 de novembro. Outra informação preocupante é a confirmação da variante Delta no município de Oiapoque. O dado está registrado no relatório produzido pelo Laboratório de Vírus Respiratórios e do Sarampo – LVRS, do Instituto Oswaldo Cruz, FIOCRUZ/RJ.

Segundo o DIES, a variante de preocupação Delta é conhecida por ser mais transmissível e, portanto, pode produzir maior quantidade de novos casos. Porém, as amostras dos Polos-Base enviadas a Fiocruz para caracterização ainda não foram analisadas, portanto, ainda não se tem uma resposta para saber se os casos preencheram todos os requisitos ao sequenciamento.

“Portanto, ainda não temos resposta oficial se essa variante está presente em nossos territórios de assistência. Entretanto, reitera-se que, devido ao grande fluxo de pessoas entre os territórios indígenas e sede do município, e intenso fluxo transfronteiriço (Guiana Francesa), ela já pode ter sua circulação considerada entre os indígenas”, alertam os especialistas.

Dentre as comunidades indígenas com aumento de caso de Covd-19 conta a Aldeia Manga (127 casos registrados), possuindo o maior número de casos e, também, do Polo-Kumarumã que, na semana 44, teve 29 casos novos. Diante do quadro o DIES, faz uma série de recomendações. “MP-AP está vigilante e, aqui na Promotoria de Oiapoque, adotaremos todas as medidas necessárias para evitar que a situação se agrave”, frisou o promotor de Justiça Hélio Furtado.

Força-tarefa para conter COVID nas aldeias Kumarumã, Kumenê e Manga, no Oiapoque

Profissionais irão reforçar a imunização dos indígenas e rastrear novos casos nas aldeias.

O Governo do Estado coordena uma ação para conter casos da covid-19 nas aldeias indígenas de Kumarumã, Kumenê e Manga, no município de Oiapoque, norte do estado, uma vez que os locais registraram aumentos nos números da doença nas últimas três semanas.

A força-tarefa mobiliza mais de 30 servidores da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) e Secretaria de Saúde (SESA), entre eles, equipes de vacinadores; de clínica médica; e de monitoramento, rastreio e testagem. A ação conta com o apoio do Distrito Sanitário Especial Indígena Amapá e Norte do Pará (Dsei).

As equipes se deslocam até as localidades na quinta-feira, 25, com vacinas Pfizer contra a covid-19 para reforçar a imunização dos indígenas, além de testes rápidos antígenos, de alta eficiência com resultado liberado em torno de 15 minutos, para rastreio e monitoramento de novos casos.

“Sempre estamos monitorando todo estado e, quando necessário, iremos deslocar equipes para realizar todos os procedimentos necessários, nas aldeias contamos com a parceria do DSEI para facilitar o acesso às tribos e continuar monitorando estas localidades”. Afirmou o superintendente da SVS, Dorinaldo Malafaia.

Aumento de casos

O Dsei notificou 203 casos nas três aldeias, de 31 de outubro a 6 de novembro. A maior incidência foi na aldeia do Manga com 127 casos; seguida pela Kumarumã, com 52 casos; e Kumenê, com 24. Na semana seguinte, houve uma diminuição nos registros: 19 casos na aldeia Kumarumã e 1 no Manga. Já no período de 14 a 20 de novembro, 6 casos foram registrados em Kumarumã e 3 no Manga.

As ações de saúde ainda incluem o apoio de órgãos como as Polícias Militar (PM) e Rodoviária Federal (PRF) para conscientizar a população indígena sobre deslocamentos desnecessários, o que pode aumentar as chances de contaminação, além do risco de trazer o vírus para as aldeias.

Outras ações

Também será realizado o reforço na capacitação das equipes de saúde sobre a importância de manter as medidas preventivas contra a covid-19 e a melhor estratégia para disseminar materiais informativos nas aldeias. Além disso, será estabelecido um fluxo entre os órgãos de assistência aos indígenas para a rápida notificação de casos suspeitos e confirmados de covid-19 ou outros agravos que possam se configurar como emergências de saúde pública.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/2211/governo-do-estado-mobiliza-forca-tarefa-para-conter-casos-de-covid-19-em-aldeias-indigenas-de-oiapoque

Com redução de casos e baixa demanda por internações Centro Covid HU entra em fase de transição

 

Esta etapa foi marcada pela alta médica, na sexta-feira, 29, do último paciente do Centro Covid HU, que agora entra na transição para ser entregue à população como o novo Hospital Universitário.


O estado continuará ofertando à população toda retaguarda necessária para o combate à pandemia. A partir de agora, os casos que necessitarem de internação serão encaminhados ao Centro Covid em Santana, que possui 20 leitos de UTI, ou, dependendo da necessidade, para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Sul, em Macapá, que está dedicada ao atendimento exclusivo para covid-19 e conta com 20 leitos clínicos.

Ainda no âmbito de internações, o Hospital Estadual de Oiapoque conta com 12 leitos para atender a região norte do estado.
O secretário de Saúde, Juan Mendes, agradeceu os esforços dos profissionais que atuaram HU e pela confiança da população no trabalho que foi desenvolvido na unidade.

