‘Utopia’ é um dos indicados na categoria curta documentário do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

 

O cinema amapaense tem ganhado destaque em várias premiações nacionais e internacionais. E a pergunta é: os amapaenses sabem disso? Podem apoiar de alguma forma?

Destaque

Neste mês de abril de 2022, tivemos a notícia de que o curta Utopia, dirigido por Rayane Penha, é um dos indicados na categoria curta documentário do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Um grande feito para o cinema amapaense e precisamos falar da dimensão desta indicação!

O que é esse prêmio? O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro chega a 21ª edição e está confirmada para acontecer presencialmente em agosto de 2022, no Rio de Janeiro. A realização é feita pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais, ou seja, a maior premiação do audiovisual nacional, nosso Oscar Brasileiro.

O Curta Utopia

Premiado como melhor filme no Festival Olhar do Norte e um dos finalistas do New York International Women Festival, o documentário fala sobre a busca de uma filha por histórias vividas pelo pai garimpeiro que faleceu no garimpo. As memórias são traduzidas em fotos, vídeos e cartas que escrevia para a família documentando diversas experiências e dificuldades do lugar.
O cenário da produção é o garimpo Vila Nova, localizado no município de Porto Grande, e o foco é olhar com mais humanidade para estes homens que deixaram suas heranças de vida com relatos íntimos da vivência no garimpo.
Uma realidade da Amazônia que é pouco falada, divulgada, que mantém até hoje um cenário de esperança e desilusões.
Quem é a cineasta?

Rayane Penha, é macapaense, tem 26 anos, e é documentarista, escritora, jornalista, com mais de 20 festivais nacionais de audiovisual na conta e também alguns prêmios.
Com a bagagem cheia de histórias do garimpo Vila Nova, desde sua infância, onde morou até os 10 anos de idade, deu vida às suas memórias no garimpo e iniciou sua trajetória no audiovisual. Um de seus primeiros trabalhos foi ‘Carta sobre o nosso lugar – Mulheres do Vila Nova.

A indicação ao Grande Prêmio é um momento histórico para o Amapá! É uma mulher preta, um filme feito por uma produtora nortista. Os amapaenses precisam saber disso, para se orgulhar, se inspirar, apoiar e segurar “na mão” da cultura.
Como podem apoiar? Divulgando, falando sobre isso, batendo no peito e falando: é do Norte! É nosso também! É dizer aos quatro cantos que nossa produção audiovisual é forte, independente e precisa não só de apoio financeiro, mas também do apoio afetivo de quem respeita, consome e ama a cultura da cidade de Macapá e da região norte. Portanto, neste primeiro momento vamos falar do Utopia, da indicação ao Oscar Brasileiro, vamos falar do Amapá no topo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.