“Desde quando foi inaugurado, o HU cumpriu o seu objetivo, que foi o de salvar vidas. Foi uma experiência e um desafio enormes. Agora estamos em tratativas junto a Universidade para acharmos o melhor caminho para fazermos a entrega o mais breve possível. O HU deve ser devolvido para a finalidade dele, que é de um hospital acadêmico que irá contribuir para fortalecer a nossa rede de assistência”.

Funcionando desde junho de 2020, a unidade foi a principal referência no Amapá para o tratamento de complicações da covid-19. O saldo do HU: 364 vidas salvas.
Durante os momentos mais críticos da pandemia, o HU chegou a ter 210 leitos divididos entre de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e clínicos, o que o tornou o maior hospital da rede pública e privada do Amapá e o terceiro maior em capacidade do Norte do país para atender casos de covid-19.

Trabalharam no hospital 1.134 mil colaboradores entre equipes médica, de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, fonoaudiólogos, assistentes sociais, laboratório, limpeza e alimentação. O pagamento dos trabalhadores foi 100% custeado pelo Governo do Amapá.
A secretária adjunta de Saúde do Amapá, Maracy Andrade, reforçou que a decisão de devolver a unidade à Unifap levou em consideração a melhora nos índices epidemiológicos, o avanço da vacinação e a taxa de ocupação de leitos, que tem se mantido baixa, como mostrado no boletim epidemiológico de sexta-feira – quando era de 11,50% a taxa de leitos ocupados nas redes pública e privada.

Histórico
O termo de cessão do espaço foi resultado de uma parceria entre Governo do Amapá e a Unifap, com a articulação senador Davi Alcolumbre.
Para garantir o funcionamento da unidade, o Governo do Amapá investiu na instalação dos sistemas de energia elétrica, água e tanques de gases medicinais. O Estado também investiu na compra de equipamentos de suporte para o diagnóstico que auxiliaram no atendimento aos pacientes que passaram pela unidade, como dois raio-x portáteis e aparelho de ultrassonografia.

O Governo Federal enviou equipamentos e parte dos insumos para o local. Um termo de doação do Ministério da Saúde garantiu que os equipamentos e mobiliários continuarão no Amapá dando suporte à rede de alta complexidade estadual e deverão ser remanejados para outras unidades da rede estadual de saúde.

Com queda nos números da covid-19, novo decreto permite retomada de atividades presenciais em ambientes fechados

O novo documento entra em vigor na terça-feira e segue até o dia 22 de novembro de 2021.

Diante da queda nos números da covid-19, o Governo do Amapá publica o Decreto nº 3933 com novas medidas de flexibilização, considerando a realidade epidemiológica do estado. O documento permite atividades presenciais em ambientes fechados como boates, casas de show e casas de espetáculos e shows artísticos, desde que frequentadores, funcionários, artistas e outras pessoas envolvidas apresentem comprovante de imunização completa contra a doença, entre outros protocolos sanitários como a presença do público de até 50% da taxa de ocupação do espaço.

O novo documento entra em vigor na terça-feira e segue até o dia 22 de novembro de 2021.

LEIA O NOVO DECRETO AQUI

VEJA OS ANEXOS AQUI

As medidas foram definidas após reunião por videoconferência entre o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp) e representantes das prefeituras dos 16 municípios. No encontro, o Coesp apresentou o Parecer Epidemiológico, que aponta que o estado segue com a 2ª menor taxa de letalidade do país – 1,6%, bem abaixo da média nacional, que é de 2,8%, enquanto a taxa de amapaenses recuperados é de 91,55%.

VEJA O NOVO PARECER EPIDEMIOLÓGICO AQUI

Alterações no decreto

As alterações do novo documento foram amplamente debatidas entre o Coesp e prefeituras, além de que os diversos segmentos da sociedade organizada foram ouvidos pelo Governo do Estado. O Decreto traz as seguintes alterações em relação às medidas anteriores:

  • Ficam permitidas, a contar de 26 de outubro de 2021, até a data de 22 de novembro de 2021, em todo o território Amapá, as atividades presenciais e eventos nos estabelecimentos boates, casas de show, casas de espetáculos e shows artísticos, devendo seguir as regras e normativas editadas no novo decreto;
  • Será permitida a entrada de funcionários, frequentadores, artistas e outras pessoas envolvidas, mediante apresentação do comprovante de vacinação da COVID-19, com imunização completa;
  • É obrigatório o cumprimento dos protocolos sanitários e de distanciamento social, com presença de público até o limite de 50% da taxa de ocupação do espaço, com adoção de medidas para evitar a aglomeração de pessoas no entorno do evento;
  • As mesas deverão estar a 1 metro de distância uma da outra, com limite de 6 cadeiras, não permitindo a junção de mesas;
  • É de responsabilidade da entidade promotora do evento, registrar e controlar o acesso dos participantes, portando, por 30 dias, a lista de pessoas presentes no evento, bem como, a exigência do comprovante completo de vacinação da covid-19, para acesso ao evento;
  • As igrejas e templos religiosos ficam autorizados a funcionar 24 horas, devendo seguir o protocolo sanitário padrão, incluindo o distanciamento social de 1m entre as pessoas;
  • Está autorizado o funcionamento dos cartórios extrajudiciais em dias e horários definidos pela corregedoria do Tribunal de Justiça do Amapá, na modalidade de atendimento presencial com agendamento, com número reduzido de profissionais, seguindo os protocolos sanitários e de distanciamento social;
  • Fica autorizada a realização de competições de esportes coletivos em estádios de futebol, ginásios, quadras poliesportivas, com a presença do público até o limite de 50% da taxa de ocupação do espaço, com rigoroso cumprimento dos protocolos sanitários e de distanciamento social, e da adoção de medidas para evitar a aglomeração de pessoas no entorno do evento;
  • Fica autorizada a realização de eventos sociais, corporativos, técnicos e científicos, realizados em ambiente aberto, fechado ou misto, das 7h às 2h, com 80% da capacidade do espaço e com mesas em espaçamento de 1m, com no máximo 6 cadeiras;
  • Fica autorizada a retomada responsável, gradual e escalonado do funcionamento dos bares mediante cumprimento das condicionantes do protocolo de segurança e higienização;
  • Fica autorizada durante os eventos sociais, corporativos e no interior dos restaurantes, apresentações ao vivo de artistas e bandas, bem como, a veiculação de música ambiente, sendo permitida a utilização de pistas de dança no interior do espaço de realização do evento;
  • Fica autorizada a realização de atividades de ecoturismo e de visitas monitoradas em equipamentos turísticos, patrimônio histórico e áreas naturais, conduzidos por guias de turismo registrados no Cadastur;
  • Todos os agentes públicos da administração pública direta, indireta e fundacional do Poder Executivo, deverão retornar aos seus postos de trabalho, para cumprimento de jornada com duração de 6 horas diárias de trabalho;
  • Autorizada a retomada responsável, gradual e escalonado das aulas presenciais e demais atividades educacionais na rede pública e privada de ensino com fiel cumprimento do protocolo padrão de segurança sanitária para os estabelecimentos de ensino, cabendo à Secretaria de Estado da Educação, aos gestores titulares dos órgãos municipais da educação e aos gestores titulares das instituições particulares de ensino, definir a metodologia e a forma da retomada das aulas presenciais nas suas unidades de ensino;
  • Fica autorizada a retomada das atividades presenciais nos polos do Programa Amapá Jovem, para acolhimento e realização das ações com beneficiários do Programa;
  • Fica autorizado o retorno das atividades do estágio curricular obrigatório nos órgãos da administração direta e indireta do Governo do Amapá.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/2510/com-queda-nos-numeros-da-covid-19-novo-decreto-permite-retomada-de-atividades-presenciais-em-ambientes-fechados

 

Amapá mantém cenário de baixo risco para covid-19

SVS aponta a vacinação como um dos motivos para a estabilidade da doença no estado.

Após esforços em conjuto do Estado, municípios e população, o Amapá mantém uma situação de baixo risco para covid-19. A informação está no Parecer Epidemiológico do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp) que traz o cenário da doença no estado durante a semana epidemiológica 42 (período de 17/10/21 a 23/10/21) em relação à semana epidemiológica 40 (03/10/21 a 09/10/21).

O assunto foi tema de um encontro entre representantes do Estado e das prefeituras dos 16 municípios para debater o novo decreto, que flexibiliza as medidas de enfrentamento à covid-19. O Amapá segue com a 2ª menor taxa de letalidade do país – 1,6%, bem abaixo da média nacional, que é de 2,8%, enquanto a taxa de amapaenses recuperados é de 91,55%.

Leia o Parecer Epidemiológico

O último parecer epidemiológico do Coesp aponta que o resultado positivo se dá em função dos decretos governamentais e municipais alinhados, mantendo a eficiência dos protocolos de distanciamento e higienização, assim como do avanço da vacinaçao em todos o estado – a taxa de imunização da população vacinável é 84,43% para a primeira dose da vacina e de 45,99% para a 2ª dose, 3ª dose e dose única.

De acordo com o superintendente da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS), Dorinaldo Malafaia, os efeitos do processo avançado de imunização bloqueiam, inclusive, o avanço da variante delta.

“Temos uma queda significativa dos índices nos últimos meses, reduzimos o grande pico e, hoje, precisamos reforçar a estratégia de aceleração do processo de vacinação, pois, mesmo com a variante delta, os prejuízos têm sido bloqueados com as pessoas se imunizando”, afirmou.

As prefeituras ouviram as sugestões e aguardam o documento editado para análise. Para o prefeito,é necessário reforçar o esforço para o avanço da imunização.

“Defendo a flexibilidade em relação aos eventos, mas todos relacionados ao passaporte da vacinação”, ressaltou o prefeito do município de Amapá, Carlos Sampaio.

O novo decreto está em discussão entre o Coesp e prefeituras, mas diversos segmentos da sociedade organizada já foram ouvidos pelo Governo do Estado. Assim que finalizada a edição, o decreto será encaminhado às prefeituras para alinhamento, aprovação e publicação na  terça-feira, 26.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/2510/amapa-mantem-cenario-de-baixo-risco-para-covid-19

Covid-19: Governo confirma novos casos da variante delta em três municípios amapaenses

 

O Governo do Estado confirmou nesta sexta-feira, 22, 13 casos da variante delta do coronavírus no Amapá. São oito casos na capital, três em Santana e dois em Oiapoque.

No total, são 16 casos confirmados no Amapá, uma vez que outros três já haviam sido notificados no início de setembro.

O sequenciamento genético das amostras foi realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), após triagem feita pelo Laboratório Central do Amapá (Lacen). As amostras foram coletadas entre o fim de agosto e o início de setembro.

No total, são 16 casos confirmados no Amapá, uma vez que outros três já haviam sido notificados no início de setembro, destes nenhum apresentou agravamento no seu quadro de saúde.

Reforço na prevenção

A Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) já vem reforçando as atividades de vigilância na fronteira e nas barreiras sanitárias, especialmente, na capital e em Santana, que são as regiões mais populosas.

A Superintendência também mantém a atividade de triagem e fiscalização na área portuária em Santana e no Aeroporto Internacional de Macapá.

Triagem das amostras

O Lacen faz uma triagem com todas as amostras coletadas no estado para é investigar se elas atendem aos critérios, estabelecidos pelo Ministério da Saúde, para a verificação se há necessidade de envio delas a Fiocruz, instituição referência para sequenciamento genético em busca de variantes.

Delta

A variante Delta é conhecida pelo alto índice de transmissão. No Amapá, embora a confirmação dos casos da variante sejam registrados em três municípios, somente em Oiapoque houve um aumento da covid-19, por isso todas as amostras positivadas na região da fronteira são enviadas para o Lacen fazer a triagem dos critérios para que seja realizada a busca de variantes.

Diante este cenário, o Governo do Estado deslocou, no final do mês de setembro, equipes clínica, de vigilância sanitária e agentes de saúde para realizar testagem em massa da população, intensificação da vacinação e educação em saúde para incentivo do uso de máscaras, distanciamento social, uso do álcool em gel e todas as medidas sanitárias.

Amapá, Acre e Roraima não registram mortes por coronavírus nas últimas 24 horas

 

Segundo levantamento da Agência CNN junto aos dados do Ministério da Saúde, os estados do Acre, Amapá, Roraima, Rio Grande do Norte e Rondônia não registraram nenhuma morte por Covid-19 nas últimas 24 horas. Em todo o país, foram registrados 8.639 novos casos e 182 mortes, mesmo número de 6 de setembro, e o menor número desde novembro de 2020.

Desde o início da pandemia, o país contabiliza 21.5757.820 infecções e 601.011 óbitos. A marca de 600 mil mortes foi ultrapassada nesta semana, quase quatro meses após atingir as 500 mil.

O Brasil segue em segundo lugar no número de óbitos pela doença em todo mundo, segundo painel da Universidade Johns Hopkins (JHU), atrás somente dos Estados Unidos.

 

MP-AP recomenda que Prefeitura de Oiapoque aumente restrições e reforce cuidados para prevenção da Covid-19 no município

O Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Oiapoque, requisitou ao prefeito do município, Breno de Almeida, e ao Secretário Municipal de Saúde que cumpram as recomendações constantes no último parecer técnico do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp), especialmente em relação à vacinação e fortalecimento das ações educativas para prevenção do contágio e proliferação da Covid-19.

Também, foi requisitado o aumento das restrições sanitárias, dentre as quais, restrição de circulação de pessoas, tendo em vista o aumento de casos no município e da constatação da presença da variante Delta na região fronteiriça da Guiana Francesa.

O MP-AP ainda expediu a Recomendação Nº 001/2021-1ªPJO, que indica a necessidade de promoção, por parte do prefeito municipal e de outros agentes públicos, de medidas para fiscalizar o cumprimento do Decreto Municipal nº 644, que determina medidas de restrição e controle à pandemia de Covid-19.

No mesmo documento, recomendou ao Comandante do 12º Batalhão da Polícia Militar e ao Delegado Coordenador do Ciosp de Oiapoque, a adoção de medidas, em parceria com os gestores do Município, para impedir o descumprimento do decreto municipal, em relação às restrições impostas.

As medidas foram adotadas pelo titular da 1ª Promotoria de Justiça de Oiapoque, promotor de justiça Hélio Furtado, em decorrência do atual parecer técnico do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp), que apontou indícios de aumento dos casos da doença no município, pois segundo dados coletados dos 105 casos confirmados no Estado, na semana de 19 a 26 setembro, 40 são do município fronteiriço.

O membro do MP-AP ressaltou o papel da instituição na fiscalização. “Cabe ao Ministério Público zelar pelo efetivo respeito aos direitos e garantias legais assegurados a todo cidadão, nos termos da Constituição da República e da Lei nº 8.080/1990, abrangendo seus direitos individuais, coletivos, sociais, econômicos, culturais e ambientais, no que se inclui o direito à saúde”, ressalta no documento, o promotor Hélio Furtado.

Ministério Público do Amapá

http://www.mpap.mp.br/noticias/gerais/mp-ap-recomenda-que-prefeitura-de-oiapoque-aumente-restricoes-e-reforce-cuidados-para-prevencao-da-covid-19-no-municipio

Covid-19: Amapá tem queda de 83,33% nos óbitos e melhora classificação de risco de contágio

O Amapá melhorou a classificação final da avaliação de riscos para a covid-19, conforme o atual parecer técnico do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp) que aponta o baixo risco em relação à doença no estado. Entre os principais indicadores, estão a queda de 83,33% nos casos de óbitos e a baixa procura por atendimento médico e dispensação de receitas.


Diante deste cenário, o Governo do Estado mantém no Decreto Nº 3520, de flexibilização de atividades essenciais e não essenciais, publicado nesta terça-feira, 28, as medidas que já estão em vigor desde 30 de agosto. As novas regras de funcionamento foram divulgadas nesta terça-feira, 28, junto ao parecer técnico que compara o período de 19 a 26 de setembro com a semana anterior.
Mesmo com os dados positivos, o Executivo estadual alerta sobre o risco de contaminação por novas variantes, como a delta, que já foi registrada no Amapá. Esta cepa é menos agressiva, porém contamina com mais facilidade.

Ainda de acordo com o parecer técnico, o município de Oiapoque requer mais atenção, uma vez que apontou indícios de aumento dos casos da doença. Dos 105 casos confirmados na semana de 19 a 26 setembro, 40 são do município fronteiriço.
O Governo do Estado garantiu o envio de uma equipe de profissionais de saúde para a cidade, que faz fronteira com a Guiana Francesa, com objetivo de reforçar as medidas protetivas e controlar a situação, com foco no aumento da cobertura vacinal.
“Os indicadores estaduais continuam estáveis, com queda em internação e óbitos, obviamente um reflexo positivo das medidas de proteção à vida em todos os municípios, mas Oiapoque exige um cuidado específico”, explicou o governador do Amapá, Waldez Góes.

Segundo o presidente do Comitê Médico de Enfrentamento à Covid do Amapá, Pedromar Valadares, o aumento de casos está relacionado à variante delta e a região de fronteira oferece mais vulnerabilidade devido a circulação de pessoas entre os dois países.

“Vamos continuar o alinhamento com os secretários municipais de saúde, prefeitos e responsáveis técnicos para manter o tratamento e protocolo, o modelo de enfrentamento não mudou. O reforço deve ser na abordagem e tratamento da fase inicial, para evitar casos graves”, disse Valadares.

Vacinação de adolescentes: Governo do Amapá mantém e prefeitura de Macapá, suspende. Governo federal não se entende

 

Em comunicado, a prefeitura de Macapá informou que está suspensa a vacinação para jovens de 12 a 17 anos, e que vai seguir  as orientações do Ministério da Saúde. Essa decisão gerou muitas críticas contra a PMM nas redes sociais.


Governo

Já o governador do Amapá, Waldez Góes, usou suas redes sociais para informar que o estado continuará vacinando os adolescentes  e que seguirá as orientações da ANVISA.


Suspensão da vacinação

Após suspensão feita pelo Ministério da Saúde da aplicação de doses da vacina contra a COVID-19 em pessoas de 12 a 17 anos, a Sociedade Brasileira de Imunizações criticou a decisão e disse que ‘medida gera receio na população e abre espaço para fake news’.

A maioria dos estados e municípios está mantendo a vacinação de adolescentes, apesar da orientação contrária do Ministério da Saúde.

A nova orientação está sendo criticada por cientistas, lideranças políticas e pela imprensa.

Flávio Dino, governador do Maranhão, no twitter

 

Vacinação para Covid-19 segue para os adolescentes: nesta quinta-feira (9) o público de 12 anos inicia o ciclo de imunização em Macapá

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) disponibiliza cinco pontos para que os adolescentes nascidos entre 1º de janeiro a 30 de junho iniciem o ciclo de imunização contra a Covid-19. A vacinação ocorre nesta quinta-feira (9), além da primeira dose, a equipe da Semsa também aplicará a segunda dose de Astrazeneca, Pfizer e CoronaVac.

Todos os vacinados precisam apresentar os originais e cópias de um documento oficial com foto, comprovante de residência e carteira de vacinação, que deverá conter a indicação da aplicação da primeira dose. É imprescindível que os adolescentes estejam acompanhados dos pais ou responsáveis.

 

12+  

Os pontos disponíveis para esse público são o Instituto Federal do Amapá (Ifap), as universidades Federal do Amapá (Unifap) e do Estado do Amapá (Ueap), Amapá Garden Shopping e Unidade Covid Santa Inês, nos horários de 9h às 15h.

 

D2 de Astrazeneca e Pfizer

Pessoas que estão com vencimento dos imunizantes até o dia 19 de setembro já podem receber sua segunda dose. Para o imunizante Astrazeneca/Oxford pode se deslocar até os pontos de drive-thru do Estádio Zerão, Rodovia do Curiaú, Praça Floriano Peixoto e Marabaixo, além da quadra da Igreja Jesus de Nazaré, no horário de 9h às 15h.

 

A D2 da Pfizer/BioNTech está disponível de 8h às 13h nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Álvaro Corrêa, Pedrinhas, Novo Horizonte, Pacoval, São Pedro, Marabaixo, Raimundo Hozanan, Rosa Moita, Fazendinha, Brasil Novo e Leozildo Barreto Fontoura.

 

D2 de CoronaVac

As pessoas que estão dentro do período de recebimento do imunizante CoronaVac serão atendidas nas UBSs Padre Raul Matte e Pantanal, que funcionarão das 8h às 13h. Além da quadra da Igreja Jesus de Nazaré, no horário de 9h às 15h.

Prefeitura Municipal de Macapá

Prefeitura de Santana abre vacinação contra a covid-19 para adolescentes de 12 anos nesta sexta, 27

Nessa sexta-feira, 27 de agosto, a Prefeitura de Santana abre a vacinação contra a Covid-19 para adolescentes de 12 anos. O Município também convoca adolescentes de 13 a 17 anos que ainda não tomaram a primeira dose e aplica a segunda dose das vacinas CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer, conforme a data agendada na carteira de vacinação. Os pontos de vacinação funcionam a partir de 8h, com horário a tarde em três unidades de saúde.

A SEMSA reforça a orientação para que os menores de 18 anos compareçam aos locais de vacinação acompanhados dos pais ou responsáveis legais, munidos dos documentos comprobatórios, como identidade com foto ou certidão de nascimento, CPF, cartão do SUS atualizado e comprovante de residência.

Até o momento, 65.513 pessoas tomaram a primeira dose, o equivalente a 79,9% de toda a população santanense vacinável acima de 18 anos. Destas, 23.062 pessoas já tomaram as duas doses ou dose única e estão completamente imunizados, o que representa uma cobertura vacinal de 27,6%, conforme dados parciais do “Vacinômetro”. Desde o dia 19 de janeiro, início da vacinação no município, 88.575 doses de vacinas para o combate à Covid-19 foram aplicadas em Santana.

Veja os pontos de vacinação que estarão funcionando:

1ª DOSE

• Adolescentes de 12 anos ou mais sem comorbidade;

Locais e horários:

• Sindicato dos Servidores Públicos Municipais – 8h às 13h

• Centro de Diagnóstico em Saúde da Mulher- 8h às 13h

• UBS Antônio Serieiro – 14h às 17h

• Policlínica Maria Tadeu – 14h às 17h

• UBS Floriano Rêgo – 14h às 17h

1ª DOSE

• Pessoas a partir de 18 anos que ainda não se vacinaram.

Locais e horários:

• Drive thru e ponto fixo da Prefeitura de Santana – 8h às 13h

• Drive Thru e ponto fixo da Policlínica Alberto Lima – 8h às 13h

• UBS Floriano Rêgo – 14h às 17h

2ª DOSE – ASTRAZENECA OU CORONAVAC

• Consulte a data marcada na carteira de vacinação.

Locais e horários:

• Drive thru e ponto fixo da Prefeitura de Santana – 8h às 13h

• Drive Thru e ponto fixo da Policlínica Alberto Lima – 8h às 13h

2ª DOSE – PFIZER

• Consulte a data marcada na carteira de vacinação.

Locais e horários:

• Sindicato dos Servidores Públicos Municipais – 8h às 13h

• Centro de Diagnóstico em Saúde da Mulher- 8h às 13h

• UBS Antônio Serieiro – 14h às 17h

• Policlínica Maria Tadeu – 14h às 17h

• UBS Floriano Rêgo – 14h às 17h

Comunicação – Prefeitura de Santana

Continua a vacinação contra a Covid-19 para adolescentes de 16 anos nesta sexta-feira (27)

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) continua com as ações de vacinação contra a Covid-19 voltadas aos adolescentes de 16 anos sem comorbidade nesta sexta-feira (27). Serão atendidos os nascidos entre 1º de setembro e 31 de dezembro.


Também estão disponíveis as vacinas Pfizer/BioNTech, Oxford/AstraZeneca e CoronaVac para aplicação da 2ª dose em aptos com data marcada no cartão de vacinação.

Estes adolescentes podem receber a vacina das 9h às 15h na Universidade Federal do Amapá (Unifap), Universidade do Estado do Amapá (Ueap), no Instituto Federal do Amapá (Ifap), na Unidade Covid Santa Inês e no Amapá Garden Shopping.

2ª dose de Pfizer

Os aptos a receberem a 2ª dose da vacina Pfizer/BioNTech serão atendidos das 8h às 13h nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Pacoval, Pedrinhas, Raimundo Hozanan, Marabaixo, Rosa Moita, São Pedro e Leozildo Fontoura.

2ª dose de CoronaVac

A 2ª dose da Coronavac está disponível das 8h às 13h nas UBSs Cidade Nova, Pantanal, Álvaro Corrêa e Raul Matte. Além destes locais, a vacina também estará disponível das 9h às 15h na quadra da Igreja Jesus de Nazaré.

2ª dose de AstraZeneca

A 2ª dose da vacina AstraZeneca pode ser tomada das 9h às 15h, nos pontos de drive-thru do Marabaixo, da Praça Floriano Peixoto, Praça do Estádio Zerão, da Rodovia do Curiaú e na quadra da Igreja Jesus de Nazaré. Além destes locais, o imunizante também estará disponível na UBS Pantanal, que ofertará a dose de reforço entre das 8h às 13h.

1ª dose para gestantes e 2ª dose para grávidas em intercambialidade
A ação de vacinação para gestantes neste dia atende as aptas à 1ª dose e 2ª dose em intercambialidade com Pfizer/BioNTech. A vacina estará disponível nas UBSs Leozildo Fontoura e Novo Horizonte, que receberão este público das 8h às 13h.

Documentação

Todas as pessoas que serão vacinadas, independente de ser primeira ou segunda dose, deverão apresentar os originais e cópias de um documento oficial com foto, comprovante de residência e carteira de vacinação.

Os menores de idade devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis e apresentar o CPF.

Para a 2ª dose, o munícipe deve apresentar a carteira de vacina com a indicação da primeira dose tomada.

Amapá recebe novo lote de vacinas com 29.250 de doses de Astrazeneca

 

Um novo lote de vacinas contra a covid-19 desembarcou nesta segunda-feira, 23, em Macapá. São 29.250 novas doses do imunizante AstraZeneca, fabricado pela Fiocruz.

Nesta terça-feira, 24, um novo lote está previsto pra chegar com 7.800 da Coronavac e 8.190 da Pfizer

A Superintendência de Vigilância em Saúde do Amapá (SVS) é o órgão responsável pelo recebimento, armazenamento e distribuição do lote e já estrutura uma ação de distribuição para que os 16 municípios recebam suas doses em tempo hábil.

Como há a previsão de chegar mais doses nesta terça-feira, 24, a distribuição será feita de forma conjunta com o próximo lote, são mais 7.800 da Coronavac e 8.190 da Pfizer.

“Unificaremos os lotes de imunizantes recebidos, com isso daremos celeridade na vacinação da população. Estamos no caminho certo para vacinar todos os amapaenses residentes no estado com a primeira dose até setembro”, informou Dorinaldo Malafaia, superitende da SVS no Amapá.

 

Variante Delta: planos de contingência e busca ativa serão intensificados para conter novos casos no Amapá

O Governo do Amapá reuniu com Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), neste sábado, 21, para cobrar a intensificação do plano de contingência e comunicação em relação à ancoragem de navios estrangeiros no Amapá com tripulações suspeitas de Covid-19.

Neste sábado, o Instituto Evandro Chagas (IEC), em Belém (PA), confirmou que entre os 18 tripulantes do navio Mandarin Dalian, fundeado no Rio Amazonas, em frente a Macapá, atestados com a Covid-19 estão infectados com a variante Delta do coronavírus.

Na reunião virtual, comandada pelo próprio governador do estado, Waldez Góes, ficou definido que técnicos serão enviados pelo MS para reforçar a equipe amapaense no trabalho de busca ativa e readequação do plano. Este trabalho consiste em rastrear todas as pessoas, sobretudo profissionais de saúde, que tiveram contato com os 5 pacientes que estão com a variante Delta.
Também será realizada a revisão do plano de contingência, para que Anvisa, Governo do Estado e Prefeitura de Macapá, readéquem as medidas a serem adotadas nesses casos. O Executivo amapaense quer que a Anvisa seja rigorosa no controle da entrada de navios e tripulantes no Estado e tome medidas para regular, de forma clara, os procedimentos relacionados a esses casos que envolvem pessoas de nacionalidades estrangeiras.

 

O Governo também cobrou que a Anvisa faça a comunicação aos órgãos estaduais e federais sobre esses casos.
Os 5 tripulantes infectados estão dentro do navio e nenhum deles desembarcou em busca de atendimento médico, pois nenhum deles teve agravamento clínico.

O Mandarin Dalian possui bandeira da Libéria e tem 21 tripulantes de nacionalidade chinesa, dos quais 18 foram diagnosticados com a doença após terem tido amostras coletadas pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS). As 18 amostras que testaram positivo para a Covid-19 foram enviadas ao IEC, que confirmou 5 delas com a variante Delta. As outras 13 amostras continuam em investigações de sequenciamento genético pelo IEC.

O navio está fundeado em frente à capital amapaense desde o dia 6 agosto e o governo do estado monitora os tripulantes com testagem periódica de exames de PT-PCR enquanto durar a quarentena imposta pela Anvisa à embarcação.

O Amapá possui, no Hospital Universitário, uma ala de isolamento para receber pacientes de embarcações ancoradas no rio Amazonas e de fora do estado com suspeita ou confirmação de novas variantes do coronavírus. Lá, atualmente, estão três pacientes internados.

A unidade tem um protocolo estabelecido para lidar com casos como esse, seguindo um parâmetro nacional, com o objetivo de garantir a segurança sanitária de servidores e pacientes de outras alas do HU.

Governo realiza campanha de vacinação contra covid-19 em 15 cidades do Amapá

 

O Governo do Amapá e as prefeituras realizam uma campanha de vacinação contra a covid-19 em 15 municípios no sábado, 21, para imunizar cada vez mais amapaenses. Cada ponto de vacinação terá cronograma de atendimento e público-alvo definidos pela organização do mutirão.

Dois dos cinco de pontos de vacinação coordenados pelo Estado serão exclusivos para atender adolescentes de 17 anos.

A Unidade de Imunobiológicos da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) estima que mais de 10 mil doses das vacinas estarão disponíveis para as 15 cidades neste dia.

Equipes de profissionais do Governo do Amapá vão aplicar as vacinas das 9h às 21h em cinco pontos de imunização. Na Universidade Federal do Amapá (Unifap) e na Universidade do Estado do Amapá (Ueap), na capital, serão atendidas, exclusivamente, pessoas de 17 anos sem comorbidades – iniciando a imunização deste público.

No Instituto Federal de Educação do Amapá (Ifap) e no Amapá Garden Shopping, na capital;e no Sindicato dos Servidores Municipais, em Santana, a vacinação é voltada para o público a partir de 18 anos.

Na capital, haverá outros 15 pontos de vacinação organizados pela prefeitura para atender pessoas a partir de 18 anos. Outros pontos de imunização serão espalhados pelos municípios. Os horários e locais serão divulgados em breve pelas prefeituras. Apenas Calçoene não terá ação.

Os imunizantes ofertados serão: AstraZeneca, Pfizer, Coronavac e Janssen. Adolescentes receberão somente Pfizer, por ser a única vacina autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para este público.

“O Governo do Estado procura oferecer o máximo de apoio aos municípios. Neste mutirão, o objetivo é auxiliar e dar celeridade na imunização das pessoas. É uma ação coordenada em praticamente todo estado”, disse o superintendente da SVS no Amapá, Dorinaldo Malafaia.
Para a ação, a SVS disponibiliza 22 equipes com técnicos, enfermeiros e digitadores.

Vacinação
O Governo do Amapá já distribuiu 644.559 doses de vacinas contra a covid-19 para os 16 municípios. Destas, foram aplicadas 477.238 doses.

No Amapá, a população vacinável é de 569.316 pessoas. Deste total, até o momento, 63,83% receberam a primeira dose da vacina; e 20% foram imunizadas com a segunda dose ou dose única.

Governo do Amapá confirma oito casos de covid-19 em navio com tripulantes filipinos

 

Nesta quarta-feira, 18, o Governo do Amapá confirmou oito casos de covid-19 no navio de cargas Seabiscuit, fundeado na orla de Macapá desde 16 de agosto. Para obter os resultados, a Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) realizou testagem e coleta de amostras nos tripulantes que têm nacionalidade filipina.
Dos oito estrangeiros confirmados com covid-19, um teve óbito registrado no dia 16 de agosto, ainda no navio; e dois foram encaminhados para o Centro Covid-HU, após avaliação médica.


É fake news que outro óbito ocorreu entre os tripulantes do navio Mandarin Dalian, que também está ancorado na costa amapaense, como dá a entender um vídeo que circula nas redes sociais. Na verdade, o vídeo está relacionado ao óbito ocorrido no dia 16 no Seabiscuit – o único registrado até o momento.

Monitoramento

O restante da tripulação do Seabiscuit ficará em quarentena por ao menos 14 dias, sob acompanhamento diário da SVS. As tratativas para a repatriação e traslado do corpo do filipino que foi a óbito são acompanhadas pela Anvisa e Polícia Federal.

Ainda segundo a investigação epidemiológica, os tripulantes não estão vacinados contra a covid-19.

Navio Mandarin Dalian
O navio Mandarin Dalian, com 21 tripulantes chineses, também está sendo monitorado pelo Governo do Amapá e Anvisa, desde 5 de agosto; 18 tripulantes foram confirmados com covid-19, um deles foi internado no Centro Covid HU; não há registro de mortes nesta embarcação.

Até o momento, nenhuma nova cepa do coronavírus foi confirmada pelos órgãos responsáveis. As amostras colhidas nas duas embarcações serão enviadas para o Instituto Evandro Chagas, em Belém do Pará, para verificar possíveis variantes. A SVS monitora diariamente os passageiros dos dois navios.